Irmãos Coragem 1970 Resumo | Personagens | Trilha Sonora

Confira o resumo da novela Irmãos Coragem (1970) desde o primeiro capítulo. Além do resumo você terá informações sobre a história, personagens e trilha sonora. Fique por dentro das novidades das novelas, aqui você encontra o resumo completo de Irmãos Coragem (1970) e de todas as novelas da Globo.

Sobre a Novela Irmãos Coragem (1970)

◘ Período de Exibição: 08/06/1970 – 12/06/1971
◘ Horário: 20h
◘ Nº de capítulos: 328
◘ Autoria: Janete Clair
◘ Direção: Daniel Filho, Milton Gonçalves e Reynaldo Boury

Em 1970, enquanto o Brasil conquistava o tricampeonato de futebol na Copa do Mundo do México e presos políticos eram torturados pelo regime militar, Janete Clair se consagrava como novelista com um faroeste que fazia uma analogia entre a realidade política do país e o poder arbitrário de um coronel na fictícia Coroado, localizada na divisa de Minas Gerais com Goiás, e cuja principal atividade econômica é o garimpo. O despótico latifundiário Pedro Barros (Gilberto Martinho) quer controlar o comércio de diamantes na região e, para isso, corrompe a polícia, compra votos e oprime a população, tendo sob seu comando um grupo de jagunços. Contra seu poder se insurgem João (Tarcísio Meira), Jerônimo (Cláudio Cavalcanti) e Duda (Cláudio Marzo), os irmãos Coragem, filhos de Sebastião (Antônio Vitor) e Sinhana (Zilka Sallaberry).

O maior conflito da trama tem início depois que João encontra um grande diamante. Embora seja de natureza pacata e tente resolver tudo através do diálogo e dentro da legalidade, João, após várias injustiças cometidas pelo coronel Barros, perde a confiança nas instituições e torna-se um fora da lei. Ele vira o líder de um bando armado de garimpeiros injustiçados e passa a usar a força para confrontar os inimigos. Jerônimo, por sua vez, alia a ambição à sede de justiça e entra para a política, no partido de oposição, com o ideal de brigar por mudanças na região. O filho mais novo dos Coragem, Duda, deixa Coroado e vira um astro do futebol – uma estratégia da autora para alinhar a trama à euforia com o futebol na época. Tempos depois, volta à cidade e é ferido na perna em uma emboscada contra João, e precisa lutar para voltar a jogar.

As histórias de amor da novela foram protagonizadas pelas duplas Tarcísio Meira e Glória Menezes – a atriz interpretava a personagem Lara, filha de Pedro Barros, que assumia outras personalidades, como a sedutora Diana; Cláudio Marzo e Regina Duarte (Ritinha); e Cláudio Cavalcanti (Jerônimo) e Lúcia Alves (Potira).

Os capangas de Pedro Barros, liderados por Juca Cipó (Emiliano Queiroz) e Lourenço (Hemílcio Fróes), invadem a casa da família Coragem atrás do diamante. Na ação, Sebastião morre, e João jura se vingar da morte do pai. Lourenço foge com o diamante e se esconde na casa de sua mulher, Branca (Neuza Amaral). Ele havia feito um trato com um pistoleiro contratado por Pedro Barros para dividirem o dinheiro da venda da pedra.

João vai atrás de Lourenço para fazer justiça e, dias depois, o capataz aparece morto, com o rosto desfigurado. De vítima, os Coragem passam a algozes, com João acusado de assassinato. Mas a autoria do crime não é revelada ao público. Mesmo Lara, filha de Pedro Barros e a paixão de João, transformada em Diana, vira suspeita do assassinato: ela teria matado o capataz para se vingar da surra que a fez perder o bebê de João. Pedro Barros, que foi roubado por Lourenço e ainda descobriu a relação extraconjugal de sua mulher, Estela (Glauce Rocha), com seu capataz, é outro suspeito. O coronel expulsa Estela de casa, João é preso, e Lara é internada em uma clínica.

Jerônimo pensa em desistir de sua candidatura à prefeitura e planeja uma fuga para tirar João da prisão, já que a população acredita que ele é mesmo culpado. Para evitar que isto aconteça, João leva todos a acreditarem que ele e o irmão estão em lados opostos, ou seja, que Jerônimo também crê que João seja culpado e que deseja sua punição. João consegue fugir da cadeia e vira o líder de um bando de garimpeiros explorados por Pedro Barros e outros donos de garimpo.

Em meio a constantes trocas de tiros entre seu bando e os jagunços de Pedro Barros, João impõe sucessivas derrotas ao coronel, e passa a comprar as pedras dos garimpeiros pelo dobro do preço. Até Sinhana, a “Mãe Coragem”, começa a trabalhar como garimpeira, para ajudar a capitalizar o filho. Lara, que havia ido ao encontro do marido, rompe com ele para protegê-lo, mas o afastamento dura pouco. Entre suas idas e vindas, continua se transformando em Diana. A certa altura, assume uma terceira personalidade, a de Márcia Lemos, uma mulher solteira e independente, que começa a trabalhar como repórter em um jornal. Na pele de Márcia, Lara não reconhece João, mas também acaba se envolvendo com ele, e engravida.

Em meio a esses acontecimentos, Lourenço, que todos pensavam estar morto, aparece vivo na trama: sua morte não passou de uma farsa, que contou com a cumplicidade de sua mulher, Branca (Neuza Amaral). Alberto (Michel Robin), filho dos dois, desconhece a verdade e tenta matar João (Tarcísio Meira) para se vingar da morte do pai. João, no entanto, salva sua vida, e Alberto passa a segui-lo como integrante de seu bando.

No decorrer da história, após muita procura pelo diamante, a farsa de Lourenço é revelada: ele roubou a pedra, matou o pistoleiro que o ajudou e fez todos acreditarem que era ele o morto. Depois assumiu uma nova identidade. Mas um acidente de carro fez com que ele fosse hospitalizado, e o diamante foi parar nas mãos de uma enfermeira. Dias antes, Lourenço voltara a procurar Estela, a ex-mulher de Pedro Barros, propondo uma reaproximação, e contando sobre o diamante. Ela já estava envolvida com Hernani (Paulo Araújo), o inescrupuloso empresário de Duda, e os dois tramaram contra Lourenço, que acabou assassinado. Disposto a recuperar o diamante, Hernani seduziu a enfermeira e matou Estela depois que ela descobriu sua traição. Capturado por João, Hernani conta toda a verdade e vai preso. João recupera seu diamante.

No fim da história, após a morte de Jerônimo e Potira em uma emboscada, João, revoltado, destrói o diamante, que julga responsável por todas as tragédias que abalaram sua família e a cidade de Coroado. Pedro Barros enlouquece, incendeia sua casa e a cidade, e deixa-se consumir pelo fogo. João, ao lado de Lara e Sinhana, reúne os moradores para reconstruir uma nova cidade, livre de todo jugo e exploração.

Resumo de Todos os Capítulos da Novela Irmãos Coragem (1970)

** Resumo não divulgado

A luta pela liberdade e contra à opressão são o tema central deste folhetim que narra a história dos irmãos Coragem: João, Jerônimo e Duda, na fictícia cidade de Coroado, no interior goiano, cujo a principal atividade econômica é o garimpo. João Coragem, um homem rude, simples e generoso, que trabalha honestamente como garimpeiro, encontra um valioso diamante, que é roubado pelo Coronel Pedro Barros, que comanda com “mãos de ferro” o comércio de garimpo de Coroado e é o homem mais poderoso da cidade, ditando as suas regras. Apesar de ser um homem pacifico que tenta resolver tudo com diálogo e dentro da legalidade, João após várias injustiças, torna-se um fora da lei liderando o seu próprio bando de garimpeiros injustiçados, e passa a usar da força para confrontar seu algoz, o Coronel Pedro Barros. Mas João conhece e se apaixona pela tímida e reprimida Lara, a filha doente do Coronel, que desconhece a doença da própria filha. Lara tem outras duas personalidades: a esfuziante e selvagem Diana, de comportamento contrário à de Lara; e o contrapondo entre as duas, Márcia. E isto acaba por confundir e enlouquecer à João.

O jovem Jerônimo, por sua vez, sente uma paixão reprimida por sua irmã de criação, a índia Potira. Mas ela para conseguir esquecer Jerônimo aceita se casar com Rodrigo César, que luta ao lado dos Coragem no confronto contra Coronel Pedro Barros. Para ajudar o seu irmão à confrontar o Coronel, Jerônimo entra para política, no partido da esquerda, para acabar com os desmandos do coronel. Mas o rapaz para fugir do amor que sente por Potira, aceita se casar por interesse com Lídia Siqueira, a filha do deputado Dr. Siqueira.

Duda é o irmão mais novo de João e Jerônimo, um rapaz que para seguir o seu sonho de ser jogador de futebol, deixou para traz à cidade, a família e o seu amor de infância, Ritinha. Ela é uma boa moça que luta pelo seu amor quando retorna à Coroado. Mas ele já está envolvido com outra mulher, Paula, que não mede esforços para permanecer ao seu lado. O conflito cresce quando Ritinha descobre estar grávida de Duda, e o pai dela, Dr. Maciel, que nunca gostou do rapaz, o obriga a se casar com a sua filha.

Em Irmãos Coragem foram criadas várias tramas, dando prosseguimento à renovação da linguagem das telenovelas iniciada com Véu de Noiva (1969), também de Janete Clair, e Verão Vermelho (1969), de Dias Gomes. O formato permitiu à autora maior liberdade para modificar a narrativa em função da pressão da Censura Federal ou da insatisfação da trajetória de algum personagem.

Janete Clair escreveu a novela sozinha, sem o auxílio de qualquer outro colaborador. A autora afirmou ter se inspirado no romance Os Irmãos Karamazov, de Fiodor Dostoiévski, para dar vida aos irmãos Coragem. Baseou-se, ainda, no livro As Três Faces de Eva, de Corbett H. Thigpen e Hervey M. Checkley, para compor a tripla personalidade de Lara (Glória Menezes). E recorreu à peça Mãe Coragem, de Bertolt Brecht, para construir o papel de Sinhana (Zilka Sallaberry), a mãe de João (Tarcísio Meira), Jerônimo (Cláudio Cavalcanti) e Duda (Cláudio Marzo).

Segundo Daniel Filho, o casal Jerônimo e Potira (Lúcia Alves) foi inspirado no filme Duelo ao Sol (1946), estrelado por Gregory Peck e Jennifer Jones.

Para gravar na fictícia Coroado, o elenco e a equipe de produção da novela enfrentaram vários problemas. Era comum os atores e produtores se depararem com animais, como cobras e jacarés. Com as chuvas, a área ficava completamente inundada, o que atrapalhava as gravações. Não raras vezes, o elenco teve que virar a noite trabalhando para não atrasar o cronograma de trabalho.

Irmãos Coragem foi um dos primeiros trabalhos de direção de Milton Gonçalves, que interpretava o personagem Braz Canoeiro na novela. O ator já ajudava Daniel Filho, dirigindo algumas cenas, quando passou a dividir a direção com ele.

A novela contava com muitas cenas de personagens andando a cavalo mas, segundo Milton Gonçalves, o único que sabia montar era Tarcísio Meira. O ator levou seu próprio cavalo para as gravações.

Glória Menezes contou que teve meningite e ficou afastada da novela durante um mês. Apesar de ser uma das personagens principais, sua doença não prejudicou as gravações e o andamento da trama, pois Janete Clair tinha escrito cerca de 30 capítulos de frente.

Janete Clair já demonstrava, na época, a preocupação em atender a algumas expectativas dos telespectadores. Em cena do capítulo 68, João Coragem (Tarcísio Meira) vai à delegacia e recebe voz de prisão, mas tenta resistir, e parte para cima do delegado Falcão (Carlos Eduardo Dolabella). Os soldados só conseguem agarrar o garimpeiro depois de ele socar bastante o delegado, que estava envolvido em várias tramoias de Pedro Barros (Gilberto Martinho). Ao que parece, o público esperava ver uma reação mais contundente de João, sempre avesso a agir com violência. No script, a autora manda um recado para o ator Carlos Eduardo Dolabella: “Desculpe, Falcão, mas este é um pedido do público, que não se poderia deixar de atender. Aliás, bem merecido.”

Irmãos Coragem foi a segunda novela mais longa da TV Globo, durando praticamente um ano no ar. A história reuniu o maior elenco em telenovelas até então, e obteve mais audiência do que a final da Copa de 1970, entre Brasil e Itália – o jogo foi apresentado num domingo e, no dia seguinte, a audiência da novela foi maior. Atribui-se à junção de bangue-bangue com futebol o interesse do público masculino na trama: pela primeira vez, os homens admitiram que assistiam a uma novela.

Glória Menezes conta que criou um trejeito – um leve estalo com a língua e uma piscadela – que se transformou num código para o público identificar a transformação de Diana em Lara.

Para criar o personagem Duda (Cláudio Marzo), craque do Flamengo e mostrar as angústias de um rapaz do interior que se transforma em ídolo do futebol, Janete Clair contou com a assessoria do jornalista e comentarista esportivo João Saldanha.

Para compor a tripla personalidade de Lara (Glória Menezes), a autora recorreu à assistência do neurocirurgião Pedro Sampaio.

Durante uma enchente no Rio de Janeiro, um helicóptero fotografou a cidade fictícia de Coroado. A imagem foi publicada na primeira página do jornal carioca O Dia, com o título: “O Rio está inundado”. O cenário parecia tão real que confundiu os repórteres.

A novela marcou a estreia de Sônia Braga na TV Globo e reuniu as duas duplas mais famosas da emissora na época: Tarcísio Meira e Glória Menezes, Cláudio Marzo e Regina Duarte. Os dois últimos saíram antes do final das gravações para estrelar a novela que viria em seguida no horário das 19h, Minha Doce Namorada, de Vicente Sesso.

Regina Duarte e Cláudio Marzo também fizeram par romântico nas novelas Véu de Noiva (1969), de Janete Clair, e Carinhoso (1973), de Lauro César Muniz.

A novela foi reapresentada em duas ocasiões, em forma compactada: no Festival 15 Anos da Rede Globo, em janeiro de 1980, e no Festival 25 Anos, em maio de 1990.

Irmãos Coragem marcou a estreia do diretor Reynaldo Boury na TV Globo. Ele entrou na equipe para atuar como diretor de TV, fazendo os cortes das cenas.

A novela fez tamanho sucesso que, após o seu término, Tarcísio Meira e Glória Menezes, em viagem à Bahia, foram brindados por um coro de dezenas de pessoas cantando a música-tema Irmãos Coragem.

Em uma cena levada ao ar no capítulo 213, João (Tarcísio Meira) chega em casa e Lara/Márcia (Glória Menezes) o espera. Ele fica emocionado, corre para abraçá-la e os dois se beijam apaixonadamente. Em nota que consta do script, Janete Clair pede para explorar bem o beijo romântico do casal: “Afinal, eles são casados na vida real e na novela.”

Em 1995, nas comemorações dos 30 anos da emissora, Dias Gomes e Marcílio Moraes fizeram um remake de Irmãos Coragem para as 18h. Nessa versão, Marcos Palmeira, Marcos Winter e Ilya São Paulo viveram os irmãos Coragem, respectivamente João, Duda e Jerônimo. A personagem Lara foi interpretada por Letícia Sabatella; Gabriela Duarte viveu Ritinha; e Dira Paes interpretou Potira. Laura Cardoso deu vida a Sinhana.

João e Lara
Lara (Glória Menezes), filha de Pedro Barros (Gilberto Martinho) e Estela (Glauce Rocha), chega a Coroado no início da trama, após passar anos no Rio de Janeiro, onde formou-se professora. Ela vive um drama psicológico: apresenta distúrbios de comportamento que a levam a mudar de personalidade. Nessas crises, transforma-se na sedutora Diana Lemos, uma mulher que se veste com exuberância, insinua-se para vários homens e chega a ser presa por roubar dinheiro. Mas Lara não se recorda de nada quando volta a si. A diferença entre as duas é tão grande que todos julgam não se tratar da mesma pessoa. João Coragem (Tarcísio Meira) se interessa por Lara assim que a vê, mas acaba se envolvendo com Diana, sem ter certeza de que ambas são a mesma mulher, e sem saber que ela é a filha de seu inimigo. Lara, por sua vez, apaixona-se por João, mas tem vergonha de assumir seu amor por achá-lo rude.

Por conta de seus interesses políticos, Pedro Barros quer ver Lara casada com o corrupto delegado Diogo Falcão (Carlos Eduardo Dolabella), concorrente de Jerônimo Coragem (Cláudio Cavalcanti) à prefeitura de Coroado. Ela, porém, engravida de João, e seu psiquiatra a aconselha a casar-se com ele. O casamento se realiza, mas Pedro Barros deixa claro que só a deixará viver com João depois que o garimpeiro tiver condições de lhe dar uma vida confortável. E arma várias ciladas para afastá-la dele. Em uma delas, impede a filha de sair de casa para que possa avisar o marido sobre uma armadilha do pai para roubar seu diamante. Lara se transforma em Diana e, com a anuência do capanga Lourenço (Hemílcio Fróes), é surrada por um beato fanático chamado dias antes pelo coronel para exorcizar a filha. A mulher de João acaba perdendo o bebê.

Ao longo de toda a trama, Lara se consulta com um psiquiatra e descobre que tem uma lesão no cérebro, consequência de uma queda na infância. Neste acidente, sua prima Márcia, filha de Dalva (Mirian Pires), morreu, e Lara ficou muito traumatizada. O psiquiatra a aconselha a fazer uma cirurgia e diz que, após o procedimento, apenas uma de suas três personalidades sobreviverá. Quem sobrevive é Lara, porém, agora, uma mulher transformada, que preserva a alegria de Diana e a segurança de Márcia. Ela e João terminam juntos, com um filho.

Jerônimo e Potira
No início da história, Jerônimo Coragem (Cláudio Cavalcanti) é apaixonado por Ritinha (Regina Duarte), mas é obrigado a esquecê-la depois que a moça se casa com seu irmão, Duda (Cláudio Marzo). A frustração acirra seu ímpeto de usar a violência para fazer justiça, e também sua ambição pelo poder. Potira (Lúcia Alves), sua irmã de criação, revela que o ama, mas ele a ignora. Ela é pedida em casamento pelo promotor Rodrigo César (José Augusto Branco), amigo da família Coragem, que estimula Jerônimo a se candidatar à prefeitura de Coroado. Antes de se eleger prefeito, Jerônimo vence as eleições para a presidência da associação de garimpeiros e passa a incitar os colegas a não venderem suas pedras para Pedro Barros (Gilberto Martinho), o que acirra a ira do coronel contra os Coragem.

O promotor Rodrigo César é um forte opositor de Pedro Barros, a quem responsabiliza pela prisão de seu pai, Teodoro, que se suicidou em uma cela, enforcado, após ser acusado de roubo por Barros. Rodrigo tinha 14 anos quando o pai morreu, e jurou que mandaria Pedro Barros para a cadeia. Ele se une aos Coragem para tentar fazer justiça dentro da legalidade.

Rodrigo e Potira se casam. A essa altura, Jerônimo se dá conta de que está apaixonado por Potira, mas se afasta dela em respeito a Rodrigo e ao pai, Sebastião (Antônio Vitor), que não aprovaria a relação. A índia Indaiá (Jurema Penna), que trabalha na casa de Potira, dá a ela um colar, composto por duas balas, e explica que os projéteis foram os que mataram o pai dela, um homem branco, chamado Ruy Silveira. Potira descobre que seu pai foi assassinado por Sebastião quando ela tinha um ano de idade, e este só não foi preso porque Indaiá cumpriu cinco anos de prisão no lugar dele. Com remorsos pelo ocorrido, Sebastião passou a criar a menina.

Para escapar à paixão por Potira, Jerônimo propõe à solteirona Margarida (Leda Lúcia) que se case com ele, deixando claro que gosta de outra mulher, mas que está disposto a começar uma relação de amor e respeito. Ele se elege prefeito. Algum tempo depois, Rodrigo descobre que Potira ama Jerônimo e que pretendia fugir para integrar o bando de João (Tarcísio Meira) – magoado, decide que eles viverão um casamento de fachada. Até que Jerônimo e Potira ficam presos em uma gruta e passam a noite juntos. O jovem prefeito pede a ela que esqueça o que aconteceu, mas Pedro Barros sabe do ocorrido e passa a chantagear Jerônimo para que ele o apoie em várias situações, inclusive pressionando-o a ajudar a capturar João em troca da reputação de Potira, e a interditar o garimpo do irmão. Indaiá, então, revela a Potira que é sua mãe e a leva a fazer um pacto de sangue: se ela e Jerônimo fraquejarem e voltarem a ficar juntos, morrerão.

Como o compromisso com Margarida não seguiu adiante, Jerônimo se envolve com Lídia Siqueira (Sônia Braga), filha de um deputado federal. Os dois se casam. Mas Jerônimo resolve enfrentar Pedro Barros após mais uma das atitudes criminosas do coronel, e este faz publicar na primeira página do jornal local uma foto do prefeito beijando Potira, no dia em que passaram a noite juntos. O caso logo se torna um escândalo. Sem conter o amor que sentem um pelo outro, Potira e Jerônimo passam a se encontrar às escondidas, e ela engravida.

Desesperada, Lídia aponta um revólver para Jerônimo e, durante a discussão, a arma dispara. Lídia é atingida e hospitalizada, e Jerônimo passa a ser perseguido pela polícia, virando um fora da lei. Rodrigo, que ainda ama Potira e tem esperanças de que ela volte para ele, faz o que pode para que Jerônimo seja capturado. Para piorar a situação, Jerônimo ainda é acusado pela morte do delegado Falcão (Carlos Eduardo Dolabella), atingido por um tiro durante um confronto com João na praça da cidade. Na verdade, o tiro foi disparado por Juca Cipó (Emiliano Queiroz) para defender Pedro Barros. A essa altura da trama, Falcão já havia sido destituído do cargo por conta de seus atos ilícitos: mau-caráter e ganancioso, ele tentava ocupar o lugar de Barros e ainda manteve Lara (Glória Menezes) prisioneira.

Jerônimo fica cada vez mais acuado e, no final da trama, João entrega seu diamante ao irmão para que ele possa fugir com Potira para bem longe de Coroado. Rodrigo, no entanto, descobre o plano de fuga e, além de denunciá-los à polícia, incita os homens que trabalhavam para Falcão a ir ao encalço do casal. Jerônimo e Potira, escondidos em uma gruta, são cercados e mortos.

Duda e Ritinha
Filho caçula de Sinhana (Zilka Sallaberry) e Sebastião (Antônio Vitor), o jogador de futebol Duda (Cláudio Marzo) volta a Coroado, após sete anos de ausência, para rever os pais e os irmãos, João (Tarcísio Meira) e Jerônimo (Cláudio Cavalcanti). Ele fugiu da cidade aos 16 anos, mal sabia ler e chegou a passar fome no Rio de Janeiro. Descoberto por um olheiro, treinou no time juvenil do Flamengo até alcançar uma vaga na categoria profissional.

Duda foi namorado de infância de Ritinha (Regina Duarte), filha do Dr. Maciel (Ênio Santos), o médico da cidade, um homem amargurado, que vive embriagado. Na sua visita a Coroado, Duda e Ritinha se reencontram e passam uma noite juntos. Embora não troque mais do que um beijo com a antiga namorada, Duda é obrigado a casar-se, não só para preservar a reputação da moça como a de sua própria família, que corre o risco de ser desmoralizada por Pedro Barros (Gilberto Martinho) se o casamento não for realizado. O jogador, porém, já estava noivo de Paula (Myriam Pérsia), cujo irmão, Hernani (Paulo Araújo), é seu empresário.

Duda e Ritinha se casam e, no mesmo dia, a jovem acompanha o marido no retorno ao Rio de Janeiro, ficando sozinha já na noite de núpcias porque Duda tem de ir para a concentração do time. Ritinha sofre para se adaptar à cidade grande e ainda tem de suportar as intrigas de Paula, que chega a inventar que está grávida para separar o jovem casal. Mas quem engravida mesmo é Ritinha. Para Duda, as duas mulheres se complementam: uma lhe traz agitação; a outra, tranquilidade. Paula faz tudo para infernizar a vida da rival, até que Ritinha decide sair de casa e voltar para Coroado no momento em que Duda está no auge da carreira, sendo idolatrado pela torcida, motivado pelo clube, assediado pela imprensa e por anunciantes.

Ao retornar a Coroado e levar um tiro por tentar impedir a fuga de Lourenço (Hemílcio Fróes), responsável pela morte de seu pai, Duda é operado com urgência pelo Dr. Maciel que, ao não conseguir retirar a bala alojada no joelho do rapaz, mostra como prova uma bala retirada de outro paciente. Dr. Maciel havia se recusado a fazer a cirurgia, mas foi obrigado por Jerônimo: com medo das ameaças, inventa que conseguiu extrair a bala. Duda só descobre a verdade um mês depois, e vive o drama de não poder voltar mais a jogar futebol. O fato também abala sua relação com Ritinha, já que ele acredita que a atitude de Maciel foi proposital. Tempos depois, Duda começa a sentir fortes dores na perna e passa a jogar mal, tendo seu passe vendido para o Corinthians. Para aplacar as dores e voltar a jogar bem, Duda conta com a ajuda do roupeiro Damião (Arnaldo Weiss), que lhe aplica injeções ilegais.

Maciel se tornou um homem amargurado e grosseiro depois que sua mulher, Alzira, ficou doente, sem possibilidade de cura. Ritinha ainda era muito pequena quando a doença da mãe piorou. O médico aplicou uma injeção letal na esposa para aliviar seu sofrimento, e transformou-se em um homem infeliz. Apesar de sua hostilidade, Maciel é uma boa pessoa: embora pobre, não cobra dos pacientes que não têm como pagar por suas consultas. Foi a doença da mulher e a decisão em amenizar sua dor que o deixaram com uma grande mágoa. Ele vai para o Rio de Janeiro para viver com Ritinha, apesar da má vontade de Duda, e é denunciado ao Conselho Regional de Medicina, tanto pela morte da esposa quanto por ter deixado a bala alojada no joelho do jogador. Maciel é impedido de clinicar e vira sacristão. Além disso, não pode mais beber por conta de uma cirrose hepática.

O autor da denúncia contra Maciel é Hernani, mas Ritinha acredita que foi o marido quem denunciou seu pai, e decide romper com ele. Hernani também denuncia Duda, revelando à equipe médica do clube que ele estava tomando injeções. Os médicos decidem começar um tratamento rigoroso para curar sua perna de vez: ele só voltará ao campo quando estiver totalmente curado.

Ritinha dá à luz uma menina, Gabriela. O nascimento da filha reaproxima Ritinha e Duda, mas, por conta do assédio de Hernani e de uma nova discussão entre Duda e Maciel, que quer ver Ritinha casada com o empresário do jogador, o casal volta a brigar, e Duda decide pedir o desquite e a guarda da filha. Ritinha resolve ficar em Coroado com o pai e vira secretária de Jerônimo na prefeitura.

Após muitos desencontros, Duda e Ritinha fazem as pazes, e ele a leva embora novamente, junto com a filha. Duda volta a jogar bem e recupera seu prestígio no futebol. Maciel, por sua vez, pede em casamento Domingas (Ana Ariel), sua antiga empregada.

Cema e Braz Canoeiro
A invasão dos capangas de Pedro Barros (Gilberto Martinho) à casa dos Coragem também traz infelicidade para outro casal. Atormentado por problemas mentais, Juca Cipó (Emiliano Queiroz), um dos jagunços de Barros, violenta a branca Cema (Suzana Faíni), mulher do negro Braz Canoeiro (Milton Gonçalves). Tempos depois ela aparece grávida, mas esconde do marido que foi estuprada, temendo por sua reação. Braz, no entanto, desconfia que a mulher está mentindo, e os dois passam a viver em conflito, aguardando o nascimento do filho. Cema teme que ele nasça branco, o que caracterizaria o estupro e, consequentemente, levaria Braz a rejeitar o bebê e a querer fazer justiça. Além disso, Braz ameaça matar Cema caso a criança nasça branca.

Segundo o diretor Daniel Filho, os telespectadores torciam para que a criança nascesse negra e o casal terminasse feliz. Foi o que aconteceu. Cema dá à luz um bebê negro como o pai. A trama foi uma estratégia inteligente de Janete Clair para mostrar um casal interracial, tentativa que fracassara na novela Passo dos Ventos (1968), também de sua autoria, em que o romance entre os personagens de Djenane Machado e Jorge Coutinho não foi bem recebido. Em Irmãos Coragem, a relação de um negro com uma branca foi bem aceita pelo público.

Juca Cipó
Juca Cipó (Emiliano Queiroz) se transformou em um dos pontos altos da novela. No decorrer da trama, descobre-se que ele é filho bastardo de Pedro Barros (Gilberto Martinho) com Domingas (Ana Ariel), fruto de uma aventura na juventude. Ela tinha 15 anos quando engravidou. A mãe se desfez da criança, só que o sujeito que o pegou para criar o devolveu ao pai, alegando que o menino não regulava bem da cabeça e lhe dava muitas despesas.

Domingas nunca teve coragem de dizer a Juca que era sua mãe. Ele foi criado em meio à barbárie promovida pelo coronel, sem quaisquer noções de ética e moral e, principalmente, sem o amor familiar. Vivendo com sua debilidade mental e conduta violenta, Juca mata o prefeito de Coroado, e, tempos depois, estupra Cema (Suzana Faíni) na invasão à casa dos Coragem.

Depois que Pedro Barros expulsa de casa a mulher, Estela (Glauce Rocha), ele chama Domingas para morar com ele. Ela revela a Juca sua origem, e passa a cuidar do jagunço que, embora goste do carinho maternal, não a aceita como mãe. Ele tampouco gosta de saber que é filho de Pedro Barros – preferia que ele fosse apenas seu patrão. No decorrer da trama, Juca se casa com Margarida (Leda Lúcia), que dá à luz cinco filhos. Ele vai preso por ter matado o delegado Falcão (Carlos Eduardo Dolabella). O personagem se tornou amável ao longo da história, conquistando a simpatia do público infantil.

Elenco

Alceste Castelani
Ana Ariel – Domingas
Ana Maria Lage – Nita
Ângela Leal – Yolanda
Antônio Andrade – Neca
Antônio Vitor – Sebastião
Arnaldo Weiss – Damião
Arthur Costa Filho – Gentil
Átila Almeida – Beato
Carlos Eduardo Dolabella – Delegado Falcão
Castro Viana
Cláudio Cavalcanti – Jerônimo Coragem
Cláudio Marzo – Duda Coragem
Cláudio Ramos
Clementino Kelé
Dary Reis – Lázaro
Delorges Caminha
Domingos Terciliano
Dorinha Duval – Carmem Valéria
Emiliano Queiroz – Juca Cipó
Ênio Santos – Maciel
Estelita Bell
Felipe Wagner – Moreira
Fernando José – Siqueira
Francisco Dantas
Francisco Milani
Francisco Serrano
Fredy Nabhan
Gilberto Martinho – Coronel Pedro Barros
Glauce Rocha – Estela
Glória Menezes – Lara/ Diana/ Márcia
Hemílcio Fróes – Lourenço
Isaac Bardavid – Umberto
Ivan Borges – Antônio
Ivan Cândido – Delegado Gérson Louzada
Ivan de Almeida
Jacira Silva – Beatriz
Jomeri Posoli
José Augusto Branco – Rodrigo
José Steinberg – Laport
Júlio Garcia
Jurema Penna – Indaiá
Leda Lúcia – Margarida
Leônidas Bayer
Lourdinha Bittencourt – Manuela
Lúcia Alves – Potira
Macedo Neto – Padre Bento
Maria Alves
Maria Esmeralda
Mauro Braga
Michel Robin – Alberto
Miguel Carrano
Milton Gonçalves – Brás
Moacyr Deriquém
Monah Delacy – Deolinda
Myrian Pires – Dalva
Myriam Pérsia – Paula
Navarro de Andrade
Nelson Caruso
Neuza Amaral – Branca
Otoniel Serra – Gastão
Paulo Araújo – Ernani
Rafael Vizarro
Regina Duarte – Ritinha
Renato Master – Rafael
Romulo D’Angelo
Sônia Clara
Sônia Braga – Lídia
Suzana Faini – Cema
Tarcísio Meira – João Coragem
Telmo de Avelar
Vinícius Salvatore – Castro
Waldir Onofre
Yara Amaral – Tula
Zilka Sallaberry – Sinhana
Zeny Pereira – Virgínia

Elenco / Personagens

JOÃO CORAGEM (Tarcísio Meira) Filho de Sinhana (Zilka Sallaberry) e Sebastião (Antônio Vitor), e irmão de Jerônimo (Cláudio Cavalcanti) e Duda (Cláudio Marzo). Tem seu próprio garimpo e é um dos principais opositores de Pedro Barros (Gilberto Martinho), para quem é obrigado a vender suas pedras. Não gosta de violência, e prefere acreditar na lei. Vira líder de um grupo de garimpeiros justiceiros e se envolve com a filha do seu inimigo, Lara (Glória Menezes).

JERÔNIMO CORAGEM (Cláudio Cavalcanti) Garimpeiro honesto, filho de Sinhana (Zilka Sallaberry) e Sebastião (Antônio Vitor), e irmão de João (Tarcísio Meira) e Duda (Cláudio Marzo). Entra para a política para lutar contra o poder de Pedro Barros (Gilberto Martinho). É apaixonado por Potira (Lúcia Alves), irmã de criação.

DUDA CORAGEM (Cláudio Marzo) –Filho de Sinhana (Zilka Sallaberry) e Sebastião (Antônio Vitor), irmão de João (Tarcísio Meira) e Jerônimo (Cláudio Cavalcanti). Jogador do Flamengo. Casa-se com Ritinha (Regina Duarte).

SINHANA (Zilka Sallaberry) Mãe de João (Tarcísio Meira), Jerônimo (Cláudio Cavalcanti) e Duda (Cláudio Marzo), casada com Sebastião (Antônio Vitor). Mulher de fibra, sofrida e honesta.

SEBASTIÃO (Antônio Vitor) Pai de João (Tarcísio Meira), Jerônimo (Cláudio Cavalcanti) e Duda (Cláudio Marzo), casado com Sinhana (Zilka Sallaberry). Uma das vítimas de Pedro Barros (Gilberto Martinho) e seus jagunços.

POTIRA (Lúcia Alves) Mestiça, mistura de índio com branco. Mora com Sinhana (Zilka Sallaberry) e Sebastião (Antônio Vitor), a quem considera como pais. Sinhana desconfia que ela seja filha de Sebastião com uma índia. Ele a trouxe para Coroado depois de uma viagem à Goiás, onde trabalhou como garimpeiro. É tratada como irmã de criação de João (Tarcísio Meira), Jerônimo (Cláudio Cavalcanti) e Duda (Cláudio Marzo). Apaixonada por Jerônimo.

CORONEL PEDRO BARROS (Gilberto Martinho) Manda-chuva de Coroado, déspota que usa de arbitrariedade e prepotência para controlar as áreas de garimpo na cidade, não admitindo que os garimpeiros vendam pedras para os gringos. Pai de Lara (Glória Menezes) e marido de Estela (Glauce Rocha), tem um grupo de jagunços sob seu comando.

ESTELA (Glauce Rocha) Mulher de Pedro Barros (Gilberto Martinho) e mãe de Lara (Glória Menezes). Bonita e excessivamente vaidosa, não gosta de Coroado, onde diz ter perdido sua mocidade. Aos 15 anos, foi obrigada pelo pai a se casar, como pagamento de uma dívida de jogo. Considera o marido um roceiro grosso, sujo e assassino. Frequenta casas de jogos, onde se endivida. Tem um caso com Lourenço (Hemílcio Fróes), capataz de seu marido.

LARA/DIANA/MÁRCIA (Glória Menezes) Maria de Lara é filha de Pedro Barros (Gilberto Martinho) e Estela (Glauce Rocha). Calma, sensata e educada, formou-se professora no Rio de Janeiro. Apresenta distúrbios de comportamento que a fazem mudar de personalidade, transformando-se na vulgar Diana. Tempos depois, assume uma terceira personalidade, a da equilibrada Márcia.

DALVA (Mirian Pires) Rancorosa tia de Lara (Glória Menezes) e irmã de Estela (Glauce Rocha). Abrigou a sobrinha no Rio de Janeiro.

JUCA CIPÓ (Emiliano Queiroz) Jagunço de Pedro Barros (Gilberto Martinho), tem problemas mentais. Vingativo, sádico e capaz de matar por mil cruzeiros ou por nada. Faz maldades sem ter consciência de seus atos.

RITINHA / RITA DE CÁSSIA (Regina Duarte) Filha do Dr. Maciel (Ênio Santos), jovem ingênua e romântica, namorada de infância de Duda (Cláudio Marzo). Tinha 12 anos quando ele deixou a cidade.

MACIEL (Ênio Santos) Salvador Maciel é pai de Ritinha (Regina Duarte), e médico da cidade. Alcoólatra.

DOMINGAS ALMEIDA (Ana Ariel) Empregada na casa de Maciel (Ênio Santos), é responsável por Ritinha (Regina Duarte).

PAULA (Myriam Pérsia) Namorada de Duda (Cláudio Marzo) quando ele passa a morar no Rio de Janeiro.

HERNANI (Paulo Araújo) Irmão de Paula (Myriam Pérsia) e empresário de Duda (Cláudio Marzo). Interesseiro e mau caráter, revela-se um vilão.

BRAZ CANOEIRO (Milton Gonçalves) Garimpeiro amigo da família Coragem. Leal e bom caráter, casado com Cema (Suzana Faíni). Sofre nas mãos dos jagunços de Pedro Barros (Gilberto Martinho).

CEMA (Suzana Faíni) Mulher de Braz Canoeiro (Milton Gonçalves).

INDAIÁ (Jurema Penna) Mãe de Potira (Lúcia Alves). Índia introvertida, meio seca e discreta. Chega no capítulo 38, e vai trabalhar como criada na casa de Pedro Barros (Gilberto Martinho).

LOURENÇO (Hemílcio Fróes) Rústico, forte e decidido, Lourenço D’Ávila é braço direito de Pedro Barros (Gilberto Martinho) e seu principal capataz. Tem um caso com Estela (Glauce Rocha).

BRANCA (Neuza Amaral) Esposa de Lourenço (Hemílcio Fróes). Mulher simples, professora, conhece bem o caráter do marido, mas o ama. Mãe de Alberto (Michel Robin).

PADRE BENTO (Macedo Neto) O padre de Coroado.

GÉRSON LOUZADA (Ivan Cândido) Delegado de Coroado.

DIOGO FALCÃO (Carlos Eduardo Dolabella)– Delegado de Coroado.

CARMEM VALÉRIA (Dorinha Duval) Cantora, mulher de Neco (Antônio Andrade).

RODRIGO CÉSAR VIDIGAL (José Augusto Branco) Promotor, une-se a João (Tarcísio Meira) para fazer justiça, e apaixona-se por Potira (Lúcia Alves).

DEOLINDA (Monah Delacy) Viúva do prefeito Jorginho (B. de Paiva), mãe de Margarida (Leda Lúcia). Moralista, sonha em ver a filha arrumar um marido. Apoia o casamento de Margarida com Jerônimo e a candidatura do futuro genro.

MARGARIDA (Leda Lúcia) Filha do prefeito Jorginho (B. de Paiva) e de Deolinda (Monah Delacy).

SIQUEIRA (Fernando José)– Deputado federal, extrovertido, falador, político à velha maneira, caçador de votos, procurando agradar a todos. Pai de Lídia (Sônia Braga). Aparece no capítulo 134.

LÍDIA (Sônia Braga) Jovem bonita, alegre, filha única do deputado Siqueira (Fernando José), um tanto sofisticada e de espírito sempre propenso a gozar as ingenuidades do povo do interior. Envolve-se com Jerônimo (Cláudio Cavalcanti). Aparece no capítulo 134.

LÁZARO (Dary Reis) Fugitivo da cadeia de Coroado, dividiu a cela com João (Tarcísio Meira) e passa a integrar seu bando, agindo sempre com violência.

TULA (Yara Amaral) –Viúva rica e bonita, à procura de um novo amor. Nessa busca ela faz várias experiências, mas nenhum homem agrada. Envolve-se com Duda (Cláudio Marzo).

YOLANDA RODRIGUES (Ângela Leal) Enfermeira que atende Lourenço (Hemílcio Fróes) após um acidente de carro. O diamante foi parar, temporariamente, nas mãos dela.

ARTUR Marido de Dalva (Mirian Pires).

RAUL Tio de Lara (Glória Menezes), mora no Rio de Janeiro.

GENTIL PALHARES (Arthur Costa Filho) Dono da pensão de Coroado.

MANUELA/PORTUGUESA (Lourdinha Bittencourt) Mulher de Gentil (Arthur Costa Filho).

JORGE CAMPOS / JORGINHO (B. de Paiva) Prefeito de Coroado.

JUQUINHA Chefe dos Correios de Coroado.

MANECO Ex-presidente da associação de garimpeiros de Coroado.

ANACLETO Barbeiro de Coroado.

ISAURA Empregada de Ritinha (Regina Duarte).

DAMIÃO (Arnaldo Weiss) Ex-goleiro do Flamengo. Devido à indisciplina, prejudicou sua carreira e virou roupeiro do time.

BEATO ZACARIAS (Átila Almeida)– Um fanático de fala mansa, que Pedro Barros (Gilberto Martinho) manda trazer de Goiás para tentar curar Lara (Glória Menezes).

MOREIRA (Felipe Wagner) Editor do jornal A Luz de Coroado.

DR. JARBAS (Moacyr Dériquem) Diretor do jornal Folha de Minas, em que Lara/Márcia (Glória Menezes) vai trabalhar.

ALBERTO (Michel Robin) Filho de Lourenço (Hemílcio Fróes) e Branca (Neuza Amaral).

RAFAEL MARQUES (Renato Master) Jovem psiquiatra, contactado por Dalva (Mirian Pires) para tratar de Lara (Glória Menezes).

LAPORT (José Steimberg) Joalheiro Laport.

JOSÉ Empregado da casa de Pedro Barros (Gilberto Martinho).

NECO (Antônio Andrade) Jogador, amigo de Duda (Cláudio Marzo), casado com Carmem Valéria (Dorinha Duval).

DR. ADONIAS Advogado do Flamengo.

OTO Chofer de Pedro Barros (Gilberto Martinho).

ZECA Jagunço de Pedro Barros (Gilberto Martinho).

ZECA Amigo de João (Tarcísio Meira).

REUNA –Jagunço de Pedro Barros (Gilberto Martinho).

MATILDE Mulher do massagista do Flamengo.

VIRGÍLIO Pistoleiro contratado por Pedro Barros (Gilberto Martinho) para dar cabo dos Coragem.

FAUSTO PAIVA (Telmo Avelar) Técnico do Flamengo.

LUCIO BARBOZA Médico de Duda (Cláudio Marzo).

ANA Telefonista de Coroado.

HEREIRA Diretor do Flamengo.

D. DIRCE Enfermeira da clínica onde trabalha Rafael (Renato Master).

CARLA Filha de Carmem (Dorinha Duval) e Neco (Antônio Andrade).

DR. AMADEU Diretor do hospital São Felix, onde Dr. Maciel (Ênio Santos) vai trabalhar.

RODOLFO SOUZA Diretor do clube Campestre.

HORÁCIO Homem que paquera Diana (Glória Menezes).

DONA SILVIA Vendedora em uma mercearia no Rio de Janeiro, vizinha de Ritinha (Regina Duarte).

JOAQUIM VENÂNCIO Velho garimpeiro, maltrapilho. No passado, encontrou uma grande pedra de diamante e teve de vendê-la por um preço muito baixo.

DR. AMADEU Velho simpático.

INÁCIO Intermediador da venda de pedras encontradas por João (Tarcísio Meira) e seus companheiros.

CLEMENTE Garimpeiro injustiçado, entra para o bando de João (Tarcísio Meira).

FRANCISCO Capataz de Pedro Barros (Gilberto Martinho).

MANUEL PEREIRA / MANUELZINHO Farmacêutico, candidato à prefeitura de Coroado.

ALMEIDA Intermediário de João (Tarcísio Meira) no negócio de diamantes.

INÁCIO Cantador de Coroado.

SR. WALDEMAR Conselheiro do Corinthians.

ZÉ BAHIANO Integrante do bando de João (Tarcísio Meira).

CARLOS MAURO Médico que substitui Rafael (Renato Master) no tratamento de Lara (Glória Menezes).

Trilha Sonora Nacional e Internacional

Nacional:
Irmãos Coragem
Compositores: Nonato Buzar/ Paulinho Tapajós
Intérprete: Jair Rodrigues

Jerônimo
Compositores: Luiz Carlos Sá
Intérprete: Luiz Carlos Sá

Minhas Tardes de Sol
Compositores: Paulinho Machado
Intérprete: Regina Duarte

Ondas Médias
Compositores: Antônio Adolfo/ Tibério Gaspar
Intérprete: Umas & Outras

Porto Seguro
Compositores: Dori Caymmi
Intérprete: Banda Cores Mágicas

Coroado
Compositores: Denise Emmer
Intérprete: Denise Emmer & M. Pitter

Nosso Caminho
Compositores: Fred Falcão/ Arnoldo Medeiros
Intérprete: Maysa

Irmãos Coragem
Compositores: Nonato Buzar/ Paulinho Tapajós
Intérprete: Banda Cores Mágicas

João Coragem
Compositores: Tim Maia/ Cassiano
Intérprete: Tim Maia

Flamengo, Flamengo
Compositores: Renato Luis Lobo
Intérprete: Maria Creuza

Branca
Compositores: Danilo Caymmi/ João Carlos Pádua
Intérprete: Luiz Eça

O Amor Maior
Compositores: Eustáquio Sena
Intérprete: Eustáquio Sena

Bachiana Nº 5
Compositores: Heitor Villa-Lobos
Intérprete: Joyce

0 Comentário para: “Irmãos Coragem 1970 Resumo | Personagens | Trilha Sonora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *