Cabocla (1979) Resumo | Personagens | Trilha Sonora

Confira o resumo da novela Cabocla (1979) desde o primeiro capítulo. Além do resumo você terá informações sobre a história, personagens e trilha sonora. Fique por dentro das novidades das novelas, aqui você encontra o resumo completo de Cabocla (1979) e de todas as novelas da Globo.

Sobre a Novela Cabocla (1979)

◘ Autoria: Benedito Ruy Barbosa
◘ Direção geral: Herval Rossano
◘ Período de exibição: 04/06/1979 – 15/12/1979
◘ Horário: 18h
◘ Nº de capítulos: 170

Inspirada no romance homônimo de Ribeiro Couto, a novela critica a disputa de poder entre políticos da zona rural nos anos 20.

Joaquim (Milton Moraes) se surpreende quando o médico diz que seu filho, Luís Jerônimo (Fábio Jr.), está com uma lesão no pulmão. Para tratar da saúde, o rapaz deixa o Rio de Janeiro e vai para a fazenda do coronel Boanerges (Cláudio Corrêa e Castro), em Vila da Mata, no Espírito Santo. Lá ele conhece Zuca (Gloria Pires), e os dois se apaixonam. Zuca é afilhada do coronel e noiva do destemido peão Tobias (Roberto Bonfim), que não se conforma com a possibilidade de perder a cabocla para o forasteiro. Zuca e Luís Jerônimo enfrentam inúmeras dificuldades para viverem seu amor.

O romance dos jovens também é ameaçado pela chegada de Pepa (Arlete Salles) em Vila da Mata. Apaixonada por Luís Jerônimo quando o rapaz ainda vivia no Rio de Janeiro, ela tenta de todas as formas separar o casal. No entanto, para surpresa de todos, Pepa acaba se envolvendo com o coronel Justino (Gilberto Martinho).

No decorrer da história, Luís Jerônimo volta para o Rio de Janeiro, mas não consegue esquecer Zuca. Ele se recupera da tuberculose e acaba comprando uma fazenda na região. Contra a vontade dos pais, Zuca se casa com Luís Jerônimo numa igreja vazia. Os dois têm uma filha. O peão Tobias se casa com Mariquinha (Fátima Freire), filha do coronel Justino.

Resumo de Todos os Capítulos da Novela Cabocla (1979)

** Resumo dos capítulos não disponível
Caso esteja procurando por novela Caboclo 2004, clique aqui.

Luís Jerônimo é um jovem rico. Mulherengo, passa a noite toda na rua bebendo e se divertindo com prostitutas, o rapaz descobre que está com pneumonia. Aconselhado por Edmundo Esteves, seu médico, decide passar uma temporada na fazenda de um primo na cidadezinha capixaba de Vila da Mata, em busca de ar puro, para evitar que a doença evolua para uma tuberculose.

Quando Luís Jerônimo chega à cidade, hospeda-se no hotel do casal Sinhá Bina e Zé da Estação, para esperar o primo, o coronel Boanerges, que vai levá-lo para sua fazenda. Basta uma noite no hotel para Luís se encantar com a filha de Zé e Bina, a cabocla tímida e arredia Zuca.

Para viver esse grande amor, eles enfrentarão muita resistência por conta das diferenças sociais e do fato de Zuca ser noiva do teimoso e encrenqueiro peão Tobias. E também pela chegada da espanhola Pepa, apaixonada por Luís, ex-amante do moço rico. Ela se estabelece na fazenda vizinha, de propriedade do coronel viúvo Justino, inimigo político do coronel Boanerges.

Ao lado da trama principal se desenrola a briga política entre os coronéis da região: Boanerges e Justino, rivais na política e na disputa pelo poder. Paralelamente a esse embate, acontece o amor entre Belinha e Neco. Ela é filha de Boanerges e Emerenciana; ele, de Justino, o que transformará esse romance numa espécie de Romeu e Julieta caipira que terá grande destaque na história.

Neco irá se transformar num novo líder na cidade. Bem-intencionado, ele trabalhará em prol do povo daquela região, enfrentando até mesmo o poderio dos coronéis.

E, em meio a tudo isso, eis que os sentimentos de Mariquinha, filha do coronel Justino e irmã de Neco, por Tobias afloraram, fazendo-os viverem um quarteto amoroso ao lado de Zuca e Luís Jerônimo.

Neco e Belinha

A briga pelo poder local de Vila da Mata é destacada na figura dos políticos mais influentes da região: os coronéis Boanerges (Cláudio Corrêa e Castro) e Justino (Gilberto Martinho). No meio dessa disputa, surge a paixão proibida entre seus filhos: Belinha (Simone Carvalho) e Neco (Kadu Moliterno), respectivamente. Os jovens enfrentam a oposição das duas famílias para poderem ficar juntos. Neco abandona os estudos e decide se dedicar à política local. Já Boanerges, para afastar sua filha do rapaz, decide levá-la para um convento. Sem vocação para seguir na vida religiosa, Belinha decide enfrentar o pai para viver o seu amor.

Ao longo da trama, Neco surge como o novo líder político na região. No final, Justino apoia a candidatura de Boanarges, colocando um fim à disputa política entre os dois. No último capítulo, Belinha e Neco se casam diante de uma plateia emocionada.

A atriz Gloria Pires adoeceu nos dois últimos capítulos da novela e foi substituída por Christiane Grossi, que era focalizada apenas de perfil.

Cabocla foi a estreia de Gloria Pires como protagonista de novelas. A atriz foi escalada para o papel depois do ótimo desempenho em Dancin’ Days (1978).

O romance de Ribeiro Couto já tinha sido adaptado pela extinta TV Rio, em 1959. Nessa época, as novelas não eram diárias, e os protagonistas Zuca e Luís Jerônimo foram interpretados por Glauce Rocha e Sebastião Vasconcellos.

Arlete Salles faria apenas uma participação especial, no primeiro capítulo da novela, como Pepa, uma das mulheres com as quais Luís Jerônimo (Fábio Jr.) se envolve no Rio de Janeiro, antes de chegar a Vila da Mata. A convite de Herval Rossano, no entanto, a personagem acabou voltando à trama.

A novela fez sucesso internacional e foi vendida para cerca de 20 países, entre eles Estados Unidos, Itália e Venezuela.

Cabocla foi reapresentada a partir de novembro de 1981, às 13h45, em Vale a Pena Ver de Novo.

Em 2004, Cabocla ganhou um remake adaptado por Edmara Barbosa e Edilene Barbosa, filhas de Benedito Ruy Barbosa. Na segunda versão, atriz Vanessa Giácomo viveu a personagem Zuca e o ator Daniel de Oliveira, o Luís Jerônimo.

Assim como Zuca e Luís Jerônimo, Gloria Pires e Fábio Jr. também se casaram na vida real após viverem o par na novela.

Elenco / Personagens

ZUCA (Glória Pires) – Filha de Zé da Estação (Carlos Duval) e Siá Bina (Ana Ariel). Moça do interior, cabocla simples, trigueira e bela. Charmosa na sua simplicidade, quase inocente. Noiva de Tobias (Roberto Bonfim), rompe o compromisso quando conhece Luís Jerônimo (Fábio Jr.), enfrentando tudo e todos pelo seu amor.

LUÍS JERÔNIMO (Fábio Jr.) – Filho de Joaquim (Milton Moraes), é um rapaz fino, educado e alegre. Vivencia suas paixões intensamente, porém sem responsabilidade. Não demonstra o menor interesse pelos negócios do pai, mesmo sabendo que um dia irá substituí-lo. Quando vai para o interior e conhece Zuca (Glória Pires), seu comportamento transforma-se radicalmente.

TOBIAS (Roberto Bonfim) – Filho de Felício (Oswaldo Louzada) e Generosa (Yara Salles). Caboclo forte, destemido, valente e brigão. Excelente cavaleiro, transporta boiadas pelos sertões. Como todos sabem de sua paixão por Zuca (Glória Pires) e temem sua reação, ninguém se atreve a olhar para a moça. Rapaz de pouca cultura, sofrerá com a separação de sua amada, mas saberá perdoá-la.

CORONEL BOANERGES (Cláudio Corrêa e Castro) – Marido de Emerenciana (Neuza Amaral) e pai de Belinha (Simone Carvalho). Chefe político da região e presidente da Câmara, é compadre de Zé da Estação (Carlos Duval) e Felício (Oswaldo Louzada). Primo de Joaquim (Milton Moraes) e Luís Jerônimo (Fábio Jr.), a quem abriga durante a sua recuperação. Abastado fazendeiro, sofre oposição do Coronel Justino, mas não lhe dá muita importância. É contra a violência, pacificador e mediador nas questões da região.

EMERENCIANA (Neuza Amaral) – Mulher do Coronel Boanerges (Cláudio Corrêa e Castro) e mãe de Belinha (Simone Carvalho). Simples e cativante, está sempre disposta a ajudar todo mundo. Mulher de pulso forte e atitudes claras, em algumas ocasiões consegue ser mais política do que o próprio marido. Embora não seja sofisticada, é uma excelente dona de casa.
BELINHA (Simone Carvalho) – Filha de Boanerges (Cláudio Corrêa e Castro) e Emerenciana (Neuza Amaral). Formou-se professora primária e quer lecionar, mas seu pai gostaria que ela fizesse um curso superior para ter um diploma. Tem uma visão moderna do mundo e discorda de algumas atitudes do pai.

CORONEL JUSTINO (Gilberto Martinho) – Prepotente e de espírito forte, tem a disposição de um garoto. Não se conforma com a liderança de Boanerges (Cláudio Corrêa e Castro) e luta contra ela, embora sem sucesso. Viúvo, sonha casar a filha Mariquinha (Fátima Freire) com um rapaz rico, que possa exercer na região o domínio que ele não conseguiu estabelecer.

MARIQUINHA (Fátima Freire) – Filha de Justino (Gilberto Martinho) e irmã de Neco (Kadu Moliterno). Estudou em Vitória, onde se formou professora. Por iniciativa própria, é mestra da única escola rural da região. Muito amiga de Tomé (Maurício do Vale), com quem costuma trocar confidências.

JOAQUIM (Milton Moraes) – Viúvo, pai de Luís Jerônimo (Fábio Jr.). Próspero comerciante, de caráter forte e educado, vive apenas para o trabalho, pensando no futuro do rapaz. Preocupa-se com o tipo de vida que o filho leva, principalmente depois que descobre sua doença. Passa a entender o amor dele por Zuca (Glória Pires) depois de redescobrir, ele mesmo, o amor.

PEQUETITA NOVAIS (Ísis Koschdoski) – Jovem intelectualizada, de grande personalidade e apreciável inteligência. Segura de si em seus atos, chega a parecer irreverente. Não é uma moça fácil, embora, às vezes, deixe transparecer isso. Acredita ter encontrado em Luís Jerônimo (Fábio Jr.) o grande amor, mas descobre mais tarde que está enganada, ao se apaixonar pelo pai do rapaz, Joaquim (Milton Moraes).
PEPA, LA SEVILLANA (Arlete Salles) – A grande paixão de Luis Jerônimo (Fábio Jr.) no início da novela. Dançarina espanhola, é atração das noites cariocas num cabaré frequentado pelo rapaz.

EDMUNDO ESTEVES (Roberto Murtinho) – Médico do Rio de Janeiro, especialista em doenças dos pulmões. Severo, exige obediência total de seus clientes. Vai descobrir a enfermidade de Luís Jerônimo (Fábio Jr.) e o obriga a deixar a vida agitada da cidade grande.

ZÉ DA ESTAÇÃO (Carlos Duval) – Marido de Siá Bina (Ana Ariel) e pai de Zuca (Glória Pires). Chefe da estação de Pau D’Alho e dono do único hotel da cidadezinha. Bom negociante, honesto e amigo, é uma pessoa estimada na região. Sonha um destino bom para sua filha única, mas sem grandes riquezas, e acredita que o casamento com Tobias (Roberto Bonfim) vai realizar todos os seus planos.

SIÁ BINA (Ana Ariel) – Mulher de Zé da Estação (Carlos Duval) e mãe de Zuca (Glória Pires). Cabocla da roça, que se casou com um homem generoso e trabalhador. Com a ajuda da filha, é responsável pelos encargos do hotel. Cozinheira e doceira de mão cheia, orgulha-se das suas aptidões, que a fazem o braço-direito de seu marido. Adora Tobias (Roberto Bonfim) e fica arrasada quando percebe o que se passa com a filha.

FELÍCIO (Oswaldo Louzada) – Marido de Generosa (Yara Salles) e pai de Tobias (Roberto Bonfim). Um dos caboclos mais antigos da região, aceita a perda de suas terras como uma fatalidade e não consegue forças para lutar contra o Coronel Justino. É de um conformismo sem tamanho em todas as questões, até mesmo quando perde a filha, que foge de casa. Homem triste, calejado, mas muito estimado na região por ser um grande contador de “causos”.

GENEROSA (Yara Salles) – Mãe de Tobias (Roberto Bonfim) e Tina (Patrícia Bueno), mulher de Felício (Oswaldo Louzada), de quem segue os passos e opiniões. Sofre por causa do gênio explosivo do filho e pela ausência de uma filha que fugiu. Não incentiva o marido a ir à luta nas questões das terras perdidas, pelo contrário, tenta conformá-lo com a perda.

TINA (Patrícia Bueno) – Filha de Felício (Oswaldo Louzada) e Generosa (Yara Salles). Seu irmão, Tobias (Roberto Bonfim), cuida para que não tenha o mesmo destino da outra irmã, que fugiu. É apaixonada por Tomé (Maurício do Vale), que não lhe corresponde, por não esquecer sua irmã.

TOMÉ (Maurício do Vale) – Com seu bom senso, evita as brigas do seu grande amigo Tobias (Roberto Bonfim), a quem segue por todos os cantos. Excelente cavaleiro, participa das raias domingueiras. Teve um único amor sério na vida: a filha fugida de Felício (Oswaldo Louzada).

NECO (Kadu Moliterno) – Filho de Justino (Gilberto Martinho) e irmão de Mariquinha (Fátima Freire). Abandona os estudos de Direito e volta para a sua terra para ser fazendeiro. Conhece Belinha (Simone Carvalho), filha de Boenerges, e entre os dois nasce uma grande amizade que se transforma numa relação mais forte.

CHICO (Augusto Olímpio) – Empregado de Zé da Estação (Carlos Duval). Cuida do bar anexo à sala do hotel, servindo bebidas e petiscos para caboclos da região e viajantes.

VIGÁRIO (Paulo Pinheiro) – De espírito bonachão, vive das doações dos caboclos, que tanto podem ser alguns trocados como pequenos animais que sirvam para a sua alimentação.
DOUTOR TELES (Cahuê Filho) – Médico de Vila da Mata. Faz de tudo, até mesmo partos difíceis. Atende Luís Jerônimo em sua permanência no interior. Gosta de bater papo com caboclos na venda de Pau D’Alho.

NASTÁCIO (Gilberto Costa) – Empregado de Boanerges (Cláudio Corrêa e Castro) na fazenda e em Vila da Mata. Faz todo tipo de trabalho, dentro e fora de casa, servindo ainda como motorista da família em passeios e viagens.

CHICO BENTO (Mário Polimeno) – Aliado de Boanerges (Cláudio Corrêa e Castro) na política, fazendeiro remediado da região. Adora uma boa prosa nas vendas das redondezas.

XEXÉU (José Maria Monteiro) – Tabelião de Vila da Mata, que atende também a clientela de Pau D’Alho. Homem matreiro e de boa conversa.

CAPITÃO MACÁRIO (Kleber Drable) – Coletor estadual. Apesar da idade, é homem de espírito jovial. Está sempre por dentro das novidades e discute com os amigos a situação política e econômica do Brasil na época.

RITINHA (Iris Nascimento) – Empregada de Boanerges (Cláudio Corrêa e Castro) na fazenda.

JULIETA (Marlene Figueiró) – Empregada de Justino (Gilberto Martinho) na fazenda.

ZAQUEU (Cosme dos Santos) – Dono de uma venda na beira da estrada.

ANDRÉ (Francisco Dantas) – Delegado da cidade.

Trilha Sonora Nacional e Internacional

Andorinha
Compositores: Gilson
Intérprete: Gilson

Pelo Sinal
Compositores: Ruy Maurity/ José Jorge
Intérprete: Ruy Maurity

Confidência
Compositores: Raul Sampaio/ Benil Santos
Intérprete: Fafá de Belém

Assim é Meu Sertão
Compositores: Clayton Oliveira/ Osvaldo Mello
Intérprete: Sérgio Reis

Morro Velho
Compositores: Milton Nascimento
Intérprete: Milton Nascimento

Mágoas de Caboclo – Tema de abertura
Compositores: Leonel Azevedo/ J. Cascata
Intérprete: Nelson Gonçalves

Amora – Tema de Zuca
Compositores: Renato Teixeira
Intérprete: Renato Teixeira

Você Vai Gostar
Compositores: Elpídio dos Santos
Intérprete: Vanusa

Até Parece Um Sonho
Compositores: Maxime/ Odair José
Intérprete: Odair José

Gosto de Maçã
Compositores: Wando
Intérprete: Cauby Peixoto

Cavalo Zaino – Tema de Boanerges
Compositores: José Toledo
Intérprete: José Toledo

Andorinha Preta / Sabiá Laranjeira
Compositores: Breno Ferreira – Milton de Oliveira/ Max Bulhões
Intérprete: Nara Leão

O Trem Tá Feio
Compositores: Tavinho Moura/ Murilo Antunes
Intérprete: Banda de Pau e Corda

0 Comentário para: “Cabocla (1979) Resumo | Personagens | Trilha Sonora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *