Selva de Pedra (1972) Resumo | Personagens | Trilha Sonora

Confira o resumo da novela Selva de Pedra (1972) desde o primeiro capítulo. Além do resumo você terá informações sobre a história, personagens e trilha sonora. Fique por dentro das novidades das novelas, aqui você encontra o resumo completo de Selva de Pedra (1972) e de todas as novelas da Globo.

Sobre a Novela Selva de Pedra (1972)

◘ Período de exibição: 10/04/1972 – 23/01/1973
◘ Horário: 20h
◘ Nº de capítulos: 243
◘ Autoria: Janete Clair
◘ Direção: Daniel Filho e Walter Avancini
◘ Codireção: Reynaldo Boury e Milton Gonçalves

A ascensão do jovem interiorano Cristiano Vilhena (Francisco Cuoco), que, seduzido pelo poder, põe em risco sua felicidade ao lado da mulher, Simone (Regina Duarte), é o mote da trama. A ambição aproxima o protagonista do vilão Miro (Carlos Vereza), capaz de tudo para eliminar qualquer obstáculo à ascensão social de Cristiano e, por tabela, à sua própria.

O jovem Cristiano Vilhena leva uma vida simples e sem maiores perspectivas em Campos, no interior do Rio de Janeiro. Seu pai, o beato Sebastião (Mário Lago), é um pastor evangélico que o obriga a tocar o bumbo durante seus sermões na praça da cidade. Sua família sobrevive do pouco dinheiro que ganham vendendo medalhas e flores artificiais durante os sermões. Alvo da zombaria dos outros rapazes, Cristiano acaba brigando com um deles, que puxa uma faca e, durante a briga, acaba sendo vítima de sua própria arma, morrendo em seguida. A única testemunha da cena é a jovem escultora Simone Marques (Regina Duarte): sabendo que Cristiano é inocente, ela o abriga em sua casa. Com medo de ser acusado pela morte do rapaz, Cristiano deixa a cidade com Simone para morar no Rio de Janeiro (na Guanabara, antiga capital fluminense).

Na cidade grande, Cristiano e Simone se apaixonam e se casam. Os dois vão morar na pensão de Fany (Heloísa Helena). Enquanto Simone investe na carreira de artista plástica, Cristiano se torna amigo de Miro, um aproveitador que, ao perceber no jovem interiorano a ambição e o desejo de vencer na vida, estimula-o a entrar em contato com seu tio Aristides (Gilberto Martinho), irmão de seu pai, Sebastião. Os dois irmãos herdaram o estaleiro Celmu, de propriedade do pai. Sebastião, decidido a se tornar beato, doou a sua parte para instituições de caridade, enquanto Aristides prosperou como dono do estaleiro – embora tenha tentado ajudar o irmão, seu auxílio sempre foi recusado.

Graças a um plano de Miro, Cristiano consegue conhecer o tio. Os dois simulam um assalto na saída de uma festa, no qual um colar da mulher de Aristides, Laura (Arlete Salles), é roubado. Fingindo enfrentar os assaltantes, Cristiano e Miro recuperam a joia e a devolvem, ganhando a simpatia do empresário. Quando descobre que Cristiano é seu sobrinho, Aristides contrata os dois. Cristiano começa a se destacar no trabalho no estaleiro e a frequentar a casa de Aristides, estreitando laços com o tio, o primo Caio (Carlos Eduardo Dolabella) e sua noiva Fernanda (Dina Sfat). Fernanda se interessa por ele, e os dois se envolvem, já que Cristiano não conta a ninguém que é casado. Sabendo que o noivado de Fernanda e Caio vai mal e está prestes a chegar ao fim, Aristides vê com bons olhos a perspectiva de um casamento da moça com seu sobrinho: Fernanda detém 46% das ações do estaleiro, e seu marido seria o acionista majoritário da empresa.

Cada vez mais confuso e seduzido pelo poder, Cristiano chega a terminar a relação com Simone, sem saber que ela está grávida. Decepcionada, ela se recusa a aceitar o desquite e o abandona na pensão, indo morar na casa que usa como estúdio, em Petrópolis, na região serrana do Rio. Miro vê em Simone o principal obstáculo à ascensão social de Cristiano e, por tabela, à sua própria, e sugere que ele elimine a esposa. Cristiano se revolta com a proposta, e os dois brigam. Enquanto Cristiano sai decidido a pedir perdão a Simone e abandonar o emprego no estaleiro, Miro envia para a casa de Petrópolis uma carta endereçada ao amigo na qual, entre outras coisas, reafirma que ele devia matar a mulher. Depois, decide ir falar pessoalmente com Cristiano. Nesse meio tempo, Simone lê a carta e passa a acreditar que Cristiano está planejando seu assassinato. Desesperada, ela foge de casa, junto com a empregada da casa, Madalena (Tamara Taxman), que entra no carro, preocupada com o estado transtornado da patroa. Nesse exato momento, Miro surge de táxi e, acreditando que Cristiano está fugindo dele com Simone, inicia uma perseguição. Durante a fuga, o carro de Simone capota na estrada Rio-Petrópolis e se incendeia. Madalena morre. Simone escapa com vida, mas perde a criança. Deixando que todos acreditem que está morta, Simone vai embora do Brasil.

Cristiano é dado como viúvo e marca o casamento com Fernanda. Mas o rapaz se sente responsável pela morte da mulher e, culpado, deixa Fernanda no altar.

Aristides morre logo em seguida e deixa a maior parte de suas ações no estaleiro para o sobrinho, que se torna o presidente do Celmu. Fernanda se casa com Caio e passa a perseguir obsessivamente o ex-noivo em busca de vingança. Sua primeira providência é encomendar a Cristiano a entrega de um navio. Durante o processo, ela tenta sabotar o projeto de todas as formas, chegando a contar com a ajuda de Miro para roubar peças importantes do estaleiro.

Um ano mais tarde, depois de se consagrar como artista plástica na França, Simone retorna ao Brasil sob a identidade de Rosana Reis, sua suposta irmã gêmea. Cristiano a reconhece, mas ela se recusa a revelar sua identidade, porque está convencida de que o marido quis assassiná-la. Simone é chamada a depor pelo delegado responsável por investigar o desaparecimento de Madalena, a empregada que estava no carro com ela no dia do acidente. Confrontada com os pais da empregada e com uma testemunha ocular do desastre, ela admite ter se aproveitado do ocorrido para forjar uma nova identidade: paga a fiança pelo crime de falsa identidade e responde ao processo pela morte de Madalena.

Cristiano tenta várias vezes provar sua inocência à Simone, mas ela o rejeita, fazendo questão de dizer que quer viver exclusivamente para sua arte. Embora ainda o ame, ela não consegue se convencer de que ele não planejara sua morte. Fernanda, que se aproximou de Simone quando ainda achava que ela era Rosana Reis, contribui para essa atitude, estimulando a escultora a desprezar o ex-marido. O pai de Simone, Francisco (Arnaldo Weiss), também não gosta de Cristiano.

Quando Cristiano e Simone finalmente se entendem e reafirmam seu amor um pelo outro, os pais do jovem que morreu durante a briga com ele reaparecem e dão queixa contra o empresário, que é preso e levado à corte para ser julgado.

Instruídos pelo advogado de defesa e por Caio, Simone e Cristiano fingem continuar separados e se odiando. Assim, no dia do julgamento, o depoimento de Simone ganharia mais credibilidade para provar a inocência do marido.

Francisco não se conforma diante da perspectiva de que Cristiano e sua filha reatem, e conta para Fernanda a verdade sobre o estratagema. Cada vez mais obcecada em se vingar de Cristiano, e mostrando sinais claros de perturbação mental, ela sequestra Simone na véspera do julgamento e a aprisiona em um quarto escuro, num casarão que pertencera a seu avô e cujo endereço todos desconhecem. Imitando a voz de Simone, ela liga para o advogado de Cristiano e diz que desistiu de ajudá-lo e não vai mais depor.

Cristiano entra em desespero, mas, apesar da ausência de Simone, os depoimentos a seu favor são bons o bastante para que o advogado consiga o relaxamento da prisão e ele passe a aguardar o pronunciamento do juiz em liberdade. Profundamente decepcionado, ele acredita que a mulher o abandonou de vez e começa a entrar em franco estado de decadência, perdendo o rumo nos negócios e acumulando dívidas. O prazo para a entrega do navio de Fernanda se esgota, e ele não consegue terminar as obras. Caio assume a presidência do grupo.

Simone fica prisioneira de Fernanda durante dois meses. No dia do julgamento final de Cristiano, seu paradeiro é finalmente descoberto por Caio. Ele vai até a casa acompanhado pela polícia e encontra Fernanda completamente louca, vestida com um véu de noiva e balbuciando frases desconexas no jardim. Simone é encontrada amordaçada e amarrada numa cama. Muito pálida e quase sem forças, ela é levada de cadeira de rodas até o tribunal a tempo de dar seu testemunho da inocência de Cristiano. Ao seu depoimento soma-se, na última hora, a voz do empresário Neves (Francisco Dantas), pai do jovem morto, confirmando que a arma do crime pertencia ao seu filho. Cristiano é declarado inocente. Depois do sequestro de Simone, Fernanda termina internada num hospital psiquiátrico. Miro morre. Como forma de recompensa pelos transtornos causados por Fernanda, Caio dá a Cristiano um dos navios do estaleiro para que ele recomece a vida. Na cena final da novela, ele e Simone se abraçam e se beijam no convés do navio.

Resumo de Todos os Capítulos da Novela Selva de Pedra (1972)

** Resumo não divulgado

Cristiano Vilhena leva uma vida simples e pacata, sem grandes perspectivas em Campos, uma cidade do interior do Estado do Rio de Janeiro, e é obrigado a tocar bumbo na praça da cidade durante os sermões do pai Sebastião, um pastor evangélico pobre. Sua família sobrevive do pouco dinheiro que ganham vendendo medalhas e flores artificiais durante os sermões, tornando Cristiano alvo de zombaria dos demais rapazes. Cristiano acaba brigando com um deles, Gastão Neves, que puxa uma arma e, durante a briga, acaba sendo vítima de sua própria arma. A única testemunha do incidente é a jovem artista plástica Simone Marques. Sabendo que Cristiano é inocente, Simone acoberta o rapaz, abrigando em sua casa, e ele receoso e com medo de ser acusado pela morte do rapaz, deixa a cidade, para morar na cidade do Rio de Janeiro, na época pertencente ao Estado da Guanabara e, Simone acompanha, vislumbrando um futuro melhor para a sua carreira artística.

Cristiano e Simone apaixonam-se, e se casam indo morar na Pensão Palácio, de propriedade da alegre Funny, uma ex-vedete. Enquanto Simone investe na carreia de artista plástica, Cristiano se torna amigo do malandro Miro um aproveitador que, ao perceber em Cristiano à ambição de vencer na vida, estimula-o a entrar em contato com o tio rico, Aristides Vilhena, irmão do pai de Cristiano, Sebastião. Os dois irmãos receberam um estaleiro Celmu, como herança do pai, e Sebastião decidido a tornar-se um pregador evangélico, doou a sua parte para as instituições de caridade, enquanto Aristides prosperou como dono do estaleiro, embora tenha tentado ajudar o irmão, seu auxílio sempre foi recusado.

Graças a um plano de Miro, Cristiano consegue conhecer o tio. Os dois simulam um assalto na saída de uma festa, no qual um colar da mulher de Aristides, Laura, é roubado. Fingindo enfrentar os assaltantes, Cristiano e Miro recuperam a joia e a devolvem, ganhando a simpatia do empresário. Aristides ao descobrir que Cristiano é seu sobrinho, filho de Sebastião, contrata ele para trabalhar no estaleiro. Cristiano começa a se destacar no trabalho e a frequentar a casa de Aristides, estreitando os laços com seu tio, seu primo, Caio e a noiva dele, Fernanda.

Fernanda se interessa por Cristiano, e os dois se envolvem, já que Cristiano esconde de todos que é casado. Sabendo que o noivado de Fernanda e Caio vai mal e está prestes a chegar ao fim, Aristides vê com bons olhos a perspectiva de um casamento da moça com seu sobrinho, pois Fernanda detém 46% das ações do estaleiro, e seu marido seria o acionista majoritário da empresa. Cada vez mais confuso e seduzido pelo poder, Cristiano chega a colocar sua felicidade em risco ao romper seu casamento com Simone, sem saber que ela está grávida. Decepcionada, Simone o abandona na pensão indo morar na casa que usa como estúdio, em Petrópolis.

Miro vê em Simone o principal obstáculo à ascensão de Cristiano e, por tabela, à sua própria, e sugere que Cristiano deva elimina-la. Cristiano se revolta com a proposta, e os dois brigam. Enquanto Cristiano sai decidido a pedir perdão a Simone e disposto a abandonar o emprego no estaleiro, Miro envia para o estúdio dela, uma carta endereçada ao amigo na qual, afirma que, Cristiano pretende matar a própria esposa.

Depois de decidir, falar pessoalmente com Cristiano, Simone lê a carta, e passa a acreditar que Cristiano está planejando seu assassinato, desesperada, ela foge, junto com a empregada da casa, Madalena, que entra no carro, preocupada com o estado de Simone. Neste exato momento, Miro surge de táxi, e acreditando, que Cristiano está fugindo dele com Simone, inicia uma perseguição. Durante a fuga, o carro de Simone capota na estrada, se incendeia e explode. Madalena morre, e Simone escapa com vida, mas perde a criança. Simone deixa que todos acreditem que está morta e vai embora do país.

Cristiano, se sentido responsável pela morte de sua mulher, abandona Fernanda no altar.1 Humilhada e naturalmente vingativa, ela perseguira Cristiano, obsessivamente, buscando vingança. Aristides morre e deixa maior parte de suas ações para o sobrinho, que se torna o presidente do estaleiro, e Fernanda reata o noivado com Caio, quem ela abandonou para se casar com Cristiano. E sua primeira providência é encomendar a Cristiano a entrega de um navio e, durante o processo, tenta atrapalhar o projeto de todas as formas, chegando a contar com a ajuda de Miro para roubar o estaleiro.

Após ganhar o desprezo de Cristiano, por ter, participação na morte de Simone, e ser investigado pelo envolvimento nos roubos do estaleiro, Miro decide se refugiar durante algum tempo em Teresópolis, no sítio de Maria Amélia, avó de Fernanda. No início, ele se aproveita da sua imagem de marginal para intimidá-la, mas acaba se afeiçoando à senhora e ao seu jeito doce, que preenche a enorme necessidade de carinho que carrega desde a infância, devido ao desprezo que recebia dos pais. Quando o convívio com Maria Amélia parecia estar começando a humanizar Miro, a polícia fica sabendo do seu paradeiro e aparece para prendê-lo. Avisado a tempo por Fernanda, Miro foge de carro, mas, a gasolina do veículo acaba no meio da estrada, e ele começa a andar a pé, entre os carros, e perturbado pelas lembranças dos pais, até ser atropelado por um caminhão e morrer.

Depois de se consagrar como artista plástica na França, Simone retorna ao Brasil sob a identidade de Rosana Reis, sua suposta irmã gêmea. Cristiano a reconhece, mas ela se recusa a revelar sua identidade. Simone é chamada para depor pelo delegado responsável por investigar o desaparecimento de Madalena, a empregada que estava no carro com ela no dia do acidente. Confrontada pelos pais da empregada e com uma testemunha ocular do desastre, ela admite ter aproveitado do ocorrido para forjar uma nova identidade, e paga uma fiança pelo crime de falsidade ideológica e responde ao processo pela morte de Madalena.

Cristiano tenta várias vezes provar sua inocência à Simone, mas ela o rejeita, fazendo questão de dizer que quer viver exclusivamente para sua arte, embora ainda o ame, ela não consegue se convencer de que ele não planejou sua morte. Fernanda, que se aproximou de Simone, quando ainda achava que ela era Rosana Reis, contribui para essa atitude, estimulando a escultora a desprezar o ex-marido. O pai de Simone, Francisco, também não gosta de Cristiano.

Quando Cristiano e Simone finalmente se entendem e reafirmam seu amor um pelo outro, os pais do jovem que morreu durante a briga com ele reaparecem e dão queixa contra o empresário, que é preso e levado à corte para ser julgado. Instruídos pelo advogado de defesa e por Caio, Simone e Cristiano fingem continuar separados e se odiando. Assim, no dia do julgamento, o depoimento de Simone ganharia mais credibilidade para provar a inocência do marido. Francisco, pai de Simone, fica inconformado diante da perspectiva de que Cristiano e sua filha reatem, e revela para Fernanda a verdade sobre o estratagema.

Fernanda, cada vez mais obcecada em se vingar de Cristiano, e mostrando sinais claros de seu desequilíbrio mental, sequestra Simone e a aprisiona num casarão abandonado que pertenceu ao seu avô, cujo endereço todos desconhece. Ela, imitando a voz de Simone, liga para o advogado de Cristiano e diz que desistiu de testemunhar a seu favor no julgamento. Cristiano entra em desespero, mas, apesar da ausência de Simone, os depoimentos a seu favor são bons o bastante para que o advogado consiga o relaxamento da prisão e Cristiano passe a aguardar o pronunciamento do juiz em liberdade. Profundamente decepcionado, ele acredita que a mulher o abandonou de vez e começa a entrar em franco estado de decadência, perdendo o rumo nos negócios e acumulando dívidas. O prazo para a entrega do navio de Fernanda se esgota, e ele não consegue terminar as obras, e Caio assume a presidência da empresa.

Simone fica prisioneira de Fernanda durante dois meses. E no dia do julgamento de Cristiano, seu paradeiro é finalmente descoberto por Caio, que está indo para a casa acompanhado pela polícia e encontra Fernanda, completamente louca, vestida com um véu de noiva e pronunciando frases desconexas no jardim da casa. Simone é encontrada amordaçada e amarrada numa cama, muito pálida e quase sem forças, teve de ser levada de cadeira de rodas até o tribunal a tempo de dar seu testemunho da inocência de Cristiano. Ao seu depoimento soma-se, na última hora, a voz do empresário, Neves, pai do jovem morto, confirmando que a arma do crime pertencia ao filho, e Cristiano é declarado inocente. Depois do sequestro de Simone, Fernanda termina internada num hospital psiquiátrico, e como forma de recompensar pelos transtornos causados por Fernanda, Caio dá a Cristiano um dos navios do estaleiro para que ele recomece a vida. Na cena final da novela, Cristiano e Simone se abraçam e se beijam no convés do navio.

Selva de Pedra obteve a maior audiência da história da televisão brasileira até então, comprovando a força da telenovela como veículo de cultura de massa. No Rio de Janeiro, segundo registro do Ibope na época, a trama atingiu 100% de share – número de televisores ligados no horário – no capítulo 152, em que a identidade de Rosana Reis é revelada.

Selva de Pedra marcou a estreia na TV Globo do diretor Walter Avancini, egresso da TV Tupi. Ele assumiu a trama por volta do capítulo 30, quando Daniel Filho teve de se afastar da produção, comprometido com outras funções na emissora. A essa altura, Milton Gonçalves e Reynaldo Boury também já haviam dirigido a novela.

A história de Selva de Pedra teve como ponto de partida uma notícia de jornal. Em uma praça do interior de Pernambuco, um jovem tocador de bumbo mata um rapaz que o havia ridicularizado. A partir dessa ideia, Janete Clair escreveu a trama da novela, que também teve como inspiração Uma Tragédia Americana, do escritor americano Theodore Dreiser. O romance havia sido levado às telas de cinema em 1931, por Josef Von Sternberg, com Philips Holmes, Sylvya Sydney e Francis Dee. Em 1951, George Stevens também adaptou o livro e dirigiu A Place in the Sun, com Montgomery Cliff, Elizabeth Taylor e Sheryl Winters. Selva de Pedra consolidou Janete Clair como grande autora popular.

O principal par romântico de Selva de Pedra fez enorme sucesso. Em novembro de 1972, Francisco Cuoco e Regina Duarte foram eleitos os “Reis da Televisão” pelos leitores da Amiga, revista especializada na cobertura de TV. A publicação promoveu a eleição em parceria com o Programa Silvio Santos, na época transmitido pela Rede Globo.

No papel de Cristiano Vilhena, Francisco Cuoco fazia seu primeiro protagonista em uma novela do horário nobre. Ele conta que construiu o personagem inspirado em rapazes que conheceu durante sua infância no Brás, bairro operário de São Paulo: jovens que jogavam bola nos campos de várzea e paqueravam as moças nos bares, inseguros quanto ao rumo que dariam à sua vida.

A novela de Janete Clair foi o primeiro trabalho dos atores Kadu Moliterno e Gloria Pires na TV Globo. Kadu conta que fazia teatro no Rio quando bateu à porta da casa da autora para pedir uma chance. Ganhou o papel de Oswaldo, jovem motorista da personagem Laura (Arlete Salles).

Gloria Pires tinha oito anos de idade quando interpretou Fátima, criança que morava na pensão em que Cristiano e Simone se hospedam ao chegar à cidade grande. Apesar da pouca idade, ela já havia trabalhado em A Pequena Órfã, novela exibida pela TV Excelsior em 1968.

Na sinopse original, a dona da galeria de arte em que Simone expunha seus trabalhos seria uma japonesa chamada Madame Katzuki, mas a atriz escalada para o papel deixou o elenco em cima da hora. O personagem acabou sendo feito por Ida Gomes. A atriz conta que o diretor Daniel Filho perguntou se ela sabia fazer algum sotaque. Ela respondeu que fazia o sotaque francês com perfeição. Madame Katzuki passou, então, a ser uma francesa que havia se casado com um japonês, e tudo foi resolvido.

Um compacto de Selva de Pedra foi ao ar entre agosto e novembro de 1975, para substituir às pressas a primeira versão de Roque Santeiro, vetada pela Censura.
Em 1986, foi ao ar na TV Globo um remake da novela, escrito por Regina Braga e Eloy Araújo. Tony Ramos e Fernanda Torres interpretaram o casal protagonista, Christiane Torloni viveu Fernanda, e Miguel Falabella foi o intérprete de Miro.

Miro
Após ganhar o desprezo de Cristiano (Francisco Cuoco) por sua participação no acidente de Simone (Regina Duarte) e começar a ser investigado pelo envolvimento no roubo de peças do estaleiro, Miro decide se refugiar durante uns tempos em Teresópolis, no sítio de Maria Amélia (Lícia Magna), mãe de Fernanda (Dina Sfat). No início, ele se aproveita da sua figura marginal para intimidá-la, mas acaba se afeiçoando à senhora e ao seu jeito doce, que preenche a enorme necessidade de carinho que carrega desde a infância, devido aos maus-tratos dos pais. Quando o convívio com Maria Amélia parece estar começando a humanizar Miro, a polícia fica sabendo do seu paradeiro e aparece para prendê-lo. Avisado a tempo por Fernanda, ele foge de carro. A gasolina do veículo acaba no meio da estrada, e ele começa a andar a pé por entre os carros, assaltado por lembranças dos pais, até ser atropelado por um caminhão e morrer.

Carlos Vereza teve um desempenho brilhante e elogiado pela crítica no papel de Miro, o vilão manipulador e, ao mesmo tempo, carente e carismático. Ele conta que usou as próprias emoções e seu universo interior para construir o personagem, cheio de sentimentos contraditórios. Alguns detalhes criados pelo ator para a personalidade de Miro acabaram sendo incorporados por Janete Clair, como a paixão pela cantora Ângela Maria. A autora passou a incluir nos scripts pequenas notas pedindo que Vereza improvisasse imitações da cantora durante uma ou outra cena. Os diálogos de Miro eram repletos de gírias, e Carlos Vereza criou uma que acabou caindo na boca do povo: a expressão “amizadinha”.

Flávia e Walkíria
Neuza Amaral sobressaiu no papel de Walkíria. A personagem assassina o amante, Sérgio (Eliano de Souza), por ciúmes da filha, Flávia (Sônia Braga), e depois assiste, impassível, à cena em que a jovem, traumatizada a ponto de perder a fala, é responsabilizada pelo crime.

Elenco
Adriano Lisboa – Delegado
Agnes Fontoura – Irene
Aldo Delano
Álvaro Aguiar – Pedro
Ana Ariel – Berenice
Ângela Leal – Jane
Antonio Ganzarolli – Pipoca
Antônio Patiño – Juiz
Antônio Vitor – Bartolomeu
Arlete Salles – Laura
Arnaldo Weiss – Chico
Buza Ferraz – Junior
Carlos Eduardo Dolabella – Caio
Carlos Vereza – Miro
Célia Coutinho – Cíntia
Denise Emmer – Monique
Dina Sfat – Fernanda
Dorinha Duval – Diva
Edney Giovenazzi – Jorge
Eliano Medeiros – Sérgio
Emiliano Queiroz – Marcelo
Francisco Cuoco – Cristiano Vilhena
Francisco Dantas – Neves
Francisco Milani – Sales
Francisco Silva
Germano Filho – Abude
Gilberto Martinho – Aristides
Glória Pires – Fátima
Heloísa Helena – Fany
Hildegard Angel – Beatriz
Ida Gomes – Heloise Katzuki
Ivan Cândido – Baby
Jaime Saldanha
João Paulo Adour – Guido
José Steinberg – Isaac
Juan Daniel
Jurema Penna – Sofia
Kadu Moliterno – Oswaldo
Léa Garcia – Terezinha
Lícia Magna – Maria Amália
Lídia Mattos – Vivi
Louise Macedo – Clarice
Lourdinha Bittencourt
Luiz Armando Queiroz – Beto
Marcos Wainberg – César
Marcus Toledo
Maria Cláudia – Kátia
Mário Lago – Sebastião
Mary Daniel
Miguel Rosenberg
Miriam Teresa – Jandira
Neuza Amaral – Walquíria
Regina Duarte – Simone
Roberto Bomfim – Zé
Rogério Fróes – Roger
Rogério Pitanga
Sônia Braga – Flávia
Sônia Clara – Lúcia
Suzana Faini – Olga
Tessy Callado – Zelinha
Tamara Taxman – Madalena
Terciliano Júnior
Tony Ferreira – Delegado
Urbano Lóes – Feliciano
Vinícius Salvatore
Walter Mattesco

Elenco / Personagens

CRISTIANO VILHENA (Francisco Cuoco) Jovem ambicioso do interior, filho de Sebastião (Mário Lago) e Berenice (Ana Ariel), e irmão de Diva (Dorinha Duval) e Zelinha (Tessy Callado).

SIMONE / ROSANA REIS (Regina Duarte) filha de Chico (Arnaldo Weiss) e esposa de Cristiano (Francisco Cuoco). Sofre um atentado planejado por Miro (Carlos Verez), amigo de seu marido, finge ter morrido e deixa o Brasil. Volta ao país como uma consagrada artista plástica, sob a falsa identidade de Rosana Reis. Termina a novela com Cristiano, depois de sofrer com as ameaças de Fernanda (Dina Sfat), ex-noiva dele.

FERNANDA (Dina Sfat) Acionista do estaleiro Celmu e noiva de Caio (Carlos Eduardo Dolabella). No decorrer da novela, envolve-se com Cristiano (Francisco Cuoco), mas, ao ser abandonada no altar, passa a alimentar um amor doentio por ele.

MIRO (Carlos Vereza) um mau-caráter que se aproxima de Cristiano (Francisco Cuoco) na intenção de ascender socialmente, mesmo que por meios escusos. É o autor do atentado contra Simone (Regina Duarte).

CAIO (Carlos Eduardo Dolabella) Filho de Aristides (Gilberto Martinho) e noivo de Fernanda (Dina Sfat), até que ela se envolva com Cristiano (Francisco Cuoco), seu primo.

ARISTIDES (Gilberto Martinho) Pai de Caio (Carlos Eduardo Dolabella) e tio de Cristiano (Francisco Cuoco), presidente do estaleiro Celmu.

LAURA (Arlete Salles) Mulher fútil, interessada em luxo e riqueza, e que está sempre atrás de namoros com velhos ricos. Casa-se com Aristides (Gilberto Marinho). Apaixona-se pelo motorista, Oswaldo (Kadu Moliterno).

SEBASTIÃO (Mário Lago) Marido de Berenice (Ana Ariel), pai de Cristiano (Francisco Cuoco), Diva (Dorinha Duval) e Zelinha (Tessy Callado) e irmão de Aristides (Gilberto Martinho). Abriu mão de sua herança para viver como beato.

BERENICE (Ana Ariel) Mulher de Sebastião (Mário Lago) e mãe de Cristiano (Francisco Cuoco), Diva (Dorinha Duval) e Zelinha (Tessy Callado).

DIVA (Dorinha Duval) filha de Sebastião (Mário Lago) e Berenice (Ana Ariel) e irmã de Cristiano (Francisco Cuoco) e Zelinha (Tessy Callado).

ZELINHA (Tessy Callado) filha de Sebastião (Mário Lago) e Berenice (Ana Ariel) e irmã de Cristiano (Francisco Cuoco) e Diva (Dorinha Duval).

WALQUÍRIA (Neuza Amaral) Mãe de Flávia (Sônia Braga) e amante de Sérgio (Eliano de Souza).

FLÁVIA (Sônia Braga) Filha de Walkíria (Neuza Amaral).

FRANCISCO / CHICO (Arnaldo Weiss) Pai de Simone (Regina Duarte).

SÉRGIO (Eliano de Souza) Amante de Walkíria (Neuza Amaral).

NEVES (Francisco Dantas) Pai do rapaz morto durante briga com Cristiano (Francisco Cuoco).

FÁTIMA (Gloria Pires) Criança que mora na pensão de Fany (Heloísa Helena).

FANY (Heloísa Helena) Dona da pensão onde Simone (Regina Duarte) e Cristiano (Francisco Cuoco) se hospedam.

HELOISE KATZUKI (Ida Gomes) Dona da galeria de arte onde Simone (Regina Duarte) expõe seus quadros.

OSWALDO (Kadu Moliterno) Jovem motorista de Laura (Arlete Salles), com quem tem um caso.

MARIA AMÉLIA (Lícia Magna) Mãe de Fernanda (Dina Sfat).

MADALENA (Tamara Taxman) Empregada de Simone (Regina Duarte).

Trilha Sonora Nacional e Internacional

Nacional:
Capitão de Indústria
Compositores: Marcos Valle / Paulo Sérgio Valle
Intérprete: Djalma Dias

Mandato
Compositores: Marcos Valle / Paulo Sergio Valle / Osmar Milito
Intérprete: Osmar Milito e Quarteto Forma

Simone
Compositores: Marcos Valle / Paulo Sérgio Valle
Intérprete: Ângela Valle e Eustáquio Sena

Corpo Sano em Mente Sã
Compositores: Marcos Valle / Paulo Sérgio Valle
Intérprete: Ormar Milito e Quarteto Form

Selva de Pedra
Compositores: Marcos Valle / Paulo Sérgio Valle
Intérprete: Orquestra e Coral Som Livre [Tema de abertura]

Rhythmetron Op. 27
Compositores: Marlos Nobre
Intérprete: Marlos Nobre e Orquestra

O Beato
Compositores: Marcos Valle / Paulo Sérgio Valle
Intérprete: Marcos Valle

Ligação
Compositores: Marcos Valle / Paulo Sérgio Valle
Intérprete: Orquestra e Coral Som Livre

América Latina
Compositores: Marcos Valle / Paulo Sérgio Valle
Intérprete: Osmar Milito e Quarteto Forma

Corpo Jovem
Compositores: Marcos Valle / Paulo Sérgio Valle
Intérprete: Luís Roberto

Longo de Dior
Compositores: Marcos Valle / Paulo Sérgio Valle
Intérprete: João Luiz

Ritual
Compositores: Marcos Valle / Paulo Sérgio Valle
Intérprete: Marlon Nobre

Internacional:
Rock And Roll Lullaby – Tema de Simone e Cristiano
Compositores: Barry Mann / Cynthia Well
Intérprete: B.J. Thomas

Jesus
Compositores: M. Hamburguer / P. Darjean
Intérprete: Billbox Group

Floy Joy
Compositores: W. Robinson
Intérprete: The Supremes

Ain’t no Sunshine – Tema de Fernanda
Compositor: B. Withers
Intérprete: Michael Jackson

Son of My Father
Compositores: G. Moroder /M. Holm / P. Pellotte
Intérprete: Giorgio

A Taste Of Excitement – Tema de Cristiano
Compositor: Kelth Mansfield
Intérprete: Carnaby Street Pop Orchestra and Choir

La Question – Tema de Jorge Moreno
Compositores: Tuca/F. Hardy
Intérprete: Françoise Hardy

Mary Blind Mary – Tema de Miro
Compositores: M. laurente/Luc Au’Ivier
Intérprete: Laurent & Mardi Gras

If You Want More – Tema de Fernanda
Compositores: W. Blanc/A. Faye
Intérprete: Free Sound Orchestra

Feel The Need
Compositores: A. Tilmon
Intérprete: Damon Shawn

Let It Ride
Compositores: B. Findon/P. Shelley
Intérprete: Hard Horse

Frightened Girl
Compositores: J. Akiness /J. Bellmon /R. Turner / V. Drayton
Intérprete: Silent Majority

0 Comentário para: “Selva de Pedra (1972) Resumo | Personagens | Trilha Sonora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *