Pacto de Sangue Resumo | Personagens | Trilha Sonora

Confira o resumo da novela Pacto de Sangue desde o primeiro capítulo. Além do resumo você terá informações sobre a história, personagens e trilha sonora. Fique por dentro das novidades das novelas, aqui você encontra o resumo completo de Pacto de Sangue e de todas as novelas da Globo.

Sobre a Novela Pacto de Sangue

◘ Período de exibição: 08/05/1989 – 23/09/1989
◘ Horário: 18h
◘ Nº de capítulos: 119
◘ Autoria: Regina Braga
◘ Colaboração: Sérgio Marques
◘ Direção: Herval Rossano
◘ Direção executiva I: Paulo Ubiratan

Escravidão e preconceito racial são os temas centrais da novela, ambientada em 1870, anos antes da Abolição, em Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense. A história tem início com o jovem Antônio (Marcelo Serrado) à beira da morte depois de ajudar um negro a escapar da fazenda de seu próprio pai. Antes de morrer, Antônio pede para que seu pai, o juiz Queiroz Antunes (Carlos Vereza), crie o pequeno escravo Bento (Armando Paiva) como se fosse seu próprio filho. O fazendeiro, líder do Partido Conservador na cidade, atende ao último pedido de Antônio e começa a rever seus valores. A convivência com o menino negro muda os horizontes de Queiroz, que acaba se apaixonando pela professora Aimée (Carla Camurati), integrante do movimento abolicionista.

Resumo de Todos os Capítulos da Novela Pacto de Sangue

** Resumo ainda não divulgado

Em 1870, no norte fluminense, o jovem Antônio, morre ao ajudar um negro a fugir da fazenda de seu pai. No leito da morte, o jovem pede ao pai, o juiz Queiroz Antunes, que coloque o jovem negro Bento no seu lugar. O pai aceita o pacto e a convivência com o “filho negro” transforma a sua vida, e ele se apaixona por Aymée, uma professora que participa do movimento abolicionista.

Em 1989, ano em que a novela foi exibida, comemorava-se o centenário da proclamação da República. No ano anterior, celebrara-se o centenário da abolição da escravatura. Para marcar as datas, a TV Globo exibiu, ainda, as minisséries Abolição (1988) e República (1989).

Sandra Annenberg – que tempos depois se tornaria jornalista da TV Globo e apresentadora do Jornal Hoje – participou como atriz de Pacto de Sangue.

A novela foi vendida para Antilhas Holandesas, Bolívia, Chile, Cuba, Grécia, Nicarágua, Paraguai, Peru, Portugal e República Dominicana, entre outros países.

Pacto de Sangue foi a primeira experiência na TV Globo de uma novela inteiramente gravada antes de ir ao ar.

Elenco:
Adriana Salituro
Alexandre Salcedo
Alfredo Murphy – Mergulhão
Ana Bandarra
André Valli – Alfredo
Andrea Paola
Andrea Ferreira
Angela Brito
Angela Neuzy
Armando Paiva – Bento
Bia Gemmal
Carla Camurati – Aimeé
Carla Costa
Carmen Luz
Carlos Duval – vendedor português
Carlos Vereza – José Queiroz Antunes
Castro Gonzaga – Padre Viriato
Ceiça
Chico Tenreiro – Bernardinho
Cláudia Cepeda – Angélica
Cristina Aché – Isabel
Dominique Affonso
Edir de Castro – Baiana
Edwin Luisi – Demétrio Lovato
Ester Góes – Violante
Fábio Junqueira – Carlos Albuquerque
Fernando Eiras – soldado da guarda nacional
Francisco Otávio
Élcio Matheus
Erivaldo Casan
Heloisa Helena
Heroldo de Oliveira – Damião
Herval Rossano
Iléa Ferraz – Luzia
Ingra Liberato
Izabella Bicalho – Mercedes
Jaconias Silva
Jacyra Sampaio – Bá
Jayme Periard – Miguel
Jonas Mello – Corrêa
Josias Amon Léa Garcia – Ruth
Joyce de Oliveira – Princesa Isabel
Juciléa Telles – Ana
Lenir Frazão
Lua Abrahão
Luis Carlos
Luiza Gomes
Luiz Guilherme – Francisco da Gama
Malú Rogers
Marina Lira
Marcelo Serrado – Antonio Antunes
Marcia Britto
Marcia Damens
Marcus Vinícius – Oju
Maria Candida
Maria Isabel de Lizandra – Clara
Marisa Carvalho
Martha Overbeck – Madre Teresa
Milene Poubel
Milton Rodrigues – Cão Danado
Moacyr Alves
Monique Alves
Nena Camargo – Castro Alves
Oswaldo Louzada – general Tóti
Othon Bastos – coronel Tóti
Raul Gazolla – Fernando
Raymundo de Souza – Zé Soldado
Ricardo Blat – Pedro
Ricardo Fróes,
Ricardo Petraglia – Bombom
Roselaine Pissaia
Romulo José
Rubens de Falco – Abílio Mendonça
Ruth de Souza – Mãe Quitinha
Samir Murad – Tristão
Sandra Annenberg – Celeste
Sandra Bréa – Francisca Matoso
Sarito Rodrigues – Fulô
Serafim Gonzales – Capitão Americano
Suzana Abranches
Suzanne Seixas
Tania Moraes
Tania Machado
Verônica Castinheira
Yara Cortes – Afrosina
Zezé Motta – Maria
Walquíria Souza

Elenco / Personagens

QUEIROZ ANTUNES (Carlos Vereza) Juiz e proprietário de escravos. Pai de Antonio (Marcelo Serrado) e Isabel (Cristina Aché), criados com a ajuda de sua cunhada, Violante (Esther Góes). Homem íntegro, membro do Partido Conservador, acredita numa possível abolição da escravatura desde que realizada em etapas e após uma preparação adequada. A morte do filho Antonio, de tendências abolicionistas quando ajudava um negro a fugir de sua fazenda , deflagra nele uma profunda crise, levando-o a se questionar sobre seus princípios, crenças e opções políticas. A criação do pequeno escravo Bento (Armando Paiva) e a paixão por Aimée (Carla Camurati), ligada ao movimento abolicionista, deixam-no isolado das antigas amizades e companheiros de partido. As pressões sofridas por Queiroz, além de suas próprias contradições, vão aos poucos moldando um novo homem que, ao enfrentar o racismo e a hipocrisia, dá um exemplo de fé na solidariedade e na igualdade entre os homens.

AIMÉE LOVATO (Carla Camurati) Jovem idealista, professora do colégio da cidade. Desde muito cedo, com a morte da irmã, é responsável pela tutela da sobrinha Angélica (Cláudia Cepeda). Teve como primeiro amor um revolucionário da época, Fernando (Raul Gazolla), a quem dedicou sua vida, continuando seu trabalho pela causa abolicionista. Obrigada a defender a tutela da sobrinha de seu irmão, Demétrio (Edwin Luisi) um jogador inveterado e irresponsável acaba por romper com ele, embora o ame. Por ironia do destino, vem a substituir o amor de Fernando pelo de Queiroz Antunes (Carlos Vereza), homem de ideologia totalmente diversa à sua, além de ser também mais velho do que ela, conservador e escravocrata. Desse amor antagônico surgem os conflitos dessa mulher forte, imperativa, decidida e com os pés no chão. O que é mais importante para ela, o amor ou a causa?

ANTONIO ANTUNES (Marcelo Serrado) Filho de Queiroz Antunes (Carlos Vereza), irmão de Isabel (Cristina Aché) e sobrinho de Violante (Esther Góes). Abolicionista, morre ao tentar ajudar um negro a fugir de sua fazenda. Antes de morrer, faz o pai prometer que cuidará do menino negro Bento (Armando Paiva).

VIOLANTE (Esther Góes) Irmã da falecida mulher de Queiroz Antunes (Carlos Vereza), Dulce, e de Clara (Maria Isabel de Lizandra) e Olímpio. Apaixonada desde tempos inconfessáveis pelo cunhado, dedicou-lhe a vida após a morte da irmã. Criou Antonio (Marcelo Serrado) e Isabel (Cristina Aché) e, após dez anos vivendo com ele na mesma casa, reivindica sutil, mas insistentemente, tornar-se sua esposa, já que tem por ele uma grande paixão. Ela o admira, sente-se atraída por suas qualidades de poderoso chefe de família e da comunidade, mas é o homem que ela quer para si, e acostumou-se a fazer desta ideia o centro de sua vida. Violante defende a casa, a família, a tradição aristocrática dos Queiroz Antunes, a manutenção do seu poder e preconceitos. Ao perder o homem de sua vida para Aimée (Carla Camurati), Isabel para a loucura, e o casamento que lhe asseguraria uma posição única possível para as mulheres da época , Violante é jogada numa realidade sem proteção, onde a frustração provoca um choque e uma mudança avassaladoras pela perda de todos os seus objetivos.

FRANCISCO DA GAMA (Luiz Guilherme) O delegado da cidade. Criado com rédea curta pela mãe, Afrosina (Yara Cortes), desde cedo acostumou-se a um rígido comportamento quanto à moral e aos bons costumes, o que o levou a se formar em Direito e, posteriormente, ao cargo de delegado. Para cumprir suas obrigações, atropela quem tenta desviá-lo ou impedi-lo de seguir seu reto caminho. Não aceita qualquer ideia abolicionista. Teve muito pouco tempo para se dedicar ao amor, até se deparar com Francisca Matoso (Sandrá Bréa), estrela do cabaré Eldorado, por quem se apaixona perdidamente. Defronta-se com um conflito edipiano: como explicar à sua mãe o amor por uma atriz de cabaré? E como impor a lei e a ordem, e restabelecer a justiça em uma cidade onde a elite dominante é a maior infratora?

DEMÉTRIO LOVATO (Edwin Luisi) Irmão de Aimée (Carla Camurati), bom médico, dono de farmácia. Tem uma única e grande paixão na vida: o jogo. Perdedor inveterado, no decorrer da vida vê seus recursos transformados em fichas nas mesas do cabaré Eldorado. Como única saída, associa-se a escravocratas no comércio ilegal de negros não como convicção política, mas pelo desejo incessante de dinheiro. Pensa em assumir a tutela da sobrinha Angélica (Cláudia Cepeda), órfã e rica herdeira que vive com ele e sua irmã; ou, ainda, casar-se com Celeste (Sandra Annemberg), filha de Abílio (Rubens de Falco), seu sócio e líder das falcatruas com o comércio dos negros. Como não consegue nada disso, atola-se cada vez mais em dívidas, lançando mão da calúnia, da mentira, do roubo e, sobretudo, da chantagem como formas de conseguir dinheiro para o jogo.

MIGUEL MENDONÇA (Jayme Périard) Jovem advogado, filho de Abílio (Rubens de Falco) e Clara (Maria Isabel de Lizandra), e irmão de Celeste (Sandra Annemberg). Através de sua profissão, luta de forma atuante pela causa abolicionista. Ao lado dos amigos Aimée (Carla Camurati) e Carlos (Fábio Junqueira), e, depois, Celeste, integra o grupo de maior oposição às ideias do Partido Conservador da cidade e, principalmente, às ações arbitrárias do delegado Da Gama (Luiz Guilherme). Sua formação profissional se deve em grande parte à convivência e aos ensinamentos recebidos de seu tio, o juiz Queiroz Antunes (Carlos Vereza), a quem respeita e admira, apesar das diferenças políticas que os separam. Em família, ele e a irmã vivem o doloroso conflito de serem filhos de uma frágil mulher e de um homem muito poderoso e extremamente conservador. Vive uma angustiada paixão pela ex-escrava Ana (Juciléa Telles), enfrentando os preconceitos da sociedade e a reação de sua família.

CELESTE MENDONÇA (Sandra Annenberg) Filha de Abílio (Rubens de Falco) e Clara (Maria Isabel de Lizandra), irmã de Miguel (Jayme Périard). Educada sob forte regime moralista e conservador, torna- se uma moça tímida e controvertida, que não dá muita importância à sua aparência até conhecer Carlos Albuquerque (Fábio Junqueira), namorado de Aimée (Carla Camurati), sua melhor amiga. Apaixona-se por ele e, por isso, é levada a conhecer a luta abolicionista. Apesar de corajosa, é uma moça recatada, que aceita um noivado imposto pelo pai. Para conquistar o seu verdadeiro amor, corre todos os riscos.

CARLOS ALBUQUERQUE (Fábio Junqueira) Jornalista abolicionista, defende a causa da libertação dos negros escravos com unhas e dentes, em duas frentes distintas: dentro da legalidade, através de seu jornal, tendo como colaboradores seus grandes amigos Aimée (Carla Camurati), Celeste (Sandra Annemberg) e Miguel (Jayme Périard); e na clandestinidade, como membro da “Ordem dos Caifazes”, grupo que liberta e esconde escravos para depois conseguir suas liberdades definitivas. Como é o redator-chefe do jornal, seus editores estão sempre prontos a clamar por justiça contra as arbitrariedades, tanto dos líderes do Partido Conservador, quanto do delegado Da Gama (Luiz Guilherme) o contraditório, cruel e, às vezes, divertido guardião da lei em Campos dos Goytacazes. No amor, oscila entre duas mulheres: Aimée, paixão antiga quase platônica, pois não é correspondido com a mesma intensidade; e Celeste, cuja amizade se transforma em terno e carinhoso amor.

MÃE QUITINHA (Ruth de Souza) Mulher negra e sofrida, tem grande amor por seu povo e um intenso poder espontâneo. Procura ajudar seus irmãos num quilombo, no qual acolhe mulheres escravas, principalmente as grávidas, para que seus filhos nasçam em liberdade e que, através das crianças negras, seu povo seja livre e tenha um futuro melhor. Vidente, sabe que a liberdade virá, mesmo que leve muito tempo. Mesmo que leve mais de cem anos.

ISABEL (Cristina Aché) Filha de Queiroz Antunes (Carlos Vereza) e irmã de Antonio (Marcelo Serrado), com quem vive acirrada competição. Seu amor pelo pai é doentio. Com a morte de Antonio e a ida de Bento (Armando Paiva) para a chácara, a doença de Isabel se torna irreversível. Passa a usar a todos indiscriminadamente, inclusive o coronel Tóti (Othon Bastos), com quem se casa, na esperança de dar a seu pai um herdeiro que se pareça com Antonio e, com isso, afastar Bento. Seu estado se agrava quando Luzia (Iléa Ferraz), sua escrava e mãe de Benedito que morreu junto com Antonio , leva-a por vingança para os rituais com o espírito maligno Cariapemba. Tem na família toda a sua estrutura, e quando esta se desmorona, cai junto. Enlouquece e é internada, pedindo liberdade.

CLARA MENDONÇA (Maria Isabel de Lizandra) Mulher de Abílio (Rubens de Falco), mãe de Celeste (Sandra Annemberg) e Miguel (Jayme Périard). Nas longas horas que passa bordando sozinha, lembranças da infância percorrem a sua mente. Mas nos gestos delicados e no seu silêncio, sente-se um mistério indecifrável. Apesar de sua calma, existe em Clara um coração palpitante, que ora acalenta seu passado, ora bate descompassado no momento de proteger e defender seus filhos da prepotência de Abílio, homem frio e distante como marido, a quem nunca amou. Com suas atitudes apaziguadoras, consciente ou inconscientemente, reforça as atitudes liberais e impulsivas dos filhos, pelos quais tem grande admiração. Reconhece-lhes a coragem e a dignidade, ideais que ela conheceu um dia. É através deles que vive, e é por eles que respira. Teme pelos seus destinos porque nunca se sabe do que Abílio é capaz.

CORONEL TÓTI (Othon Bastos) Filho único de família abastada e de tradição militar. Desde cedo educaram o jovem para a carreira. Foi comandante de um batalhão na Guerra do Paraguai. Patriota extremado, e com a certeza da vitória ao receber uma ordem superior para recuar, mandou atacar e seu batalhão foi dizimado. Passa a carregar o peso dessa grande derrota e a conviver com fantasmas, sentimentos de culpa e a tortura do segredo. A convivência forçada com o pai doente vítima de um derrame provocado pela notícia da derrota do filho faz do coronel Tóti uma pessoa retraída, circunspecta e de poucas amizades. Entra para o Partido Conservador, ao lado de Abílio Mendonça (Rubens de Falco), Bernardino (Chico Tenreiro) e Lovato (Edwin Luisi). Este último, o único que sabe sobre sua desobediência militar, passa a explorá-lo, pois tem uma carta que pode levá-lo à Corte Marcial. Encontra em Isabel (Cristina Aché), filha do juiz Queiroz Antunes (Carlos Vereza), o grande amor de sua vida um amor desesperado e trágico.

CORRÊA (Jonas Mello) Nascido em Lisboa, filho único de uma família pobre. Profissional do carteado, é expulso do país por causa do jogo. Continua sua vida de jogador no Brasil, onde conhece Francisca Matoso (Sandra Bréa), mulher de grande talento para o palco e a quem se associa, fazendo surgir em Campos dos Goytacazes o cabaré Eldorado. Paralelamente, participa do movimento abolicionista em curso. Sua participação não chega a ser política ou ideológica, mas sentimental, por ter-se envolvido várias vezes com mulheres e famílias negras.

BOMBOM (Ricardo Petraglia) Espécie de guru de Francisca Matoso (Sandra Bréa), tem como maior sonho fazer o mesmo sucesso que a estrela do cabaré Eldorado.

ALFREDO (André Valli) Professor de matemática do Colégio São José, apaixonado pela professora Aimée (Carla Camurati), que o rejeita, apesar de suas várias promessas a Santo Antônio. A partir daí, jura vingar-se dela, metendo-se em mil confusões. Não chega a ser um mau caráter, apenas um desajeitado na vida, sempre usando seu eterno guarda-chuva e vivendo muito mais no plano de sua imaginação.

MERCEDES DA GAMA (Izabella Bicalho) Sobrinha de Da Gama (Luiz Guilherme), que veio do interior para morar na casa do tio na cidade. É prepotente e extremamente racista, recebendo total apoio da tia Afrosina (Yara Cortes) e do delegado. Apaixonada por Alfredo (André Valli), com quem compactua em planos contra Aimée (Carla Camurati). Quando Bento (Armando Paiva) vai estudar no colégio e na mesma sala de aula que ela, aproveita todas as oportunidades para agredir o menino, que tem Aimée e Angélica (Cláudia Cepeda)) como protetoras. Em sua paixão por Alfredo, tem a ilusão de ser correspondida com o mesmo sentimento, e acredita que ele não se declara apenas por timidez.

PEDRO (Ricardo Blat) Diretor do único educandário da cidade, o Colégio São José. Irmão de Carlos (Fábio Junqueira), jornalista abolicionista que se empenha com vontade e coragem nessa luta. Não se preocupa muito com isso, e sua dedicação ao trabalho é total. Homem rígido, disciplinado e muito culto, é obrigado a tomar decisões difíceis, com o objetivo de manter sua reputação intacta. Admitir o menino negro Bento (Armando Paiva) como aluno do colégio o que é, no mínimo, uma atitude escandalosa exige muito dele. No decorrer da história, as exigências transformam sua maneira de pensar, tornando-o mais atento em relação às injustiças sociais. A poesia e os romances são seu alimento diário. Tem um raciocínio rebuscado, barroco, flagrado claramente na sua maneira de falar.

ANA (Juciléa Telles) Escrava alforriada, mesmo assim foi vendida duas vezes, obrigada a ir para o Ceará e a separar-se de Olímpio, seu grande amor, enquanto ele, também pressionado pela família, foi embora para a França. Dez anos depois, com sede de vingança, Ana volta à cidade, fugindo de um navio que faz tráfico de escravos do Nordeste para Campos dos Goytacazes. Conhece Miguel (Jayme Périard), que se apaixona por ela e por quem ela também se encanta, ao mesmo tempo em que quer usá-lo em sua vingança. O mesmo faz com Lovato (Edwin Luisi), quando sente o interesse dele por ela. Em suas consultas com Mãe Quitinha (Ruth de Souza), quase desiste e perdoa, mas não consegue esquecer o que fizeram com Olímpio e com o filho que foi sacrificado na época.

DAMIÃO (Haroldo de Oliveira) Nasceu livre e filho de pai alforriado, que lhe deu um futuro diferente de seus irmãos negros. Teve a oportunidade de estudar, interrompida com a morte do pai. Sua grande ambição é ver os negros alcançarem a liberdade. Para isso, serve de intermediário vendendo produtos aos quilombos, principalmente armas e pólvora. No terreiro de Mãe Quitinha (Ruth de Souza) conhece Maria (Zezé Motta), a quem ama e com quem vem a manter um relacionamento que culmina numa união abençoada pelo santo, mas não pela religião católica.

LUZIA (Iléa Ferraz) Escrava dos Queiroz Antunes, mãe de Benedito. Após a morte do filho, fica obcecada pela ideia de vingança. Para alcançar seu objetivo, anda misteriosamente pelos cantos da casa, a ouvir conversas. Usa indiscriminadamente a inocência de Bento (Armando Paiva) e as loucuras de Isabel (Cristina Aché), além de evocar sempre o espírito maligno de Cariapemba, contrariando as ordens de Mãe Quitinha (Ruth de Souza).

RUTH (Léa Garcia) Ajudante de Luzia (Iléa Ferraz), também escrava dos Queiroz Antunes. Vive amedrontada com as atitudes de Luzia.

PADRE VIRIATO (Castro Gonzaga) Como todo religioso de cidade pequena, sabe de muitas coisas e delas participa como conselheiro familiar.

BERNARDINO DA GAMA (Chico Tenreiro) Funcionário público com um posto graduado na Alfândega, o que lhe deu acesso à elite local. Racista, fervoroso antiabolicionista, entusiasta e praticante do tráfico de escravos, com o qual teve grandes lucros. Solteiro, vive com a irmã mais velha, Afrosina (Yara Cortes), e com o sobrinho Da Gama (Luiz Guilherme). Não tem escrúpulos, mente, espiona, joga, expõe-se a contragosto, mas sua ambição é maior do que a sua total fraqueza. Pertence ao Partido Conservador, consequência lógica de sua personalidade.

CÃO DANADO (Milton Rodrigues) Ajudante de Da Gama (Luiz Guilherme), integrante da milícia da cidade. Foi abandonado pela mulher depois de ter o rosto desfigurado durante a guerra, e sofre com isso. Desenha muito bem, e é capaz de reproduzir no papel, imediatamente, os traços de qualquer pessoa.

ZÉ SOLDADO (Raymundo de Souza) Ajudante do delegado Da Gama (Luiz Guilherme), integrante da milícia da cidade. Apesar de trabalhar ao lado da lei, compartilha dos ideais abolicionistas de Miguel (Jayme Périard), Carlos (Fábio Junqueira) e Aimée (Carla Camurati), facilitando a luta contra as arbitrariedades de Da Gama e dos conservadores.

BÁ (Jacyra Sampaio) Escrava alforriada e livre da casa de Aimée (Carla Camurati) e Lovato (Edwin Luisi). Como gosta muito dos “meninos”, continuou na casa trabalhando e recebendo salário. Ajuda Aimée a cuidar de sua sobrinha tutelada, Angélica (Cláudia Cepeda).

ANGÉLICA (Cláudia Cepeda) Órfã, sobrinha de Lovato (Edwin Luisi) e Aimée (Carla Camurati), herdeira de uma pequena fortuna deixada pelos pais. Aimée é sua tutora, a quem acompanha desde muito cedo, participando ativamente das campanhas que arrecadam fundos em beneficio da abolição. Defende uma sociedade onde não exista distinção social entre brancos e negros, vendo a todos como cidadãos com direitos e deveres. Tem sentimentos de carinho e proteção pelo menino negro Bento (Armando Paiva), seu mais novo amigo do colégio, que sofre constantemente os preconceitos de seus colegas de classe. O amor não correspondido por Miguel (Jayme Périard) e seu envolvimento na questão negra despertam-na para conflitos que a fazem amadurecer política e espiritualmente.

BAIANA (Edir de Castro) Ajudante na pensão de Maria (Zezé Motta).

BENTO (Armando Paiva) Menino negro, nascido no quilombo de Loanda. Criado por pais adotivos Maria (Zezé Motta) e Damião (Haroldo de Oliveira) , procura saber quem são seus verdadeiros pais. É adotado legalmente por Queiroz Antunes (Carlos Vereza), como cumprimento de uma promessa feita a seu filho Antonio (Marcelo Serrado) na hora da morte. Hesita, mas depois aceita e vai morar na chácara com sua nova família. Seu sonho é ser o primeiro juiz negro do Brasil, para acabar com as grandes injustiças.

ABÍLIO MENDONÇA (Rubens de Falco) Advogado de prestigio, conservador, pai de Miguel (Jayme Périard) e Celeste (Sandra Annemberg), marido de Clara (Maria Isabel de Lizandra). Ambicioso, sagaz, de temperamento frio, calmo atributos importantes para o sucesso na sua profissão. É o chefe e mentor de todas as falcatruas cometidas e de suas eventuais consequências: roubos e assassinatos em momentos especiais. Mas os conflitos o levam à ruína, sem que o grupo perceba que o cerco começa a se fechar em torno de suas atividades ilegais. Sem se comprometer, ele apenas comanda. Sabe até onde ir e em que terreno pisar.

AFROSINA (Yara Cortes) Mãe do delegado Da Gama (Luiz Guilherme), irmã de Bernardino (Chico Tenreiro) e tia de Mercedes (Isabella Bicalho). Viúva autoritária, domina todos à sua volta. Temida na cidade por suas atitudes públicas contra os transgressores da moral e dos bons costumes. Supermãe, é condescendente com o filho, a quem trata ainda como criança. Não tolera a ideia de dividi-lo com nenhuma mulher e muito menos que venha a casar-se. Mas é bastante esperta para contornar a situação quando tem que decidir entre dividi-lo ou perdê-lo.

FRANCISCA MATOSO (Sandra Bréa) Estrela do cabaré da cidade, o Eldorado. Embora marginalizada pelas senhoras da sociedade local, participa ativamente do movimento político através de seu romance com Queiroz Antunes (Carlos Vereza) e com o delegado Da Gama (Luiz Guilherme). Comete várias irresponsabilidades por amor, magoando a pessoa amada e sendo culpada até pela cilada que Da Gama prepara para o filho de Queiroz Antunes.

MARIA (Zezé Motta) Mãe carinhosa, esposa dedicada e mulher fogosa. Vive com Damião (Haroldo de Oliveira) e cria Bento (Armando Paiva) até ele ser adotado por Queiroz (Carlos Vereza). Preocupada com a justiça, guerreira, é uma grande mulher, capaz de renunciar para fazer feliz ao seu próximo.

FULÔ (Sarita Rodrigues) Fundamental na organização da luta abolicionista no quilombo das mulheres. Divide-se entre o amor a Zé Soldado (Raymundo de Souza) e o reencontro com suas raízes iorubá. Doce e insubmissa, sobretudo uma guerreira.

OJU (Marcus Vinicius) Babalossaim do terreiro. Pai que possui Ossaim, orixá dono das folhas nas quais se concentram os axés, as grandes forças cósmicas que regem a natureza. Principal auxiliar de Mãe Quitinha (Ruth de Souza), seu elo entre o terreiro e o mundo exterior. Tudo vê, tudo ouve, e sofre com o descrédito de sua cultura.

GENERAL TÓTI (Oswaldo Louzada) Pai do Coronel Tóti (Othon Bastos). Sofreu um derrame que o paralizou, prendendo-o a uma cadeira de rodas. Não se conforma com a derrota do filho na Guerra do Paraguai, pois seu maior sonho era que ele fosse um grande militar. Não fala com Tóti desde essa época e, a cada olhar, passa toda sua insatisfação e decepção. Não perdoa o filho, que sofre com isso.

FERNANDO (Raul Gazolla) O primeiro e grande amor de Aimée (Carla Camurati). É a alegria, a aventura, o sol radiante de sua vida. Abolicionista convicto, companheiro de Carlos (Fábio Junqueira) e Miguel (Jayme Périard) na luta pela libertação dos negros.

Trilha Sonora Nacional e Internacional

Nacional:

Sorri
Compositores: Charles Chaplin/ G. Parsons/ João de Barro (Braguinha)
Intérprete: Djavan

Devagar, um Segredo – Tema de Celeste
Compositores: Dudu França
Intérprete: Dudu França

Saudade – Tema de Carlos
Compositores: Chrystian/ Ralf
Intérprete: Chrystian & Ralf

Amor Poente – Tema de Violante
Compositores: Nei Lopes/ Chico Roque
Intérprete: Roberto Ribeiro

Eu te Amo – Tema de Maria
Compositores: Caetano Veloso
Intérprete: Leila Pinheiro

O Pacto – Tema de abertura
Compositores: Roberto Nascimento
Intérprete: Orquestra Som Livre

Histórias e Lendas – Tema do núcleo do quilombo
Compositores: Cláudio Jorge/ Joel Silva
Intérprete: Zezé Motta

Capataz
Compositores: J. Maranhão
Intérprete: Cristina Santos

Tablados – Tema de Francisca Matoso
Compositores: Edu Lobo/ Chico Buarque
Intérprete: Chico Buarque

Bonita Lenda – Tema de Corrêa
Compositores: Maria Lúcia/ Mory Kante/ Roberto Leal
Intérprete: Roberto Leal

Como um Ladrão – Tema de Francisco da Gama
Compositores: Carlinhos Vergueiro
Intérprete: Carlinhos Vergueiro (Partic. especial Paulinho da Viola)

Já Faz Tempo – Tema de Isabel
Compositores: Cláudio Jorge/ Ivor Lancellotti
Intérprete: Neguinho da Beija-Flor

Desalento – Tema de Miguel
Compositores: Chico Buarque/ Vinicius de Moraes
Intérprete: Marçal (Partic. especial Chico Buarque)

Capataz – Tema de Aimée
Compositores: Jota Maranhão
Intérprete: Cristina Santos

Liberdade – Tema de Ana
Compositores: George Henry
Intérprete: Instrumental

No Peito e na Raça – Tema de Bento
Compositores: Eduardo Lages/ Roberto Nascimento
Intérprete: Olívia Byington e João Carlos Assis Brasil

0 Comentário para: “Pacto de Sangue Resumo | Personagens | Trilha Sonora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *