Éramos Seis Resumo | Personagens | Trilha Sonora

Confira o resumo da novela Éramos Seis desde o primeiro capítulo. Além do resumo você terá informações sobre a história, personagens e trilha sonora. Fique por dentro das novidades das novelas, aqui você encontra o resumo completo de Éramos Seis e de todas as novelas do SBT.

Sobre a Novela Éramos Seis

◘ Período de exibição: 9 de maio de 1994 – 5 de dezembro de 1994
◘ Horário: 19h45 e 21h45
◘ Nº de capítulos: 180
◘ Autoria: Sílvio de Abreu e Rubens Edwald Filho.
◘ Direção: Henrique Martins e Del Rangel
◘ Direção Geral: Nilton Travesso

Dona Lola, é mãe dedicada de quatro filhos (Carlos, Alfredo, Isabel e Julinho), com personalidades bem distintas entre si, e esposa de Júlio, um homem austero…

O cotidiano da vida de Dona Lola, ao lado do marido Júlio e dos quatro filhos (Carlos, Alfredo, Isabel e Julinho) desde quando estes eram pequenos até a idade adulta, quando Dona Lola termina seus dias sozinha numa casa para idosos.

A história transcorre todos os fatos marcantes de sua vida: a dura luta para criar os filhos; a morte do marido; a morte de Carlos, o filho mais velho, vítima na Revolução de 1932; os problemas com Alfredo, metido com movimentos políticos e badernas; a união precoce de Isabel com um homem bem mais velho e casado; o casamento de Julinho com uma moça da sociedade que culmina com a ida de Dona Lola para um asilo.

Entre tanto sofrimento, alguns momentos leves, como a amizade de Lola com a vizinha Genu, casada com Virgulino, e os passeios à casa de sua mãe, Dona Maria, no interior, onde moram suas duas irmãs, Clotilde e Olga, e sua tia doente, Candoca. A espevitada Olga, se casa com o farmacêutico Zeca e juntos dão início a uma grande prole. Clotilde se apaixona por Almeida, um amigo de Júlio, mas não consegue romper com os padrões morais da sociedade quando tem de decidir no morar com ele que é desquitado/divorciado.

A História apresenta algumas diferenças em relação ao livro de onde foi adaptada. Pelo critério da produção e direção foram inclusos alguns personagem inexistentes como o marido e o filho de Dona Genú (que no livro era viúva e tinha 2 filhas e 1 genro), a namorada de Carlos que não existia, Sr. Almeida não é citado no livro e muito menos namora a irmã de Lola, Clotilde (essa personagem é sempre solteira) e o vendeiro Seu Alonso e sua esposa que também não eram personagens do Livro. As filhas de Tia Emilia eram bem mais velhas e uma delas morre no início do livro.

A ordem em que as coisas acontecem também teve alteração na adaptação para a TV. No livro o filho mais velho, Carlos, morre no fim da história da mesma doença do pai (úlcera) e nada tem a ver com a versão apresentada em que ele morre vitimado por um tiro na Revolução de 32 quase no começo da história. Não há o namoro de Julinho e de Isabel com seus vizinhos nem o de Carlos com Carmecita (personagem inventada). A Revolução mostrada na novela em que Alfredo e Lúcio lutam na verdade foi vivida no livro pelo personagem Carlos, e Alfredo após esta fase já tinha fugido de casa para se alistar na Marinha Norte-Americana. A mãe de Lola morre bem antes de Júlio, a personagem Tia Candoca quase não existe e Tia Emilia não tem a proximidade mostrada na versão televisiva.

Resumo de Todos os Capítulos da Novela Éramos Seis

**Exibição em Portugal – 87 Capítulos. Resumo disponibilizado do Capítulo 08 ao 94

Capítulo 8 Lola fica furiosa com a noite de farra do marido Júlio. Júlio faz-se de vítima para Olga e para Clotilde, dizendo que tem que trabalhar muito. Lola controla-se para não brigar. Na farmácia Zeca pergunta a Maria se teve notícias de Olga. Maria diz que não, mas crê que tudo deve estar bem. Zeca planeia ir para São Paulo. Genú e Olga conhecem-se. Genú está à procura de Lola. Na loja de Assad, ele está irritado, pois o projeto do senador Paulo Frontem ainda não foi aprovado. Júlio tem esperança de que com o aumento das vendas na época de Natal, eles (Almeida, Júlio e Assad) possam ter possibilidade de lucros. Júlio diz a Almeida para tirar da cabeça a história de casar, que não há nada como a liberdade absoluta, que mulher não consegue compreender o marido quando sai com os amigos, bebe e faz umas farras. No armazém de Alonso, Pepa está indignada. Alonso pede que ela tenha calma, acha melhor ela esperar o momento em que Genú apareça no armazém para que assim elas possam conversar. Alonso comenta que ele e Pepa têm conversado muito bem e diz que até se convence de Pepa gosta dele. Ela afirma que gosta dele. Ambos sorriem para o outro. Lola está preocupada, não sabe como contar a Júlio, que o filho repetiu de ano. Na casa de Itapeteninga, Maria comenta com Candoca que lamenta que Zeca tenha escolhido tão mal, Olga não é mulher que lhe sirva, que ele deveria casar-se com a Clotilde.

Capítulo 9 Ao tomar café em casa, Júlio avisa Lola de que trará as crianças depois do expediente e pede para que ela não demore em casa da tia rica. Lola diz que não irá demorar e defende a tia após Júlio comentar que a tia rica poderia pagar-lhe o que lhe deve. Júlio pede a Lola que chame as crianças. Julinho fica triste, pois Júlio, em tom seco, não o autoriza a levar o seu cachorro chamado Jagunço. Isabel, irmã de Julinho, desce as escadas juntamente com Olga. Lola diz a Olga que pediu para Isabel não usar o vestido branco. Olga diz que não pode fazer nada. Júlio intercede pela filha Isabel, que tanto gosta, tirando a autoridade a Lola, em frente da filha e mostrando uma grande diferença de tratamento para com os irmãos. Após Júlio sair com as crianças, Lola lamenta com Olga a diferença de tratamento de Júlio em relação aos filhos homens e Isabel. Olga percebe que Lola começa a ficar triste e tenta animá-la dizendo que os pais são mais atenciosos com as filhas. Ao perceberem que se podem atrasar para o encontro com a tia Emília (rica) apressam-se. Logo depois, ainda em sua casa, Lola percebe o seu outro filho, Carlos, em frente ao espelho muito arrumado e pergunta-lhe se tudo aquilo era só para ir à vesperal. Carlos diz que vai ao cinema com Carmencita e meio sem jeito, diz à mãe que precisa de um pouco mais de dinheiro. Lola, comovida por ver o quanto o filho estava crescido diz-lhe que lhe dará o dinheiro.

Capítulo 10 Emília mostra a Justina que é uma mãe preocupada com o estado de saúde da filha, com um tom amoroso ela diz à filha que espera que a prima Olga seja uma boa companheira . Zeca vai a casa de Itapeteninga buscar a encomenda que Dona Maria pediu para que ele levasse quando fosse para São Paulo, o doce de mamão. Como o doce ainda não está pronto, Maria diz que Candoca o irá levar à estação de comboio. Candoca faz uma expressão de quem não gosta muito. O motorista da Tia Emília deixa Lola, Olga e Clotilde em casa. Júlio ao ver o carro em que Lola chegou faz uma piada ao dizer que é um luxo, já que ele anda de autocarro e Lola num carro de luxo. Júlio sente inveja. Clotilde e Olga comentam a situação de Justina, Lola sente pena de Justina e pede para pararem de fazer comentários maldosos. Na casa de Assad e de Laila, Maria Laura recita muito mal. Assad percebe a falta de talento da filha, Laila acha que ela está ótima. Maria Laura acaba de recitar e os pais aplaudem… Maria Laura agradece como uma insuportável menina prodígio e vai para um canto da sala brincar com a boneca de louça chinesa. Assad pede que Laila ensine alguma coisa de acordo com a idade da filha, pois a menina não entendeu nenhuma palavra do que recitou. Laila fica ofendida. Assad muda de assunto e pergunta à esposa se as crianças se deram bem. Laila diz que a filha de Júlio é muito petulante. Assad gostaria que as crianças se dessem bem, pois quer estender os laços de amizade com Júlio para facilitar nos negócios. Almeida vai a casa de Júlio. Júlio pergunta confidencialmente se ele falou com Marion. Almeida diz que ela está à espera de Júlio à noite.

Capítulo 11 Lola leva algo para Alfredo comer no quintal sem que Júlio perceba, ela é ajudada por Durvalina. Alfredo, muito revoltado com o pai diz que não vai comer nada. Lola tenta fazer com que o filho entenda o seu pai, mas Alfredo diz que já está cansado e comenta quando Júlio chega bêbado a casa, levantando-se do castigo. Lola fica nervosa com o filho exigindo respeito para com o pai, quando Júlio percebe o barulho no quintal e aos gritos pela janela, manda Alfredo voltar a ajoelhar-se no milho. Com muita raiva, Alfredo lança o milho à parede, diz que não e que se irá embora daquela casa. Em seguida, sai a correr no meio da noite. Lola chora e sente-se culpada. Logo depois, Almeida chega do seu passeio com Olga e Clotilde. Assim que Olga entra para fazer um café, Almeida tem um breve momento a sós com Clotilde, os dois se entreolham e Almeida diz-lhe que espera nunca a dececionar. Olga volta a correr e interrompe o clima, para avisar que Alfredo fugio. Mais tarde, Lúcio conta aos pais, a estória da fuga de Alfredo. Genú diz que irá a casa de Lola para a apoiar, enquanto Lúcio fica com o pai. No armazém de Pepa, Carlos dá a notícia de Alfredo a Carmencita. Todos ficam tristes com a estória e oferecem ajuda. Em seguida, Carlos despede-se de Carmencita, que está triste por Carlos, sob os olhares vigilantes de Pepa.

Capítulo 12 Almeida chega à loja do Sr. Assad para trabalhar, porém atrasado. Sr. Assad sem saber o que tinha acontecido, chama a atenção de Almeida que o surpreende ao contar sobre o desaparecimento de Alfredo e que ficou na delegacia com Júlio até tarde. Durvalina, ao chegar a casa de Genú, entrega a Virgulino um bilhete para que ele faça uma ligação a pedido de Júlio. Genú, em tom bisbilhoteiro, começa a fazer perguntas sobre o carro da Tia Emília, querendo saber sobre a situação, mas logo é repreendida por Durvalina que trabalha em casa de Lola. Tia Emília continua em casa de Lola. Júlio não está a aguentar mais tanta raiva e não consegue entender como a Tia Emília não percebe. Júlio segue Lola até à cozinha, depois dela ter recolhido a chávena de café da Tia Emília. Júlio comenta com Lola que a Tia Emília não percebe e que está doido para falar com Alfredo. Lola pede calma e pede para que ele não bata novamente em Alfredo. Júlio diz que precisa de falar com o filho, pois ele o desrespeitou. Virgulino, realizando o favor a Júlio, liga para o Sr. Assad e explica que Alfredo já foi encontrado e que passou a noite em casa de uma tia rica. Após desligar o telefone, Sr. Assad faz algumas perguntas sobre essa tia rica à Almeida, querendo comprovar se realmente a tal tia era rica… em seguida faz alguns elogios a Júlio e diz a Almeida que pretende que Júlio seja seu sócio. Almeida ao ouvir o comentário, oferecesse-se para que ele entre como sócio e não Júlio. Sr. Assad estranha… Em casa de Itapetininga, Maria queixa-se a Candoca por ficar o dia inteiro sem fazer nada.

Capítulo 13 Almeida e Olga param de dançar. Carlos apressa-se em tirar o disco. Olga fica sem graça ao ver Zeca. Zeca está completamente louco da vida. Não sabe o que dizer. Instintivamente Olga leva Almeida até ele. Olga apresenta Zeca a Almeida e diz que é Almeida quem está interessado em Clotilde. Olga fica sem graça. Clotilde viu tudo sentada de onde estava. Lola divertiu-se com todo o imprevisto. No armazém de Alonso, Pepa ajuda-o no balanço. Ele diz-lhe que chegou uma carta para ela, Pepa apanha um susto… é algo que ela vem esperando há muito tempo. Alonso meio aborrecido, olha bem nos olhos dela e entrega-lhe a carta de má vontade. Alonso está magoado, diz que eles têm vivido muito bem e achava que ela já tivesse esquecido. Pepa definitiva, fala que jamais vai esquecer, que enquanto viver não irá desistir. Ela pega na carta e vai para a sala. Alonso fica com o olhar magoado. Na casa de Lola estão todos sentados na sala de visitas. As crianças, sentam-se no chão, Zeca está afundado no sofá, meio sem graça. Almeida fica ao lado de Clotilde. Lola já está com o pote de doces que a mãe mandou, sobre o colo. Olga apresenta Zeca a Júlio. Júlio e Almeida despedem-se de Lola e de Clotilde. Lola fica triste pois sabe que seu marido se irá divertir…

Capítulo 14 Julinho tenta convencer os homens a entregarem-lhe Jagunço. Os homens são irredutíveis, pedem a licença do cachorro, Julinho não tem e eles levam o cão na carrinha. Olga aproxima-se e diz a Julinho que lhe vai mandar outro cachorro de Itapeteninga. O carro começa a andar. Julinho fica em pânico, adora o Jagunço e não quer perdê-lo. Solta-se da tia e começa a chorar. O carro distancia-se com Julinho pendurado nele. Olga grita em pânico. Assad convida Júlio e Lola para jantarem em sua casa, quer também tratar de um assunto com ele. Júlio não entende e pergunta qual será negócio. Assad diz que quer manter em segredo. A carrinha para numa esquina e Julinho aproveita e abre a porta da gaiola que prende os cachorros. Os cães saem correndo. Olga que vinha atrás, está cansada de tanto correr e assusta-se com os cães todos a correr. Os homens da carrinha descem apressados do carro. Julinho corre velozmente atrás de Jagunço e consegue agarrá-lo. Os homens tentam apanhar os cachorros. Isabel ao lado da tia, ri da situação…

Capítulo 15 Júlio vai à Caixa Económica para pagar as prestações da casa. Enquanto espera na fila, um homem cria uma pequena confusão por ser multado pelo atraso nas contas. Júlio fica aliviado, pois tem o seu dinheiro contado para pagar a prestação. Em frente do Hotel dos Viajantes, Julinho tenta defender a tia Olga do homem que a incomodava, tenta dar um pontapé, mas não consegue. Olga começa a gritar e tenta bater com a mala no sujeito, quando o homem segura no seu braço e pega na bolsa e foge, ao ouvir o rececionista do hotel, Alaor, gritar que ia chamar a polícia. Julinho segura na mão da tia para correrem atrás do bandido. Olga, esbaforida, não vê outro jeito. Logo em seguida, Virgulino sai misteriosamente do hotel, procurando que ninguém se aperceba. Na loja do Sr. Assad, Zeca aparece para pedir um conselho a Júlio que o recebe com cara de poucos amigos, mas depois até acha graça à situação, de ser meter numa briga de namorados. Olga cansa-se de correr atrás do bandido, Julinho todo animado tenta convencer a tia de que podem apanhá-lo. Olga, irritada, diz a Julinho que está muito cansada e ao pensar na situação começa a ficar triste. Julinho tenta consolá-la e acalma-a quando diz que estão perto da loja onde o pai trabalha. Olga pede a Julinho que não conte nada a Júlio, com receio de que ele fique muito nervoso e não vendo saída, decide aceitar a sugestão do sobrinho.

Capítulo 16 No dia seguinte, Zeca tenta resistir para não ir a casa da Tia Emília como tinha dito a Olga, ela diz que prometeu à tia Emília que visitaria Justina. Assim que chegam, são recebidos friamente pelo criado Higino. Após aguardarem um tempo pela Tia Emília, a mesma aparece nas escadas com todo o seu charme e elegância. Tia Emília comenta com Olga que tinha pensado que ela se tinha esquecido. Olga, diz que jamais faria isso, em seguida apresenta Zeca à tia. Após Zeca se apresentar , meio tímido, à Tia Emília, ela começa a fazer aquilo que tanto gosta, analisar o seu sobrenome. Diz a Zeca que ele veio de duas famílias paulistas bem ilustres e dá os parabéns a Olga por ter um companheiro de ascendência invejável. Olga fica espantada, pois pensava que iria acontecer exatamente o contrário. Em sua casa, Lola ajuda Durvalina com a louça do café, quando de repente D.Genú aparece, dizendo que tem uma notícia muito grave no jornal. Lola não está muito disposta, mas acaba por ouvir D.Genú. Ela conta que no jornal há uma notícia em que uma criada rapta a filha da patroa. D.Genú comenta que todos precisam tomar cuidado com as pessoas que colocam dentro de suas casas.

Capítulo 17 Dentro da camioneta, Olga e Zeca voltam para a casa. Olga fica contente por Zeca ter impressionado a Tia Emília e comenta que na vida é bom ter amigos ricos e importantes, pois ela vê o quanto Lola sofre para criar os filhos. Zeca tenta dizer que isso não é o mais importante na vida. Na casa de Lola, Alfredo no seu quarto, começa a ler um dos livros eróticos de Virgulino que ele conseguiu esconder, enquanto aguarda a sua vez de tomar banho. Quando Durvalina entra no seu quarto para o chamar, ele esconde o livro debaixo do colchão. Enquanto isso na sala, Júlio e Almeida acabam de chegar. Júlio diz a Almeida que o Sr. Assad lhe deu o prazo de um mês para conseguir o dinheiro para a sociedade. Júlio chama Lola, mas quem aparece é Clotilde, toda desarrumada, por estar a fazer a lide de casa e ao perceber a presença de Almeida, fica toda envergonhada. Júlio brinca com Almeida que acha que quando apanha uma pessoa desprevenida é possível descobrir muitas coisas. Almeida lembra-se do seu passado e pergunta-se se Júlio não sabe de algo….

Capítulo 18 Alfredo sai para o quintal. Julinho pergunta se ele conseguiu escapar. Alfredo com um ar superior diz que sim. Julinho não acredita e Alfredo sai pelo portão todo convencido quando esbarra num homem misterioso. Alfredo pede desculpas e o homem continua andando como se estivesse observando a casa de Lola e toda a vizinhança. Lola procura Júlio na sala e reconhece todo o esforço que o marido fez. Júlio fuma o seu cachimbo e diz a Lola que não sabe se Alfredo lhe deu ouvidos. Lola diz que sim, que Alfredo não é tão mau quanto parece. Na cozinha, Olga lamenta-se com Clotilde por estar apaixonada por um boticário (Zeca) e não por um homem rico como nas histórias, quando percebe que Clotilde também está apaixonada. Clotilde tenta negar, mas no final acaba cedendo e ambas riem da situação. Na sala, Genú chega e diz a Lola que tem uma grande surpresa. Conta que o caso da criança desaparecida foi resolvido, pois ela foi encontrada e que a sequestradora era uma criada demente. Lola fica contente e diz a brincar que agora podem ficar despreocupadas com as crianças. Genú responde que não, pois nunca se sabe quando outra pessoa pode atacar.

Capítulo 19 Pepa olha para fora muito intrigada com o que Carmencita acabou de contar. Pepa diz à filha para ficar no quarto e não sair mais. Alonso fala com Pepa que está preocupado depois do rapto que aconteceu na Rua Augusta. Pepa pensa em outra hipótese, que se fosse mesmo a intenção do homem ele teria raptado a menina. Alonso pede para a mulher tirar isso da cabeça. Pepa preocupada diz que o homem é muito influente, poderia descobri-la quando quisesse. Alonso está preocupado com o que possa acontecer. Carlos olha para o armazém esperando que Carmencita saia de casa, mas nada acontece, os dois sentem saudades um do outro. Um homem de costas olha para o armazém, está parado na esquina, a fumar e um pouco nervoso. Na mesa de jantar, da casa de Lola, Júlio está irritado. O ambiente está tenso, ninguém fala. Júlio começa a comer, depois levanta a cabeça e olha para os filhos e para Lola. Lola timidamente leva a sua mão até à mão dele, que está sobre a mesa. Os dois olham a família que come unida. Lola aperta a mão de Júlio como se o entusiasmasse. Júlio aceita o consolo.

Capítulo 20 Assad conversando com Laila diz que está preocupado com Júlio, acha que ele está com dificuldades em arranjar o dinheiro. Laila, antipática, diz que a primeira impressão que ela teve ao jantar, foi das piores. Não entende que por eles terem parentes fazendo parte da mais alta sociedade, podem ser tão sem classe. Assad defende-os, dizendo que não são sem classe, que são simples. Assad confia na capacidade de trabalho de Júlio, que se tiver uma pessoa de confiança ele pode descansar. Laia pergunta a Assad o que acontece se Júlio não arranjar o dinheiro. Assad fica preocupado, pois se Júlio não conseguir o dinheiro terá que pensar numa outra pessoa. Marion e Júlio vão a casa do agiota. Simão diz a Marion que sem garantias nada feito. Júlio insiste em dizer que pode assinar papéis, obrigações, tudo o que Simão quiser. Simão não aceita. Marion pergunta se Simão estaria disposto a tirar a casa a Júlio e pôr toda a família na rua. Simão responde que negócios são negócios. Júlio ouviu tudo e foi ficando cada vez mais envergonhado. Júlio levanta-se juntamente com Marion, está com o sangue a subir-lhe à cabeça, a humilhação foi demais. Júlio furioso diz que Simão é um porco, que o dinheiro sujo que consegue é com a exploração da miséria dos outros, que o que Simão quer é roubar a única coisa que ele conseguiu em todos os anos de trabalho. Marion teme que alguma coisa possa acontecer e tenta tirar Júlio de lá. Júlio diz que Simão não irá ficar com a casa dele, que vai tentar arranjar dinheiro de uma outra forma mais honesta e menos nojenta. Júlio e Marion vão-se embora, o agiota age como se nada tivesse acontecido.

Capítulo 21 Júlio está furioso. Almeida explica que é divorciado. Estas palavras não consolam quase nada Júlio, ele leva a mão ao rosto, certo de que vem muita encrenca por aí. No armazém há um silêncio entre Pepa e Alonso, ela toma a decisão de falar, dizendo que não adianta mais adiar, tem que resolver o problema. Pepa vai ao telefone. Alonso só observa, com certo receio de como isto possa acabar. Um tempo dedepois de ter apanhado o cartão que José deixou começa a discar o número. Alonso acompanha tudo isto sem dizer uma palavra. Num clima mais calmo, Almeida diz a Júlio que na época em que era casado, chegou a casa e descobriu tudo, que foi horrível, brigaram e colocou-a na rua, toda a vizinhança soube. Júlio lamenta pelo amigo. Júlio pergunta com quem ficaram os filhos de Almeida, este explica que o seu advogado foi comprado pela família da sua ex-mulher e que até hoje não entendeu como conseguiu virar todas as evidências contra ela. Júlio fica espantado. Almeida continua dizendo que o advogado dela foi mais esperto e o dele foi comprado, que teve que recorrer a vários tribunais e no fim a sua ex recebe uma pensão altíssima e ainda ficou com os dois filhos e acaba de exigir um aumento, ele negou-se e ela colocou-lhe um processo. Júlio fica com pena do amigo e não sabe o que dizer…

Capítulo 22 No interior em Itapetininga, Zeca medica Maria, que está muito nervosa com Candoca, pois desconfia que ela tenha escrito uma carta às filhas, quando no mesmo instante, Maria escuta a voz de Olga e Clotilde… Candoca confirma que escreveu a carta e gaba-se por ter feito o que achava certo. No armazém, Pepa tenta dar a sua versão do facto de José ter desaparecido todo este tempo. Diz que foi por complicações políticas e a guerra. Alonso não aceita a história e não entende como ele conseguiu ficar tanto tempo longe da filha. Pepa diz que também foi falta de sorte. Alonso fica mais nervoso ainda quando Pepa diz que ele é um homem muito bom, pois ajudou a criar a sua filha. Alonso diz que Carmencita é sua filha também, pois viu-a nascer e que se Pepa realmente quiser ir embora, Carmencita ficará. Perto da sua árvore, Carlos e Carmencita conversam apaixonadamente. Carlos pergunta se Carmencita vai à festa, ela diz que sim. Ao fundo Carlos observa a filha, sem mistérios desta vez. Novamente no armazém, Pepa explica a Alonso que não pretende ir-se embora com José. Alonso diz que ela também tinha prometido que não encontraria José e mesmo assim o fez. Diz também que Pepa é obcecada por José e que ele a recebeu de coração aberto, mas de nada adiantou. Pepa fica parada sem saber o que fazer. Júlio chega a casa cabisbaixo e diz a Lola que o Sr. Assad não pode esperar mais tempo que o estipulado e que passou por mais dois bancos sem sucesso. Lola conforta o marido e é lembrada por ele que a sogra irá chegar no final do mês. Lola preocupa-se.

Capítulo 23 Júlio foi buscar a mãe à estação. Lola está preocupada com a chegada da sogra e inspeciona a casa para ver se está tudo em ordem. Almeida aparece de surpresa em Itapetininga, Clotilde fica surpreendida. Dona Marlene, mãe de Júlio, chega a casa de Lola, ela diz que a nora está um pouco gorda. Lola fica envergonhada e irritada. Olga tenta convencer Zeca a pedir a sua mão a D. Maria. Zeca pede-lhe um prazo pois só se prentende casar no ano seguinte. Olga não gosta, quer casar primeiro que Clotilde e acha que Zeca não deve demorar mais, pois ela pode mudar de idéia repentinamente. Zeca fica apovorado. Lola está muito preocupada em agradar a D. Marlene, o jantar está servido e a mãe de Júlio aparenta não gostar da comida. Lola percebe e se sente-se mal. Dona Marlene diz que o frango não está bom. Júlio concorda com a mãe, diz que nem se compara com a comida da mãe. Lola sugere que a sogra lhe mostre alguns de seus petiscos. Júlio intervém, diz que a mãe veio para. Dona Marlene fica contente com o filho. Lola prevê futuros problemas com a sogra. Clotilde e Almeida passeiam de mãos dadas, ele ainda não tem coragem de lhe contar a verdade. Na sala, Isabel está aconchegada com o seu pai. Dona Marlene observa e diz que os pais não devem mimar os filhos. Júlio diz que não é nada, que Isabel é sua filha do coração e quando é preciso corrige a filha. D. Marlene diz que no tempo do filho as coisas não eram assim, que os filhos respeitavam os pais e conheciam o seu lugar. Júlio não querendo contrariar a mãe, dá um beijo na filha e pede para ela brincar lá fora. Isabel sai contrariada. Júlio quer fumar o seu cachimbo, mas contém-se, por respeito à mãe.

Capítulo 24 Na rua, Alfredo e o seu grupo comemoram o que fizeram ao velho. Enquanto todos riem, Raio Negro vê a oportunidade de fazer as pazes com Alfredo e estende-lhe a mão dizendo que está arrependido. Alfredo aceita e todos comemoram. Em sua casa, enquanto se olha ao espelho, Pepa mostra-se muito preocupada e é surpreendida por Carmencita que percebe a sua tristeza. Pepa diz-lhe que às vezes se sente tão inocente por dentro quanto a filha. Carmencita pergunta à mãe se ela vai brigar com o pai novamente. Pepa diz que não e continua refletindo diante do espelho. Na cozinha, Lola conversa com Genú enquanto prepara a comida. Comenta com Genú sobre a sua preocupação com a doença de Durvalina, mas fica mais tranquila, pois Carlos propôs-se a cuidar dela. Genú pergunta a Lola se a sogra não se preocupa em ajudar nas tarefas de casa. Lola diz que a sogra não a ajuda em nada e Genú fica revoltada. No final da conversa, ambas riem quando Lola insinua que a sogra é uma bruxa. No bar, Alonso finalmente encontra José e após se sentarem e tomar uma bebida, Alonso vai direto ao assunto perguntando quais eram as suas verdadeiras intenções com Pepa depois de tanto tempo. Diz também que trabalhou muito para dar uma boa vida a Pepa e a Carmencita, afirmando que também era sua filha. De volta à rua. Alfredo, Lúcio e o resto do grupo, começam a fumar escondidos, numa das suas traquinices.

Capítulo 25 Tia Emília distribui todos os presentes aos filhos de Lola e deixa o último para a própria. Lola fica um pouco constrangida por não ter nada para retribuir, mas Tia Emília diz para não se preocupar. Ao abrir o presente, Lola ganha um antigo missal que pertencia ao pai e emociona-se, agradecendo muito à Tia Emília. Em seguida, D.Marlene aparece e cumprimenta a Tia Emília e Alfredo aproveitando-se da situação, ajuda a avó, D.Marlene, a sentar-se colocando o papel cola moscas, novamente na cadeira. Alfredo fica todo satisfeito. No hotel suspeito, Alaor cumprimenta Virgulino que acha estranha a forma como Alaor, o recepcionista, fala. Virgulino diz por preocupação que se alguém perguntar por ele é para dizer que não o conhece e dá-lhe dinheiro. Alaor aceita o dinheiro e faz uma cara de cínico. Novamente em casa de Lola, D. Marlene e Tia Emília conversam bem animadas tomando licor enquanto as crianças brincam com os novos presentes. Lola também conversa, mas está angustiada, pois o almoço irá atrasar-se. Em casa de Pepa, José aparece dizendo que se cansou de esperar e que a foi buscar. Lola está cada vez mais impaciente com a conversa interminável, até que a Tia Emília finalmente percebe que está a ficar tarde, ela cumprimenta todos e percebe que o cola moscas está colado na saia de D.Marlene. Em seguida fala novamente com Alfredo e ao pé do ouvido pede-lhe para que tenha juízo e que tome cuidado para não apanhar uma mosca muito grande. Alfredo entende e pisca o olho para a tia.

Capítulo 26 Em sua casa, Tia Emília acaba de receber uma carta de Carlos dizendo que ele já resolveu os seus problemas em Itapetininga. Justina fica muito contente ao saber notícias do novo amigo e Tia Emília começa a ver utilidades para Carlos no futuro. Em casa de Lola, Júlio procura um bom momento para conversar com Lola sobre o empréstimo. Primeiro ele disfarça dizendo que já comprou os bilhetes para Santos e depois pede para que Lola peça o dinheiro emprestado. Lola diz que nunca pediu nada à tia, fica muito angustiada, mas diz que vai pensar. No hotel suspeito, Genú pergunta, disfarçadamente, ao porteiro Alaor, sobre o hotel. Alaor diz que o hotel é de família. Em seguida, Genú tira uma foto de Virgulino e pergunta se Alaor o conhece. No mesmo momento, Alaor vê Virgulino a chegar que ao aperceber-se de Genú, se esconde. Alaor diz a Genú que nunca viu o homem da foto. À noite, Lola e Júlio estão a preparar-se para dormir, pois irão acordar cedo para irem a Santos. Júlio aproveita para dizer a Lola que ela ainda não lhe deu a resposta. Após um pouco mais de insistência de Júlio, Lola concorda em conversar com a tia. Júlio começa a tratá-la muito bem, devido à sua resposta positiva e diz que se tudo der certo, fará uma nova lua-de-mel com a mulher. No dia seguinte, domingo, todos olham maravilhados com a vista do mar. As crianças ficam muito felizes, já D.Marlene, com seu ar de superioridade, após ser questionada por Lola se gostou do mar, diz que já o tinha visto no cinema.

Capítulo 27 D. Marlene está a tossir, com dores no peito. Lola pergunta se a sogra quer alguma coisa, D. Marlene não quer nada. Lola está preocupada em pedir dinheiro emprestado à Tia Emília, por ela ser uma mulher imprevisível, Júlio pede para ela não se preocupar. Em Itapeteninga, Almeida está nervoso e aparece em casa de D. Maria. Clotilde aparece e pergunta o que aconteceu. Almeida muito emocionado e inseguro diz que precisa de dizer algo muito importante, uma coisa que pode mudar inteiramente as suas vidas. Clotilde fica nervosa e pede para que ele pense bem, que nunca lhe pediu nada e que se ele quiser terminar que ela entende, que não ficará sentida. Almeida diz que não é isso, pede que ela entenda que só faz isso para o próprio bem de Clotilde. Ela perde a calma, pede para ele se ir embora, prefere que ele vá sem pedir desculpa. Lola procura estar bem vestida para a visita da Tia Emília. No caminho encontra-se com Genu e diz à amiga que passou a noite toda remoendo imaginando a maneira certa de puxar o assunto sobre o empréstimo. Genu entrega um galhinho de arruda para Lola como sinal de boa sorte, afastar o mau olhado. Lola não acredita nessas coisas, mas aceita, para não desagradar à amiga. Passado um tempo, Clotilde está mais calma, diz que perdeu a cabeça e que não deveria ter dito aquilo a Almeida. Ele diz para ela não se desculpar, que é ele quem faz tudo errado, que não deveria ter feito a loucura de se aproximar dela. Clotilde confessa que no dia em que Almeida lhe fez a corte, ela achava-se uma solteirona sem esperança, sem futuro e que agora tudo mudou, mesmo que ele se vá embora ela terá ao menos as lembranças dos bons momentos que tiveram juntos. Almeida diz que não quer ir-se embora, mas que também não pode construir uma coisa em cima de uma mentira, quer ser franco com ela, por pior que seja a verdade ela precisa saber, se ela o amar de verdade, irá entender.

Capítulo 28 Lola acaba de chegar da rua e pergunta a Durvalina sobre as novidades. Durvalina diz que nada mudou, que Alfredo continua todo queimado de sol e que Julinho e D. Marlene continuam com dor de garganta. Lola sobe até o quarto para saber como está D. Marlene, mas é mal tratada pela sogra. Um pouco depois, Júlio chega a casa, mal-humorado e chama por Lola. Assim que Lola desce para a sala, Júlio um pouco mais calmo, pergunta como foi a conversa da mulher com a Tia Emília. Lola diz que a Tia Emília afirmou não ter o dinheiro e Júlio começa a ficar nervoso, mas em seguida acalma-se um pouco e coloca a hipótese de ela ser fiadora. Mas Lola diz-lhe que a tia também não vai aceitar. Júlio fica muito nervoso e começa a falar muito mal dos ricos, dizendo que só pensam neles e que não pensam nos pobres… A Tia Emília, cansa-se e sobe para o quarto deixando Lola perplexa.

Capítulo 29 No armazém, Carmencita olha para os dois e vai para dentro a correr e a chorar. Alonso perde a cabeça e põe, à força, José fora do armazém. Pepa vê a filha a chorar e pergunta o que aconteceu. Carmencita olha com raiva para a mãe dizendo que ela a enganou, que nunca mais quer falar com ela. Alonso conta a Pepa que a menina soube de tudo. Que a culpa é do José que apareceu de repente com as mesmas histórias de que queria a filha e a menina ouviu tudo. Alonso está com raiva e muito decidido e diz que já está cansado, que se Pepa prefere José que ela faça as malas e vá atrás dele. Pepa chora. No quarto de Lola, ela pede ao marido para esperar o resultado da lotaria antes de falar com Assad. Júlio não acredita que a sorte vai estar do lado deles, mas concorda em esperar pelo resultado do jogo antes de falar com Assad.

Capítulo 30 Em frente da casa de Genú, Duvalina comenta com as crianças, Isabel e Lili, sobre a barulheira na casa de D. Genú. Em seguida Julinho chega e pergunta o que está a acontecer. Isabel diz-lhe que o pai de Lili, Virgulino, foi preso e que D. Genú está muito irritada, quebrando as coisas em casa. Julinho diz a Lili que irá pedir ao pai, Júlio, que ajude Virgulino. Dentro de casa de Genú, Lola e Carlos tentam acalmá-la, mas Genú está realmente muito nervosa, imaginando o que faria com Virgulino se ele estivesse ali. Do lado de fora, Durvalina comenta com as crianças que acha que Genú está a ficar louca, pois ela não para de gritar, mas de repente Genú sai com um pau na mão, dizendo que vai à cadeia ter com Virgulino até que Lúcio a avisa que seu vestido está rasgado, Genú volta para a casa morrendo de vergonha.

Capítulo 31 Na porta de casa de Lola, Carmencita deixa um recado para que Lola repasse a alguém. Carmencita sai a correr e Lola fica intrigada. Pepa despede-se de Alonso e pede desculpas por o ter feito sofrer, por não o ter amado como devia. Carmencita vem da casa de Lola e pergunta se não dá para esperar mais um pouco, Carlos não estava em casa. Pepa diz que não pode esperar mais tempo para se despedir de Alonso. Alonso e Carmencita abraçam-se. Genu vai visitar Lola. Genu diz que a vida ensina grandes lições, que Virgulino mudou da água para o vinho, ele confessou tudo, ajoelhou-se aos seus pés e lhe pediu perdão. Contou que Virgulino se tinha relacionado com uma rapariga da telefónica… que praticamente o seduziu. Carlos volta para casa, Lola não se apercebe, pois está a conversar com Genu. Carmencita ainda tem esperanças de ver Carlos, mas José está com pressa não quer perder o transporte. Crmencita fica triste acha que Carlos a esqueceu, que não a quer ver. Lola consegue dar o recado de Carmencita a Carlos, ele vai a correr até ao armazém de Alonso. Lá ele encontra Alonso a chorar e pergunta-lhe o que aconteceu. Alonso diz que Carmencita se foi embora, que tentou esperar por Carlos, mas não podia esperar mais tempo. Carlos sai a correr.

Capítulo 32 Alonso está sozinho em sua casa bêbado, lembrando as coisas do passado, com raiva de Pepa e sentindo saudades de Carmencita. Em sua casa, Genú acaba de jantar com a família e diz a Virgulino que convidou Lola e Júlio para passarem lá em casa e dizer a Lola a surpresa que os filhos lhe irão fazer. Logo em seguida, Lúcio diz ao pai que quando crescer será advogado e assim poderá tirar o pai da prisão. Virgulino fica muito contente com o desejo do filho. Durante o jantar, todos estão de má vontade com Almeida, menos D. Maria e Zeca que tentam puxar o assunto com Almeida para tentar quebrar o clima pesado. Em seguida D. Maria pede a Candoca e a Olga que a ajudem na cozinha para Almeida e Clotilde poderem conversar a sós. Clotilde pergunta sobre os filhos de Almeida. Almeida diz que eles estão com a mãe e que se um dia Clotilde se casasse com ele, os filhos poderiam ficar por mais tempo com ele; Clotilde não gosta muito da ideia. Em casa de Lola, Carlos e Julinho decidem entregar o presente de Lola no dia seguinte. Enquanto isso, Júlio diz a Lola para avisar Genú que não poderá ir a sua casa, pois está com dores de estômago, causadas pela influência da mãe. Lola pede para que Julinho avise Genú. No quarto, Júlio está deitado quando Lola chega com o remédio. Lola diz-lhe que a galinha que D. Marlene fez estava muito apimentada. Júlio diz que se não comece seria pior, pois a mãe ficaria zangada. Lola pergunta se ele quer que chame um médico, mas Júlio dispensa.

Capítulo 33 As crianças contam as suas aventuras a Lola, o que cada um fez para dar o presente de Natal à mãe. Júlio serve-se de uma bebida, coisa que ele não costuma fazer diante das crianças. Lola repreende-o por ele ter passado mal na noite anterior, mas ele encolhe os ombros dizendo que é Natal e para o deixar comemorar. Tia Emília cuida de Justina muito carinhosamente. Justina está com a boca toda melada de chocolate como criança que se lambuzou toda. Tia Emília pacientemente limpa-lhe a boca. Lola e Júlio perguntam o que Julinho fez para juntar dinheiro. Julinho conta que vendeu Jagunço. Júlio e Lola ficam comovidos. Não sabem o que dizer. Dona Marlene surge a reclamar do barulho, que nem no dia de Natal pode dormir sossegada. Higino, empregado de Tia Emília, chama-a e diz que Justina estava a brincar com o gato quando este a arranhou e ela começou a bater no animal. Do lado de fora da casa, Justina está ao lado do gato morto. Justina pergunta à mãe o que aconteceu, para o gato estar tão quieto, diz que não gosta dele assim, que o gato é mau e que não gosta mais dele. Tia Emília fica desolada. Em Itapetininga Almeida presenteia D. Maria e dá à Clotilde uma caixinha com uma aliança. Clotilde diz que não pode aceitar. Almeida diz que não é só um presente, mas um pedido oficial de casamento. Ela não quer, diz que não iria dar certo. Almeida diz que se vai embora, desaparece da sua vida se ela disser que não gosta dele. Clotilde encara Almeida durante um longo instante, então começa a chorar e corre a chorar, segurando na aliança.

Capítulo 34 Lola e Clotilde estão finalmente sozinhas. Lola quer saber o que aconteceu entre Almeida e Clotilde. Lola espanta-se ao descobrir que Almeida foi casado e fica furiosa com Júlio por ele não a ter avisado. Zeca e o seu amigo Neves, encontram-se. Neves quer fazer uma despedida de solteiro para o amigo, num bar. Zeca diz que tem que ir para a casa de Olga, mas Neves não aceita desculpas. Neves insiste e Zeca relutantemente concorda. Já está quase na hora do fim do expediente, Júlio e Almeida, quando surge Assad acompanhado do turco Calux, o novo sócio da firma. Júlio fica muito triste. Alfredo e Carlos brigam novamente. Carlos conta a Lola que Alfredo matou muitos passarinhos e que ainda destruiu os ninhos dos passarinhos e acha muita maldade do irmão fazer este tipo de coisas. Lola diz para Alfredo parar com isso, que vai esperar pela chegada de Júlio para o castigar. Júlio e Almeida vão ao cabaré de Marion. Olga muito nervosa está a espera de Zeca, olha para o relógio e vê que o noivo não aparece. No bar Neves brinca com Zeca, diz que a decisão de Zeca é um passo muito sério e pergunta se ele já imaginou passar o resto da vida com a mesma mulher, dia após dia, comendo o mesmo prato. Zeca diz que o amigo lhe incute maus pensamentos.

Capítulo 35 Em Itapetininga, D. Maria diz a Lola que Olga está sempre a criar problemas com o Zeca, mas que elas precisam de se preocupar mesmo é com Clotilde. Lola diz à mãe que Clotilde parece bem, mas a mãe alerta-a de que na verdade não está e que se pudesse pediria a Almeida para fazer mais visitas à filha. Lola pede para que a mãe não faça isso. No cabaré, Almeida confidencia a Marion, como Júlio fazia. Almeida diz que Clotilde o expulsou, mas Marion, após tudo que Almeida lhe disse, pede para que ele vá atrás de Clotilde, pois uma mulher assim não se pode perder. Almeida fica pensativo. Novamente em Itapetininga, Zeca com os amigos tentam fazer uma serenata a Olga. Clotilde acha a serenata muito bonita, mas Olga ainda zangada, não gosta nem um pouco. Todas em casa começam a elogiar Zeca pelo romantismo e aos poucos Olga começa a mudar de ideias. Lola convence-a a ir à janela, mas Olga está com o rosto cheio de creme e não quer aparecer. Zeca fica muito nervoso porque Olga nem sequer apareceu à janela e influenciado por Neves encaminha-se para a casa de Olga disposto a terminar tudo, mas em seguida Isabel aparece e entrega uma flor a Zeca a pedido da tia e diz também que a tia o ama muito. De longe, Neves num clima descontraído diz que o amigo está mesmo perdido…

Capítulo 36 Olga finalmente aparece na cerimónia de casamento e estão todos a postos para que o Padre comece. Ao fundo, Almeida entra de surpresa, mas é surpreendido por Clotilde, e entreolham-se tristes e com esperanças. Zeca e Olga estão oficialmente casados. Todos estão felizes, menos Clotilde e Almeida que trocam olhares. D. Maria é a única que percebe a angústia dos dois. Vai ter com Almeida e cumprimenta-o ficando feliz por vê-lo e comenta que Júlio também ficará. Em seguida chama Júlio que fica feliz por ver o amigo e lhe diz que desta vez ele não pode deixar Clotilde fugir, levando-o até ela. Clotilde fica muito atrapalhada, Almeida pede-lhe para conversarem, e ela aceita. Almeida e Clotilde conversam um pouco afastados da festa. Almeida argumenta de todas as formas com Clotilde e chorando diz que a ama. Clotilde fica muito emocionada e depois de limpar as lágrimas de Almeida, beija-o apaixonadamente. Após o beijo Almeida pede-lhe que vá com ele, dizendo-lhe que a fará muito feliz. Clotilde beija-o novamente, mas ainda está triste. Depois de um tempo, Clotilde e Almeida voltam para a festa de mãos dadas, onde todos se estão a divertir, mas assim que se aproximam separam-se. Então Almeida diz a Clotilde que espera por ela na estação e Clotilde sem muita certeza faz sinal com a cabeça. No seu quarto, Olga é ajudada pela irmã Lola a preparar-se para a viagem de lua-de-mel. De volta à festa, Almeida comenta com Júlio a sua conversa com Clotilde, diz que combinou com ela apanharem o último comboio na estação e pede segredo a Júlio. Zeca e Olga despedem-se de todos para seguirem para lua-de-mel. A festa continua mesmo sem os noivos. Entretanto Almeida aguarda por Clotilde na estação, já sem esperanças de que ela apareça. O comboio já está a sair, e não podendo esperar mais, Almeida muito triste entra no comboio e vai-se embora. Assim que o comboio parte, Clotilde aparece do outro lado da estação e despede-se definitivamente do seu amor mandando um beijo em direção ao comboio que parte. Passaram-se dez anos e a cidade onde Lola e a família moram tem evidentes sinais de crescimento com mais casas e prédios. Lola chega à porta de sua casa e troca algumas palavras com Genú que a avisa sobre uma carta que está no chão, que acabaram de entregar. Lola diz que a carta é de Itapetininga e que depois lhe conta os detalhes, entrando em casa de seguida. Na loja do Sr. Assad, Júlio é agora o gerente e ao fechar a caixa comenta com Almeida que os negócios do Sr. Assad vão muito bem, e lamenta-se de não ter conseguido ser sócio de Assad. Em casa, Assad conversa com Karime, a sua nova noiva, que pergunta por que não se podem mudar para o Pacaembú. Assad responde que pretende abrir uma loja no Rio de Janeiro e mudar-se definitivamente para lá. Diz que pensou em Júlio, por ser um funcionário de confiança, para cuidar da contabilidade das quatro lojas em São Paulo, para que o sócio, Calux, não lhe passe a perna. Ambos riem da situação.

Capítulo 37 Lola olha para uns vestidos no armário. Estão todos velhos. Está preocupada, olha um olha outro. Escolhe um deles e sai com ele do quarto. Lola vai reformar a frente do vestido para ir ao casamento de Assad. Júlio não se conforma por ter perdido a oportunidade de ser sócio. Almeida diz que ele teve hipótese, que deveria ter vendido a casa. Júlio diz que Lola não deixou, com o argumento de que a casa era a única coisa que tinham. Júlio diz que às vezes fica com ódio da sua família. Lola está feliz que seus filhos Carlos, Julinho e Isabel estão encaminhados na vida, com seus estudos e futuras profissões, só lamenta por Alfredo não seguir o mesmo exemplo dos irmãos. Carlos tenta animar a mãe ao dizer que Carlos um dia irá descobrir sua vocação. Carlos pergunta se a mãe já leu a carta que chegou de Itapetininga. Lola diz que ainda não leu, quer ler na presença de todos. Julinho aparece, Lola quer saber notícias da escola de engenharia. Julinho desanimado conta que a escola é muita cara, acha melhor deixar de estudar e começar a trabalhar, pois eles não têm dinheiro para pagar o curso. Lola não quer que o filho deixe de estudar. Júlio desabafa com Alonso, imagina se os seus filhos irão reconhecer o esforço que ele fez por eles, acha que a casa está vazia já que todos estão crescidos e mal param em casa. Júlio percebe o problema de Alonso em relação à solidão e fica um pouco desconfortável. Julinho e Lili vão ao cinema, Isabel está-se a arranjar para ir ao clube Inglês. Júlio fica revoltado, pois os seus filhos nunca estão em casa. Lola tenta acalmá-lo dizendo que são jovens e precisam de se divertir. Irritado ele diz que trabalha o dia inteiro, sendo que os filhos de Lola só se divertem. No cabaré Alfredo e Lúcio jogam snooker. Lúcio não quer jogar outra partida porque irá ao clube Inglês com Isabel. Alfredo ri, diz que a irmã sabe manipular o amigo. Lúcio diz que gosta da irmã de Alfredo desde criança. Lola diz que gostaria de ler a carta de Itapetininga com os filhos, mas Isabel acha melhor a mãe ler primeiro e depois contar o que for importante. Lola fica um tempo vendo a filha ir-se embora, enfia a mão no bolso do vestido e segura a carta na mão. Olha para a carta bastante triste, Júlio entra na sala e vê a esposa assim. Vai até ela e carinhosamente coloca a mão no seu ombro e pergunta o que aconteceu. Lola diz que é bobagem, que recebeu a carta de Itapetininga e que queria ler com todos eles em volta, como fazia quando eram crianças. Júlio e Lola se olhos, eles entendem que estão sozinhos. Júlio com muita ternura conforta sua esposa ele abre a carta. Lola sorri com a atitude do marido. Zeca chega em casa. Olga está grávida de aproximadamente oito meses. Maria Emília, a filha do casal de 7 anos entra em casa assustada. Maria Emília diz aos pais que Tavinho e Júnior amarraram a Emiliana a uma árvore e estão a brincar aos índios. Zeca e Olga assustam-se e saem apressados. Numa árvore, está amarrada uma menina de 3 anos, Emiliana, que berra querendo sair dali. À volta dela, os dois irmãos: Tavinho (9 anos) e Júnior (5 anos) fazem de índios. Dando voltas e batendo com a mão na boca. Têm uns galhos na mão e um martelo. Zeca e Olga chegam e acabam com a cena, desamarrando a menina. Os pais repreendem as crianças, Emiliana chora abraçada a Zeca. A senhora Bulcão de Alcântara, ensina os passos do fox-trot aos jovens do Clube Inglês. Um ambiente bonito e descontraído. A música toca e os pares tentam acertar os passos, entre as pessoas, Maria Laura. Candoca e Maria vão até a casa de Zeca e Olga. Candoca diz que está a pensar vender a casa e ir morar com a família de Zeca por uns tempos. Olga aparece na porta a tempo de ouvir as ultimas palavras de Candoca, ela olha furiosa para Zeca e Dona Maria.

Capítulo 38 Lola fica furiosa com a noite de farra do marido Júlio. Júlio faz-se de vítima para Olga e para Clotilde, dizendo que tem que trabalhar muito. Lola controla-se para não brigar. Na farmácia Zeca pergunta a Maria se teve notícias de Olga. Maria diz que não, mas crê que tudo deve estar bem. Zeca planeia ir para São Paulo. Genú e Olga conhecem-se. Genú está à procura de Lola. Na loja de Assad, ele está irritado, pois o projeto do senador Paulo Frontem ainda não foi aprovado. Júlio tem esperança de que com o aumento das vendas na época de Natal, eles (Almeida, Júlio e Assad) possam ter possibilidade de lucros. Júlio diz a Almeida para tirar da cabeça a história de casar, que não há nada como a liberdade absoluta, que mulher não consegue compreender o marido quando sai com os amigos, bebe e faz umas farras. No armazém de Alonso, Pepa está indignada. Alonso pede que ela tenha calma, acha melhor ela esperar o momento em que Genú apareça no armazém para que assim elas possam conversar. Alonso comenta que ele e Pepa têm conversado muito bem e diz que até se convence de Pepa gosta dele. Ela afirma que gosta dele. Ambos sorriem para o outro. Lola está preocupada, não sabe como contar a Júlio, que o filho repetiu de ano. Na casa de Itapeteninga, Maria comenta com Candoca que lamenta que Zeca tenha escolhido tão mal, Olga não é mulher que lhe sirva, que ele deveria casar-se com a Clotilde.

Capítulo 39 Almeida pergunta a Júlio se está chateado. Júlio responde que está desesperado, louco de vontade para sair de casa, abandonar a família, os malditos filhos e desaparecer. Almeida não sabe o que dizer. Lili quer falar com Isabel sobre questões amorosas. Isabel está com pressa e sem muita paciência. Almeida diz que o amigo já não é o mesmo, que agora só vive triste e amaldiçoando a vida que tem. Almeida não entende Júlio, diz que o amigo criou bem os filhos, que todos estão encaminhados na vida e que Júlio tem uma esposa dedicada. Júlio diz que queria que seus filhos fossem seus amigos. Almeida pergunta se Júlio teve alguma atitude para fazer com que seus filhos o vejam também como um amigo. Júlio diz que já fez o bastante trabalhando muito na loja para dar sustento à família. Almeida diz que os filhos esperam o mesmo do pai, mas Júlio não gosta de ver que está errado. Lola pede a Carlos seja amigo de Júlio. Carlos não entende, diz que sempre foi amigo do pai. Lola nega, diz que convivem na mesma casa, mas que não são amigos, diz que Júlio tem sofrido muito com isso e que tem medo de que algo de mau lhe possa acontecer. Carlos não sabe o que fazer, mas diz que vai pensar. Lili pergunta a Isabel como se sabe que se está apaixonada. Isabel não sabe como responder, se alguém sabe a resposta é Lili. Isabel acha Lili muito nova para começar a namorar, ainda por cima porque Julinho é mais velho do que ela. Lili diz que Julinho é só 4 anos mais velho do que ela e que é comum o homem ser o mais velho na relação. Isabel diz que não há como resolver o problema, que acha melhor Lili conversar com Julinho. Lili acha um absurdo discutir o assunto com Julinho. Alfredo acorda tarde, Lola fica nervosa e pergunta se o filho não vai às aulas. Alfredo mente e diz que não tem aulas, é reunião de professores. Lola furiosa diz que nunca ouviu falar em reunião de professores no segundo ciclo, mas Alfredo diz que é uma nova lei. Maria Laura enfrenta a noiva de Assad, Karime. Maria Laura ao chegar da escola fica surpreendida ao ver Karime em sua casa. Karime diz que dentro de três dias vai-se casar com o pai de Maria Laura e vai morar lá em casa. Antipática Maira Laura responde que Karime já pensa que é a dona da casa. Karime enfrenta Maria Laura com muita segurança e superioridade. Trata-a como se fosse uma menina mimada, o que na verdade é o que ela é. Lola está a preparar algo para Alfredo comer. Ela pede a Alfredo o mesmo que pediu a Carlos, que ele seja amigo de Júlio. Alfredo seco diz que não pode fazer isso, que nunca vai conseguir ser amigo de Júlio. Lola fica chocada. Alfredo diz que já não sente raiva do pai como tinha quando era criança, mas ser amigo é outra coisa. Almeida aconselha Júlio a não ir ao cabaré, pois cada vez que ele bebe passa um dia de cão, acha melhor o amigo consultar um médico, pois a dor de estômago que Júlio tem pode ser coisa séria. Júlio não dá ouvidos a Almeida. Lúcio mais uma vez diz que gosta de Isabel, mas ela diz que só gosta dele como amigo e pede para que ele não toque mais no assunto. Ele concorda e faz-lhe companhia. Karime conta a Assad que tem um assunto muito delicado para tratar com ele, diz que tem a impressão de que terão muitos problemas com Maria Laura. Maria Laura consegue ouvir o final da conversa e não é vista pelos dois. Maria Laura não se contem e aparece irritada, diz que o pai não pensa se ela vai ficar feliz ou não. Assad não dá liberdade à filha para falar daquele modo, muito severo ele diz-lhe para ela não falar assim com ele, que Karime será uma ótima mãe. Maria Laura quase a chorar diz que não quer outra mãe, que ninguém nunca irá substituir Laila. Assad fica nervoso, Maria Laura tem medo do pai, Karime intervém. Karime diz que a culpa é dela e que não deveria ter tocado no assunto. Júlio liga para Alonso e pede para que este dê um recado a Lola. Júlio inventa que tem que fazer o balancete da loja e que não vai poder ir jantar a cas

Capítulo 40 Julinho e Lili caminham pelo orquidário e ele insiste com Lili outra vez para ir ao cinema com ele. Lili diz que a mãe não a deixará ir. Julinho diz que é muito mau namorar com uma miúda. Lili diz a Julinho que eles têm a mesma idade, então Julinho diz que já é um homem e que daqui a um tempo será um dos engenheiros mais importantes da cidade falando sobre seus sonhos a Lili, eles ficam muito animados, mas Lili diz que ainda não poderá ir ao cinema. No quarto de Alfredo, Lola tenta convencê-lo de que Júlio é um homem bom e que Alfredo está errado em dizer que o pai não gosta dele. Alfredo começa a lembrar Lola que apanhou a infância inteira do pai. Lola diz que Júlio também foi criado desta forma e por isso errou muito. Lola começa a chorar deixando Alfredo comovido e fá-lo prometer que tentará ser amigo do pai. Alfredo, por gostar muito da mãe, diz que tentará. Na sala, Carlos e Marcus acabam de chegar para estudar e encontram Isabel na sala que sai logo para deixar os dois mais a vontade. Antes de começar, Carlos lembra que precisa dar um recado do Sr. Alonso à mãe. Carlos entra no quarto da mãe e percebe que ela está a tentar disfarçar o choro e ao questioná-la, Lola pergunta-lhe se ele não gostava do pai. Carlos diz que dantes pensava que o pai realmente não gostava dele e dos irmãos, mas que agora entende o que o pai passou e que agora pode afirmar que gosta dele. Lola abraça o filho aliviada. No interior, Clotilde olha a lua e recorda o seu passado com Zeca e comenta com a mãe que realmente Olga teve sorte com o Zeca. D. Maria percebe a tristeza da filha e pergunta se ela tem saudades de Almeida. Clotilde diz que as coisas nem sempre acontecem como deveriam e volta a olhar a lua. No jantar em casa de Lola, toda a família está reunida, menos Júlio, Marcus que estudava com Carlos também está. Carlos começa a recordar uma história de Isabel quando era criança deixando-a muito envergonhada à frente de Marcus e sai da mesa sem jantar, todos riem. Em seguida, Alfredo diz à mãe que precisa de sair. Lola pede ao filho para ter cuidado. Carlos percebe a preocupação da mãe com Alfredo. Júlio está no cabaré e reencontra Marion depois de muito tempo. Júlio está bêbado e vai dançar com Marion muito alegre. Alaor, funcionário do Cabaré, olha Júlio com pena. No quarto de Isabel, Lola consola a filha depois das brincadeiras do irmão ao jantar. Isabel diz que só o pai a protege e que contará tudo a Júlio. Lola pede à filha para não fazer isso, pois Júlio está cheio de problemas. Ainda de noite, Lola explica a Isabel que Júlio anda nervoso porque acha que os filhos não gostam dele. Isabel preocupa-se com o pai e diz à mãe que precisam de fazer alguma coisa. Novamente no Cabaré, Alfredo vê Júlio a dançar com Marion e depois de alguns instantes, Júlio vê o filho olhando-o cinicamente e fica arrasado quando diz a Marion que o rapaz que o estava olhando era o seu filho. Marion preocupa-se por ver Alfredo ir para os fundos do Cabaré. Júlio também se preocupa com o que Alfredo dirá em casa. Logo depois, Marion pergunta a Alaor, o funcionário da casa, onde foi Alfredo. Alaor diz-lhe que ele entrou para a reunião do partido. Marion pede a Alaor que a avise quando Alfredo sair. De volta ao Cabaré, Marion tenta animar Júlio e pela primeira vez, beija-o. De volta ao Cabaré, Marion continua a tentar animar Júlio e demonstra estar apaixonada por ele. Júlio, num gesto mais fraternal, diz a Marion que ela sempre foi sua amiga ajudando-o a esquecer todos os problemas. Marion fica desanimada depois do que ouve.

Capítulo 41 Karime diz que pensou no presente que Assad quer dar a Júlio, acha uma boa ideia e acha que vai impressionar bastante os empregados das outras filiais. Assad diz que antes de viajarem vai deixar o bónus de Júlio na loja. Karime acha melhor que Assad entregue o presente na festa, assim todos ficam a saber. Assad gosta da ideia, diz que Karime pensa longe, por isso gosta dela. Assad diz que Júlio é um empregado muito dedicado, depois de 25 anos a trabalhar na loja merece uma consideração. Júlio vem arrasado do cabaré. Anda devagar pensativo, já não está bêbado. Chega até ao portãozinho e entra no jardim. Durante um tempo olha a casa, vê que a luz do quarto deles ainda está acesa. Fica envergonhado, sente uma grande tristeza e ao mesmo tempo uma grande vergonha. Baixa a cabeça, e desiste de entrar. Está confuso, olha o céu, encosta-se ao muro da varanda e acende um cigarro. Está arrasado e pensativo. Carlos vai até ao quarto da mãe, está preocupado com ela, percebe que a mãe está triste ultimamente. Lola conta que está preocupada com Júlio, que ele não tem cuidado da saúde, que anda muito triste. Lola diz que Júlio gostaria de ser amigo dos filhos para saírem juntos, conversarem e até passarem uma noite juntos a beber cerveja. Carlos diz que um dia irá combinar uma farra com o pai. Alfredo vem do fundo do cabaré, saindo da sua reunião política. Marion está impaciente à espera de Alfredo. Constrangida Marion diz que estava com o pai dele quando Alfredo entrou. Alfredo diz que Júlio lhe deve ter dado uma boa gorjeta para o convencer de que ele não estava lá. Marion ofende-se, pois sente-se amiga de Júlio e não gosta de ser tratada como prostituta. Marion diz que é amiga de Júlio há muito tempo, que ele falava sempre dos filhos. Marion não percebe que falou demais. Alfredo fica malicioso ao descobrir que o pai frequentava o cabaré há tanto tempo. Marion tenta explicar, que não era isso que ela queria dizer. Alfredo irritado diz que não quer saber dos assuntos que seu pai tem com Marion, o que ele viu está visto. Alfredo diz que é assunto de família para ela não se intrometer. Marion sente-se humilhada. Maria Laura diz a Assad que o casamento dele é um ótimo negócio, já que Karime tem mais dinheiro do que eles. Assad aproxima-se da filha agarra-a pelos ombros e enfrentando-a olhos nos olhos, diz-lhe para nunca mais falar daquela maneira, pois será obrigado a fazer uma coisa que nunca fez levantar a mão para a filha. Maria Laura sente o olhar do pai e fica com medo. Assad fica preocupado. Júlio quer falar com Alfredo. Alfredo pergunta se Júlio está com medo que ele conte à família onde ele esteve. Júlio não sabe o que dizer e pede para que o filho não fale assim com ele. Júlio grita quer a atenção do filho, quer abrir-se com Alfredo, mas este não lhe dá ouvidos. Lola que estava deitada acorda com os gritos de Júlio. Lola pede para o filho ouvir o pai. Alfredo obedece a Lola. Júlio fica desarmado e desiste, acha melhor conversar outro dia.

Capítulo 42 Em frente do colégio, o carro de Maria Laura está parado e o motorista à espera. Maria Laura insiste para que Isabel entre no carro com ela. Isabel não quer, mas acaba por ceder. Júlio diz que a conversa que quer ter com Alfredo é muito difícil para ele. Alfredo frio, diz que dispensa esta conversa. Júlio insiste, diz que a noite anterior foi a pior da sua vida, com medo de ser acusado pelos seus filhos, com vergonha de encarar Lola e pensou que não tem motivos para se sentir assim, pois foi um homem que sempre se sacrificou pela família e que tem o direito de se divertir de vez em quando longe de casa. Alfredo diz que o pai não lhe deve explicações. Júlio diz que não se está a explicar, mas a cobrar uma coisa que Alfredo negou ontem, a compreensão e a amizade que gostaria de ter sentido do filho. Para Alfredo, o pai não pode cobrar uma coisa que nunca lhe deu. Júlio enfrenta-o e pergunta como nunca foi amigo do filho, se criar o filho não significou nada, ter aguentado as suas boémias, as suas brigas, os seus envolvimentos com as más companhias, ter tentado mostrar um caminho honesto na vida. Alfredo baixa a cabeça, Júlio não tem mais nada a dizer. Alfredo abre a porta e sai do quarto. Júlio está nervoso, foi muito difícil para ele dizer tudo isto ao filho. Sente uma pontada na úlcera do estômago. Assad mais uma vez tenta falar com Maria Laura, tenta convencer a filha a aceitar Karime, mas ela está irredutível. Assad explica que é importante a compreensão da filha, e não quer que as pessoas pensem que Maria Laura é contra o casamento. Maria Laura olha para o pai e não responde nada. Lili aparece para almoçar com a família de Lola, senta-se ao lado de Julinho. Julinho segura a sua mão por baixo da mesa. Maria Laura diz a Dita que não vai ficar para assistir ao casamento. Dita não sabe o que fazer. Dita conta a Assad, e este não sabe o que fazer. Vai até a loja telefonar a Karime e diz a Dita para se Maria Laura voltar, não a deixar sair. Zeca e Olga receberam uma carta, onde diz que a prima Justina vem passar uns tempos com eles. Olga fica nervosa e não aceita, pede ao marido fazer alguma coisa. Lola entra no quarto, Júlio está a dormir, ela vai até à cama e passa carinhosamente a mão nos cabelos dele. Vai a sair e vê o frasco de comprimidos, repara na quantidade que Júlio tomou e assusta-se. Maria Laura aparece na casa de Lola à procura de Isabel, diz à amiga que não quer ir ao casamento e pede ajuda para se esconder. Ela abraça-se a Isabel. Maria Laura pede desculpas a Isabel por ter aparecido em sua casa desta forma. Isabel diz-lhe que não há problema e que se ela quiser desabafar está à disposição. Júlio acorda e pergunta se Lola o estava a vigiar, ela responde que está preocupada, pois Júlio tomou quase o frasco inteiro de comprimidos. Júlio diz que já está melhor do estômago e que tem que ir à festa do Sr. Assad. Lola fica apreensiva. Maria Laura conta a verdade a Isabel dizendo que fugiu de casa porque o pai se vai casar novamente e que quer colocar outra mulher no lugar da sua mãe. Isabel tenta argumentar com a amiga dizendo que ela está errada e que o Sr. Assad não pode fazer nada. Maria Laura não muda de ideias e diz a Isabel que não voltará para casa. Lola e Júlio arranjam-se no quarto e lembram-se das vezes que Júlio passou mal do estômago. Ao falarem sobre isso, Júlio lembra-se da mãe que agora está a morar sozinha e fica com pena. Na casa de Genú, Lili está a tentar estudar enquanto Julinho a incomoda com as suas brincadeiras. Passado um tempo começam a discutir, levantam-se e enquanto Lili grita com Julinho, ele diz-lhe que tem muita vontade de beijá-la. Lili é envolvida pelo clima romântico e quando se estão quase a beijar, Genú entra esbaforida e pergunta a Lili o que era aquilo.

Capítulo 43 De regresso a casa, Genú pede uma explicação a Lili por ter apanhado os dois quase a beijarem-se. Julinho adianta-se e mentindo, diz a Genú que foi lá para convidar Lili para o casamento do Sr. Assad a pedido de Lola, e que estava a ensinar uns passos de dança a Lili. Genú continua desconfiada e depois de Lili responder que não irá à festa, Genú pede a Julinho que se vá embora. Ao ficar sozinha com Lili, Genú diz que não acreditou em nada e que contará tudo a Virgulino. Lola procura Isabel e Julinho, aproxima-se a hora da festa e eles ainda não estão prontos. Durvalina diz que não viu Julinho, mas que Isabel está no quarto a conversar com uma amiga que chegou a chorar. Julinho abre a porta e ao entrar, na direção oposta vem Isabel com Maria Laura. Julinho não conhece a rapariga, e pára tímido, Maria Laura olha para ele. Isabel apresenta-os. Os dois olham-se. Maria Laura sorri para ele. Julinho percebe o olhar dela. Os dois dão as mãos num clima de romance. A casa de Assad já está preparada para a festa. Assad conta a Karime que procurou Maria Laura no Club, no colégio, na rua, em cinemas, mas acha que quando ela precisar dele irá voltar. Karime diz que Maria Laura tem razão para estar perturbada, que eles têm que ter paciência e que quando ela regressar ele não deve discutir, acha melhor agirem como se nada tivesse acontecido. Irritado Assad sabe que a filha é mimada e que não pode fazer o que quer. Karime diz que Maria Laura já não é uma criança, que já cresceu e que com o tempo irá compreender. Assad fica desacreditado. Maria Laura aparece, e seu pai tem uma atitude agressiva, mas Karime intervém e leva-a para dentro. Assad tenta conter sua raiva. Lola pergunta a Júlio se Almeida irá ao casamento de Assad. Júlio responde que sim. Lola fica um pouco irritada e pergunta se ele irá com a esposa. Júlio não gosta da implicância dela com o amigo. Lola diz que o Almeida fez a Clotilde não foi certo. Júlio diz que Almeida não fez nada, que foi a irmã de Lola que foi uma tola e não teve coragem de se casar com ele e que está solteirona e encalhada em Itapetininga. Julinho Isabel, Júlio e Lola já estão prontos, de repente Júlio sente uma dor muito forte no estômago, curva-se e passa mal. A família assusta-se. Júlio geme de dor, é amparado pelos filhos, Julinho e Lola colocam-no na cama, Isabel chora. Júlio diz aos filhos para irem à festa e explicar tudo a Assad, e tenta disfarçar a sua dor. Julinho e Isabel não querem ir ao casamento, mas Júlio insiste. Lola tenta disfarçar a sua preocupação diante dos filhos e diz para eles irem à festa. Quando Júlio e Lola estão a sós, ele contorce-se de dor. Lola acode o marido. Ao saírem de casa Isabel e Julinho cruzam-se com Carlos, contam a situação do pai. Carlos examina o pai. Carlos e Marcus apesar de serem estudantes, sabem que a situação é grave. Carlos vai à procura de um médico, Júlio não quer e fica nervoso. Lola muito amorosa tenta acalmá-lo. Na casa de Assad o casamento já está a começar, Maria Laura começa a chorar, mas Isabel procurar dar forças à amiga. Zeca irá para São Paulo para conversar com a Tia Emília sobre a vinda da prima. Maria fica animada e pede a Zeca para passar em casa de Lola para saber as novidades. Genu conta a Virgulino o que aconteceu na sala entre Lili e Julinho. Virgulino tem uma conversa com a filha, diz-lhe que não deve ficar a sós com um rapaz em casa. Lili diz que gosta de Julinho. Virgulino pergunta a a filha se Julinho gosta dela, mas ela não sabe responder. Virgulino explica que a sua condição de mulher faz com que se apaixone muito mais facilmente do que um rapaz. Diz à filha para esperar mais um pouco que cada coisa acontece a seu tempo. Lili concorda. O médico chega à casa de Lola, ela quer estar perto do marido, mas Carlos não permite. Carlos explica a mãe que o caso é sério e que ela deve deixar o médico a sós com Júlio. Lola fica apavorada e abraça o filho.

Capítulo 44 Maria sugere a Clotilde que aproveite a ida de Zeca para São Paulo e fique um tempo em casa da irmã, Lola. Clotilde fica com receio por não ter avisado a irmã e por achar que a mãe irá ter muito trabalho. Maria diz-lhe para não se preocupar, pois agora a Olga já a ajuda. Clotilde pensa bem e diz que poderá ir. Na casa de Assad, Almeida apresenta a mulher a Assad e a Karine, em seguida Assad pergunta a Almeida sobre Júlio. Almeida diz que Júlio teve fortes dores de estômago novamente. Júlio lamenta-se, pois tinha uma surpresa para Júlio. Karine diz que os filhos podem representá-lo. Almeida percebe. Na casa de Genú, Lili pergunta ao irmão Lúcio se já se apaixonou. Lúcio sem paciência, responde que sim. De volta à festa em casa de Assad, Julinho conversa galantemente com Maria Laura, quando é surpreendido pela voz de Assad chamando a atenção de todos. Assad diz que tinha uma surpresa para Júlio, mas como ele está doente, será representado o filho, e diz a todos que está muito orgulhoso pelos serviços prestados para a sua rede de lojas e dos seus sócios, que tem a honra de entregar um cheque de dez contos de réis a Júlio. Almeida comenta com a mulher que gostaria que Júlio não precisasse do dinheiro para poder devolver essa insignificância, depois de vinte e cinco anos de trabalho. No quarto, Lola e Carlos recebem a notícia de que Júlio pode estar com uma úlcera muito grave. Quando o médico e Carlos saem, Lola observa o marido sedado e começa a chorar preocupada. Na casa de Assad a festa já está a terminar. Isabel e Julinho despedem-se de todos e Julinho fica com impressão de que Assad é um turco descarado por tudo que aconteceu durante a noite e por pedir que Júlio apareça na loja no dia seguinte. De regresso a casa, Julinho diz a Isabel que ficou muito envergonhado com o que Assad fez, alegando que ele só fez aquilo para se armar em rico e generoso. Isabel diz que não lhe pareceu dessa forma, mas só consegue pensar no pai que está doente em casa. Na sala de Lola, Carlos volta com mais um médico para que possam ter certeza do diagnóstico de úlcera de Júlio. Durvalina e Marcus ficam muito preocupados. Em casa, Genú fica irritada e reclama com Virgulino por os filhos Lili e Lúcio, saírem de casa a meio da noite. Virgulino calmo, diz que já conversou com os filhos. Isabel mostra preocupação a Carlos e Lola quando sabe que estão dois médicos a examinar o pai. Carlos diz a Isabel para não se preocupar, pois este método é da praxe, mas faz isso para acalmar a mãe. Em seguida, escondido, diz a Isabel que é grave. No quarto, enquanto esperam pela confirmação do diagnóstico dos médicos. Julinho e Isabel contam à mãe que o Sr. Assad homenageou Júlio na festa dando-lhe dez contos de réis. Lola fica esperançosa e aliviada, pois agora terá dinheiro para pagar os médicos. Carlos começa a pensar que o pai não sobreviverá. No mesmo instante, Lúcio chega ao cabaré para avisar Alfredo, Alaor leva-o para a reunião onde Alfredo está. Na casa de Lola, Marcus e Lili esperavam na sala por notícias de Júlio, mas ao perceberem o momento delicado da família decidem ir-se embora. Lili lamenta, pois gostaria de ter falado com Julinho. Após ser avisado, Alfredo sai rapidamente do Cabaré acompanhado por Lúcio. Marion, ao perceber o movimento, pergunta a Alaor o que aconteceu e descobre que Júlio está doente. No quarto das crianças Lola e os filhos, exceto Alfredo, aguardam notícias quando um dos médicos aparece à porta. Ele diz que ainda não pode dizer nada, pois precisa de conversar com o outro médico para darem um diagnóstico correto. Carlos acompanha-os. Lola fica preocupada enquanto Julinho tenta acalmá-la.

Capítulo 45 De volta a casa de Lola, finalmente os médicos terminam a sua conferência e vão até ao quarto dos filhos de Lola para darem o seu diagnóstico. Ao chegarem, dizem a todos que precisarão de levar Júlio ao hospital para ser operado, pois a úlcera está muito avançada. Em seguida, ouvem Júlio chamar por Lola com uma voz fraca. Lola vai ter com o marido e vê a sua preocupação com a doença e como vão pagar o hospital, então, Lola lembra-se do cheque do Sr. Assad e mostra-o ao marido que se espanta com o valor e lamenta ter que o gastar desta forma. Lola pede para ele não se preocupar e beija-o carinhosamente na testa. Logo depois, Carlos orienta os enfermeiros mostrando onde está o pai. Na casa de Genú. Lili conta aos pais sobre a doença de Júlio. Genú briga com a filha por ela não ter dito nada antes, pois queria ajudar Lola, em seguida diz que vai até lá. Novamente em casa de Lola, os enfermeiros colocam Júlio na maca e carinhosamente os filhos despedem-se dele. Júlio nota a ausência de Alfredo e pergunta por ele, os irmãos não sabem onde ele está. Alfredo chega a casa e pergunta a Durvalina, que chora muito, pelo pai. Ela diz que os enfermeiros já estão a descer com ele. Alfredo vê o pai na maca e não sabe como reagir. Júlio também não sabe o que dizer e depois de um tempo, acaba sendo levado para a ambulância. Alfredo fica sozinho na sala muito abalado enquanto os irmãos se arranjam para irem ao hospital. Em casa, Assad comenta com a mulher Karine sobre a festa e diz que foi uma boa ideia dela sugerir que ele entregasse o dinheiro de Júlio diante da comunidade, pois ficaram impressionados. A mulher agradece dizendo que eles se vão dar muito bem. Já no hospital, Lola está no quarto com Júlio a fazer-lhe companhia quando o marido começa a dizer-lhe o quanto ela é importante na sua vida. Lola emociona-se e de seguida, o médico entra no quarto para avisá-los que a operação será de manhã. Lola e Júlio ficam temerosos. Pela manhã, os enfermeiros colocam Júlio novamente na maca para levá-lo para a sala de operações. Todos os filhos se despedem de Júlio e Lola é a última a falar com o marido. Isabel começa a chorar, todos estão preocupados. No interior, Clotilde prepara suas coisas para ir a São Paulo com Zeca, mas receosa, diz à mãe se não seria mau aparecer de repente na casa da irmã. D. Maria diz que Lola gosta muito dela e que não haverá problemas enquanto guarda os doces feitos para a filha. Zeca despede-se de Olga e dos filhos. Na loja do Sr. Assad, Almeida fala com Julinho ao telefone e fica a saber notícias de Júlio. Em seguida, Assad aparece preocupado, pois ouviu parte da conversa e recebe o restante das notícias de Almeida que diz que Júlio sempre se queixou de dores de estômago. Assad pede a Almeida que tome conta da loja e sobe para sua casa. De volta à loja de Assad, Marion aparece e diz a Almeida o que ficou a saber de Júlio no Cabaré e Almeida confirma que Júlio está a ser operado naquele momento. Novamente no hospital, todos estão muito nervosos e angustiados por não terem notícias, quando de repente o médico entra no quarto, todos ficam apreensivos, mas para alívio de todos, o médico diz que a cirurgia foi um sucesso e que não há motivos para a preocupação. Toda a família se abraça muito aliviados. Na casa de Lola, Durvalina vai abrir a porta e fica surpreendida pela visita de Clotilde e Zeca que estranha o silêncio na casa e pergunta onde estão todos. Durvalina diz que Júlio acabou de ser operado a uma úlcera e que acabara de receber notícias de Julinho por telefone. Clotilde preocupa-se e não sabe se vai até o hospital. Na loja de Assad, Almeida recebe as notícias de que a operação de Júlio foi um sucesso e diz a Marion que quando Júlio for ao cabaré novamente, irá com ele como nos velhos tempos. Os dois riem.

Capítulo 46 Clotilde está na varanda, muito preocupada, olha para ver se vem alguém. Dona Genú entra e vê Clotilde, vai ter com ela muito simpática. Genú diz que Júlio já está são e salvo. Clotilde alegre dá as boas novas a Durvalina. No hospital os filhos de Lola são muito atenciosos e preocupados com Júlio e Lola, principalmente Alfredo que é o mais preocupado de todos. Lola fica muito comovida com a atenção de Alfredo e beija os filhos um por um. Lola diz aos filhos para voltarem para casa que ela irá ficar no hospital com Júlio. No quarto do hospital, Júlio está a dormir e começa a delirar, Lola vê que o marido está com febre e fica apavorada diante da piora do marido. O médico tenta acalmar Lola, explica que Júlio precisa de forças para recuperar. Júlio está mais calmo e Lola começa a rezar. Lola pergunta a Clotilde como é que ela soube. Clotilde responde que não veio por causa disso, Zeca veio tratar de uns negócios com a Tia Emília e aproveitou a companhia dele e agora que chegou vai ajudar a irmã. Clotilde fica um pouco no hospital para que Lola possa ir a casa tomar um banho e trocar de roupa. Almeida quer ir ao hospital visitar o amigo, o Sr Assad não gosta muito, não quer que a loja fique sem ninguém, mas não o impede de ir. Genú e Virgulino também irão ao hospital. Genú não tem um bom pressentimento sobre a saúde de Júlio. Lola comenta com Clotilde que acha que Júlio está feliz, pois em muitos anos é a primeira vez que todos se reúnem à volta dele. Alfredo está muito abalado com a doença do pai e acha que o pai está doente por sua culpa, pergunta-se porque o pai trabalhou tanto pela família. Lola diz que ninguém se pode culpar, que Júlio teve uma vida de extravagâncias, que nunca seguiu conselhos médicos. Alfredo não gosta de ver o pai assim. Lola pede ao filho que diga isso ao pai, pois ele ficará muito contente. Alfredo diz que nenhum deles consegue dizer isso, que há pouco Carlos quis dizer que gostava do pai, falar em nome dos irmãos, mas que só conseguiu dizer quer queriam que ele recuperasse rápido. Triste e confuso Alfredo não sabe explicar porque se sente assim. Lola comenta com Clotilde por que será que as pessoas demoram a descobrir que gostam umas das outras. Clotilde diz que as pessoas perdem muito tempo com ninharias, que quando percebem a felicidade já passou pelos vãos dos dedos. Clotilde está muito triste. Lola e Isabel saem do hospital, Clotilde está no quarto de Júlio fazendo companhia. Almeida vem pelo corredor do hospital, olha o número dos quartos à procura do quarto de Júlio. Chega à porta do quarto e bate. Clotilde escuta as leves batidas na porta, levanta-se calmamente e vai até a porta, abre e vê, na sua frente, Almeida. Um impacto no encontro dos dois.

Capítulo 47 Após o reencontro Almeida pergunta a Clotilde como Júlio está e senta-se ao lado do amigo. Clotilde diz que Júlio agora está bem, mas fica embaraçada com a situação. Lola chega a casa e diz a Durvalina que só apareceu para tomar um banho e voltar ao hospital. Durvalina fica tranquila ao saber que Júlio está melhor e diz a Lola que os meninos estão bem. De volta ao hospital, Júlio abre os olhos, mas muito fraco não consegue conversar como deve ser com Almeida. Almeida incentiva muito o amigo dizendo que Júlio está muito bem após a cirurgia, que Assad diz que não há funcionário como ele e que o filho recebeu uma grande homenagem em nome do pai. Júlio agradece com breves gestos. Almeida despede-se de Júlio tentando disfarçar a emoção, em seguida despede-se também de Clotilde dizendo que está às ordens. Ambos se entreolham por um tempo. Clotilde fica muito perturbada, pois ainda se amam. Olga muito irritada, tenta fazer a filha parar de chorar quando Candoca bate à porta. Assim que Olga vê a tia troca meia dúzia de palavras e vai para o quarto deixando a filha com a mãe. Em seguida Candoca pergunta a D. Maria se Zeca já tinha pensando na proposta que ela fez para voltar a morar com eles. D. Maria fica espantada com o descaramento da irmã e diz que Zeca foi para São Paulo conversar com Emília, mas que desta vez Emília poderia não gostar do que Zeca tem para dizer. Em casa, Tia Emília fica muito descontente com Zeca por achar que ele não queria receber Justina em sua casa. Zeca então explica a Tia Emília que na verdade ele só quer mais um mês até que Olga dê à luz a sua outra filha e pede desculpas. Tia Emília lembra a Zeca tudo que já fez por ele e diz que precisa que ele receba Justina. Alfredo e Lúcio estão a jogar bilhar, quando Lúcio começa a dizer ao amigo que no início a relação dele com o pai também não era fácil. Alfredo então diz que Júlio é diferente de Virgulino. Lúcio diz que todos os pais são iguais e que os filhos precisam encontrar uma maneira de conviverem. Novamente no hospital, o médico diz a Júlio e Lola que daqui a uma semana ele poderá ir para casa. Júlio pergunta pelos filhos, pois quer dizer-lhes tudo o que não pode dizer até o momento. Ambos ficam esperançosos por um novo começo na família. No corredor, Clotilde continua a pensar em Almeida procurando disfarçar. Na loja, Assad também percebe a tristeza de Almeida e ao questioná-lo, recebe a resposta de que está tudo bem. De volta ao hospital, Clotilde conta a Lola que se encontrou com Almeida e diz à irmã que se tudo tivesse acontecido agora, iria com ele sem a menor dúvida. Lola diz que sempre admirou a postura da irmã em não ter aceitado a proposta de Almeida naquela época. Clotilde diz a irmã que ela não sabe o que é viver sozinha. No orquidário, Lili e Julinho voltam da escola, quando Lili pergunta a Julinho se ele a ama. Julinho fica surpreso com a pergunta, mas após muita conversa e algumas pequenas discussões, acabam se beijando. Na casa da Tia Emília, Zeca não vê outra maneira senão aceitar o que Tia Emília lhe pede e muito humilhado, recebe o pagamento do mês. Justina irá para a casa de Zeca no fim de semana. No hospital, toda a família está reunida com Júlio que promete aos filhos que desta vez todos serão amigos e pede a Carlos use o cheque de Assad para acabar de pagar a casa. Todos ficam felizes, inclusive Alfredo. No dia seguinte, Carlos vai ao banco para pagar o que falta da casa. No hospital, Júlio comenta com Isabel que não vê a hora de Carlos chegar com a escritura para todos comemorarem. No banco, Carlos finalmente é atendido e é apanhado de surpresa quando funcionário diz que em vez dez contos de réis, vai ter que pagar treze devido a uma nova nova lei que cobra mais impostos na última parcela. Carlos sai furioso da fila e vai falar com o gerente. De volta ao banco, Carlos tenta ver com o gerente se há algo errado. O gerente muito seco, diz que não.

Capítulo 48 Carlos vem pensativo e chateado, diz à mãe que o dinheiro não chegou. Lola pergunta como, já que eram quatro prestações de dois contos e quinhentos e pensa se Júlio não se enganou nas contas. Carlos diz que Júlio não se enganou, inventaram uma nova lei que obriga as pessoas a pagarem um valor a mais, que ele não sabe dizer ao certo quanto, no fim de todas as prestações. Carlos diz que não sabia o que fazer e resolveu pagar as quatro prestações com os dez contos do turco. Lola preocupada pergunta quanto ainda devem, Carlos responde que devem três contos de réis, que devem ser pagos no final do ano senão vai aumentando progressivamente, o contrato continua o mesmo se não pagarem o valor restante eles podem ficar com a casa. Clotilde pergunta-lhes se vão contar a Júlio que a casa não está paga. Lola acha que Clotilde tem razão, que não custa nada dar esta alegria a Júlio. Alfredo acha que será pior, que não é correto um homem alegrar-se com uma mentira. Carlos discorda, acha que Lola tem razão. Lola quer contar quando Júlio estiver curado, não o quer privar desta alegria, mesmo que seja uma mentira, crê que ele ficará muito contente e que seria até capaz de se levantar da cama. Zeca chega a Itapetininga, conta à família o que aconteceu com Júlio. Maria fica aliviada por Clotilde ter ficado para dar apoio a Lola. Olga pergunta à Zeca como foi a conversa com a Tia Emília. Zeca conta ela não aceita, pois a sua outra filha Adelaide irá regressar da Europa e não pode saber que Justina não está internada num hospício. Emília e diz a Justina passará uns tempos na casa do primo José Carlos. Justina fica feliz, porque assim pode brincar com as crianças e pergunta quando irá. Emília preocupada diz que daqui a alguns dias e pede à filha para lavar o rosto. No quarto do hospital, Júlio está na cama e com ele estão Carlos, Julinho, Isabel e Lola. Júlio pergunta onde está Alfredo. Lola mente e diz que Alfredo viria assim que pudesse. Carlos animado diz que não trouxe o recibo, porque por ser de quitação deveria ser feito em cartório, mas que já está tudo pago. Júlio pergunta à Lola se a casa é deles. Lola diz que sim. Almeida está de saída da loja, na rua encontra-se com Marion, ela quer saber notícias de Júlio. Almeida diz que ele está bem, a recuperar. Muito triste Marion conta que a última vez que se encontraram no cabaré, um dos filhos de Júlio apanhou-os a dançar e que Júlio ficou arrasado, Marion até acha que ele ficou doente por causa disso. Almeida quer saber mais e vão até um bar. No quarto de Zeca e Olga em Itapetininga, ele está muito chateado a pensar na humilhação que passou em casa da Tia Emília. Júlio conta a Lola que é um sonho saber que a casa é deles. Lola entristece-se, mas não demonstra. Júlio está nostálgico, comenta que apareceram muitos palacetes na avenida e que a casa já deve estar valorizada pelo triplo que pagaram. Ele faz planos para a casa, pintá-la, aumentar o quarto de Isabel e pela primeira vez pode dizer que depois de vinte e cinco anos a trablhar para o turco sente que tem alguma coisa, que Lola tinha razão. No bar com Almeida, Marion confessa que está farta de ver Júlio uma vez por mês, e que só agora que ficou perto de o perder é que percebeu que gosta dele, que sempre gostou, mas que foi cega demais para perceber. Ela diz que chegou a hora de lutar por ele enquanto ainda há tempo. Almeida não esperava por este desabafo, ficou um pouco assustado. Zeca não consegue dormir, está preocupado com a vinda de Justina. Acha que Justina poderia ficar com Candoca e ele pagava as despesas, só para ela não ficar muito tempo com eles e a casa de Candoca é perto. Olga duvida que Candoca fosse aceitar pois não faz nada o dia inteiro e Justina daria muito trabalho. Zeca diz que até poderia colocar uma empregada para ajudar Justina. Zeca vai pedir a Candoca esse favor. Marion vai visitar Júlio no hospital, quando ele chega à porta do quarto de Júlio, Lola abre a porta.

Capítulo 49 No hospital, Marion finalmente conhece Lola e tenta disfarçar dizendo que foi visitar uma amiga. Lola tenta ajudá-la e muito feliz pela melhora do marido, conta que ele já está melhor. Marion repara bem em Lola e muito triste percebe que não pode competir com ela, em seguida vai-se embora. No quarto de Júlio, toda a família está reunida quando recebem a notícia do médico de que Júlio já pode voltar para a casa. No interior, antes de Zeca sair de casa, Olga obriga-o a prometer que conversará com Candoca. Em frente à casa de Lola, Isabel aguarda pelo pai com Genú e Lili, quando percebe que o pai chega num carro alugado com Lola e os filhos. Todos ficam muito contentes com o regresso do pai. Na loja de Assad, Almeida diz ao chefe que Júlio finalmente voltou para casa e Assad comenta que agora é só esperar para ver quanto tempo Júlio levará para voltar ao trabalho. Já dentro de casa, Lola preocupa-se com o facto de Júlio ter optado por ficar sentado no sofá da sala. Júlio está melancólico por pensar que a sua vida sempre será sempre assim e que não terá muito tempo. Todos ficam surpreendidos com a depressão de Júlio, pois não a esperavam. Isabel sobe para o quarto a chorar. De volta à sala, Carlos conversa com o pai que está muito desanimado tentando convencê-lo de que agora ele precisa de ter certos cuidados com a saúde. Júlio após reclamar um pouco acaba por ouvir o filho e ao subir as escadas com a ajuda de Carlos, agradece a Alfredo por o ter ido buscar ao hospital. Enquanto isso, Clotilde anda pela cidade pensando em Almeida e do tempo passaram juntos. Na loja de Assad, Almeida telefona pedindo que dêem o recado do seu encontro com Marion. No interior, D. Maria recebe a notícia de que Júlio já está em casa e bem melhor, em seguida comenta que Júlio tinha muitas preocupações para a cabeça. Olga ouvindo a mãe, diz que Júlio ficou doente porque bebia muito apanhando D. Maria de surpresa, pois Lola nunca lhe tinha contado nada. Zeca chega ao fim da conversa e fica muito zangado com Olga por ela ter falado demais e leva-a pelo braço para o quarto. Pelas ruas, Clotilde aproxima-se da loja de Assad e observa Almeida de longe, a ganhar coragem para falar com ele. No quarto, Júlio pede desculpas a Lola pela cena que fez na sala, pois não entendia porque estava tão alegre ao sair do hospital e ficou tão triste ao chegar em casa. Júlio ainda diz que estava com uma sensação de que nunca mais veria os filhos. Em seguida é prontamente interrompido por Lola, dizendo que o pior já passou. Na loja de Assad, Almeida sai para almoçar e para se encontrar com Marion. Clotilde segue-o. De volta a Itapetininga, Zeca descompõe Olga no seu quarto por ter dito a verdade sobre Júlio à mãe. Na rua, Clotilde após seguir Almeida ganha coragem para enfrentá-lo e fingindo, esbarra com ele propositadamente. Em seguida começam a conversar sobre Júlio e de como seguiram as suas vidas. No interior, Olga tenta aproximar-se da mãe para pedir desculpas. D. Maria diz à filha que já não é uma criança e que só ficou preocupada com Lola. Depois, Lola conta a conversa que teve com Zeca e D. Maria, prevenindo-a, pede para que Olga não perca as estribeiras com Zeca. Em casa de Lola, Carlos pede a todos os irmãos que tentem fazer com que o pai não se aborreça. Em seguida, no quarto de Isabel, conta à irmã que se a úlcera do pai abrir novamente pode ser fatal. Isabel chora, mas promete que ajudará o irmão em tudo. Novamente no bar, Clotilde e Almeida tomam um chá e continuam a falar sobre as suas vidas, até que Clotilde ao ouvir Almeida falar sobre a sua mulher, pergunta se ele é realmente é feliz.

Capítulo 50 Candoca pergunta a Maria se acha que Clotilde vai procurar Almeida. Maria diz que Clotilde sofreu muito, mas tomou uma decisão se não quis um homem divorciado também não irá querer um homem casado. Clotilde insiste na pergunta. Almeida pergunta porquê e se ela também é feliz. Clotilde fica atrapalhada e não sabe o que responder. Nesse momento aparece Marion, Clotilde assusta-se levanta-se rapidamente, entornando o chá, fica ainda mais confusa, não sabe o que fazer, ameaça chorar, pega a mala e sai a correr sem dar explicações achando que era a mulher dele que tinha chegado. Almeida não sabe o que fazer. Marion achando tudo muito divertido comenta que ela é muito estranha, que parece que viu o diabo. Clotilde volta a chorar, limpa o chá que entornou no vestido. Chora humilhada, as pessoas passam. Sente-se muito mal por tudo que fez que não era o seu estilo. Almeida dá a entender dubiamente a Marion que ainda não esqueceu Clotilde. Júlio já está em casa, está indisposto, não quer comer nada, quer ao jantar poder descer e comer com todos reunidos à mesa. Lúcio acompanha Clotilde até à casa de Lola. Genú vê e não gosta muito. Quando está a sós com o filho diz que Clotilde é mais velha do que ele, que ela não quer problemas com Lola. Lúcio diz que não foi nada demais, que só foi gentil com ela. Clotilde ficou com boa impressão de Lúcio, mas guarda isto para si. Zeca fala com Candoca a respeito de Justina. Candoca diz que não, que é um emplastro. Zeca diz que Justina não incomoda nada, mas Candoca é mais esperta e pergunta se ela não incomoda por que querem colocá-la nas suas costas. Candoca diz que tem consideração por Zeca, mas diz que não vai dar certo, que ele não pode contar com ela. Genú fica a matutar por ter visto o filho com Clotilde e diz que precisa de falar com Virgulino. Lúcio conta a Alfredo que foi gentil com Clotilde dando-lhe o braço e acompanhando-a a casa de Lola. Alfredo ri da situação e lembra que quando eram crianças Lúcio ficava olhando para Clotilde, admirando-a. Virgulino acha que Genú está a exagerar em relação a Lúcio. Júlio apoiado em Isabel vai descendo para o jantar, devagar. Lá em baixo já estão Clotilde, Lola, Durvalina, Julinho e Carlos, falta Alfredo. No cabaré Alfredo dança com Marion, imitando o que o pai fazia o mesmo tipo de dança, quase uma repetição. Faz Marion dar uma volta ao salão, retorna aos braços dele e dá-lhe um beijo. Marion fica passada, sem saber o que fazer, mas dá-lhe uma bofetada. Alfredo pergunta se não beija melhor do que o pai. Marion deixa Alfredo plantado na pista depois de ele lhe ter dado um beijo. Alaor assiste a tudo com ar traquina. Alfredo encaminha-se para ela e pergunta se ela virou moralista inocente. Marion furiosa, diz que eles combinaram de dançar, não ter outras intimidades, que ela escolhe quem beija, que não será um fedelho, muito menos o filho de Júlio. Marion diz que o lugar dele naquele momento é ao lado do pai, diz a Alfredo para se livrar da amargura do coração e fazer as pazes com o pai enquanto ainda é tempo. A família de Júlio está contente, até brincam à mesa. Isabel comenta com Julinho que há muito tempo que não via o pai tão bem, ela crê que as coisas irão melhorar se ele deixar de beber, vai ficar com saúde e tudo vai entrar nos eixos.

Capítulo 51 À noite, na sala de Lola, Clotilde espera pela irmã que aparece preocupada com Alfredo, que ainda não chegou a casa. Clotilde comenta com a irmã a confusão ao jantar, mas que não pode fazer nada para ajudá-la. No interior, Zeca e Olga preparam-se para dormir, quando Olga questiona Zeca sobre se Candoca tinha aceitado a proposta de cuidar de Justina. Zeca responde que Candoca não aceitou e que não podia obrigá-la. Olga reclama muito e tenta conformar-se. Alfredo tenta voltar para a casa às escondidas, mas é surpreendido por Lola que estava à espera dele. Lola exige uma explicação do filho por ter deixado a família no primeiro jantar de Júlio de volta a casa. Alfredo diz que está cansado de tentar dizer as coisas sem que ninguém o entenda, mas diz à mãe que está arrependido. Lola dá um tremendo raspanete ao filho por prejudicar a saúde de Júlio, pois o pai sentiu sua falta. Em seguida, Lola ouve Júlio chamar e pede a Alfredo que vá para quarto. Alfredo acaba de entrar no quarto e leva um raspanete dos irmãos, Carlos e Julinho, por ter desaparecido à hora do jantar. No dia seguinte, Durvalina volta para casa com pão e leite, pois terão a visita da Tia Emília. Lola fica surpresa e muito confusa quando recebe a notícia de Durvalina, pois está preocupada com a confusão na sua casa e ainda terá que receber a tia. Clotilde ajuda Lola a arrumar rapidamente a sala, pois não querem causar má impressão. Alfredo acaba de acordar e não está muito contente pelo que fez na noite anterior. Júlio está no quarto a ler o jornal quando se começa a lembrar das brigas que teve com Alfredo. Em seguida, grita para Lola pedir a Alfredo para ir até ao seu quarto. Lola ouve e comenta com Clotilde se ela conhece alguma maneira de parar um terramoto, pois está com a impressão de que Júlio brigará com Alfredo. Lola entra no quarto de Alfredo para avisá-lo, mas encontra o filho já vestido. Lola faz recomendações a Alfredo que responde que sabe que não pode discutir com o pai. Logo após, Alfredo entra no quarto do pai. Júlio começa a conversar com Alfredo ainda com um pouco de dificuldade dizendo que o filho tem uma casa com uma grande família e que Lola trabalha muito para dar o melhor aos filhos. Na sala, Lola e Clotilde tentam ouvir a conversa dos dois. De volta à conversa, Júlio começa a falar da vida, dizendo que sabe que ele não é exemplo e por isso está naquela cama, coisa que ele não quer que aconteça com o filho. Alfredo ouve tudo muito calmo e diz ao pai que vai terminar o curso. Alfredo ouve tudo e em seguida diz ao pai que desta vez ele também tem algumas coisas para dizer. Júlio fica surpreso, mas ouvirá o filho. Na sala, sem se anunciar, Genú entra numa altura inconveniente para Lola que é obrigada a contar à amiga o que está a acontecer. Alfredo começa a dizer ao pai o que ele fez de errado aos filhos a vida inteira, que fez muitos sacrifícios e acabou doente e que ele quer outra vida para ele. Júlio alega que para ele sempre foi muito difícil lidar com os filhos devido à educação que teve, mas diz ao filho que está disposto a mudar, só que precisará de ajuda. Em seguida, Júlio pede a o filho o ajude a descer até a sala para Lola ver que os dois estão bem. Ao aparecerem na sala, Genú fica muito surpresa por ver que Alfredo e Júlio não discutiram. Lola e Clotilde também ficam e ajudam os dois a sentarem-se. Júlio diz a Lola que se sente como novo e que tem a impressão de que as coisas vão mudar dali para frente. Alfredo concorda. Logo a seguir Clotilde vai para a cozinha e desanimada, comenta com Durvalina que o seu lugar é ali servindo os outros e que deveria ter-se casado quando teve hipótese, pois agora ninguém vai querê-la. Durvalina fica sem perceber. Na loja de Assad, Almeida diz ao chefe que Júlio já está em casa e que irá visitá-lo. Assad diz que é capaz de dar lá um salto também.

Capítulo 52 Tia Emília chega a casa de Lola, de longe Genú observa não se contém e aproxima-se de Emília. Genú diz que é vizinha de Lola, e pergunta a Emília se por acaso tem uma estátua de mulher nua na sala. Emília fica escandalizada com tal impertinência e não responde. Lola esquece-se da visita da Tia Emília e fica com vergonha ao recebê-la, pois a casa está um pouco desarrumada. Clotilde aparece e Emília pergunta como estão todos em Itapetininga. Emília conversa com Clotilde sobre a saúde de Justina e a vinda de Adelaide pra o Brasil. Alfredo sai de casa às escondidas, não quer ver a Tia Emília, diz a Genú ter pena do pai por não poder escapar. Júlio está de pijama e chinelos, na sala, sem saber o que fazer, ouvindo a conversa de Lola, Emília e Clotilde. Emília pergunta sobre a saúde de Júlio. Lola não quer falar muito no assunto porque o marido está perto, pede licença por uns instantes. Clotilde explica a Tia Emília a úlcera que Júlio teve. Clotilde vai falando enquanto Lola vai para a sala de jantar onde Júlio está a ouvir tudo. Sempre com gestos, chama-o para a cozinha. Lola diz que ele não pode aparecer de pijama à frente de Emília, mas ele brinca fingindo ir para a sala assim mesmo. Lola sabe que o marido não quer falar com Emília. Júlio diz que desde a última vez que conversaram, não tem a menor simpatia por ela, e não esqueceu que ela negou o dinheiro que ele precisava para a sociedade com Assad. Lola diz que também não ficou satisfeita com o que ela fez, mas devem manter a educação, pois a Tia Emília é irmã de seu pai e não a pode pôr porta fora. Júlio aparece na sala de pijama e chinelos, Emília fica boquiaberta. Júlio não está mal-humorado, acha até graça a tal situação. Clotilde oferece licor à tia. Emília gosta de embaraçar as pessoas e diz que para Júlio será um sacrifício não beber. Júlio não gosta de ouvir e reponde que nunca foi de beber muito, Emília não acredita. Diz que para quem passou por maus bocados, até que está com boa aparência, mesmo descontando a indumentária. Emília diz que é uma pena os filhos de Lola e Júlio não estarem em casa, especialmente Alfredo, ela diz que sempre gostou dele e pergunta se ele ainda tem o caráter forte. Lola e Júlio olham-se constrangidos. Lola diz que Alfredo está muito bem, que é o mais inteligente dos filhos. Júlio complementa dizendo que Alfredo é o mais malandro. Lúcio adverte Alfredo sobre as faltas na escola, que se ele faltar vai repetir o ano de novo. Carlos confessa a Marcus que ainda não esqueceu Carmencita. Justina está sozinha em casa com Justino. Está empolgada com a sua viagem. Higino diz que ela irá em breve, que Zeca irá cuidar dela. Justina diz que o Tio Zeca é bom, que a trata bem, que só ele conversa com ela. Higino muito paciente diz que ele também conversa com ela, mas Justina diz que é diferente, que não sabe explicar. Marcus diz a Carlos que ele não pode passar a vida inteira sem olhar para nenhuma mulher. Carlos diz que não faz por querer, que não adianta forçar essas coisas, têem que acontecer naturalmente. Carlos fica estupefacto quando surge Amanda, uma rapariga linda. Os dois ficam parados por um instante, mas a paixão instantânea é mais para Carlos. Ela desvia os olhos e vai em direção à aula de dança. Carlos diz a Marcus, que é a mulher mais bonita que já viu. Júlio está entediado com a conversa de Tia Emília, pede licença para se retirar. Emília diz que teve muita satisfação em vê-lo, que ele está a recuperar muito bem. Júlio entusiasma-se e confessa a Emília que já cometeu muitos erros na vida, mas que o mais grave foi já partir derrotado e isso não voltará a acontecer. Há uma mudança de atitude com Júlio que agora está mais confiante, pela primeira vez levanta-se e diz o que pensa diante da Tia Emília, esta por sua vez fica impressionada com a sua desconhecida força.

Capítulo 53 Na loja de Alonso, Genú tenta convencê-lo a ir jantar a sua casa um dia destes. No clube Inglês, Dora Bulcão apresenta-se como a nova professora e pede a Carlos e Marcus que sejam voluntários para ensinar novos passos, Carlos imediatamente olha para Amanda. Logo a seguir, Carlos e Marcus começam a dançar mostrando toda a sua habilidade. Carlos não está com Amanda, apenas a olha de longe. Lola está a terminar a conversa com Tia Emília dizendo que Júlio está bem melhor e relembra algumas coisas que gostaria de ter mudado no passado para fazer Júlio menos infeliz, como o facto de ter vendido a casa para que ele conseguisse ser sócio de Assad. Tia Emília diz que as pessoas não têm uma bola de cristal, mas pela primeira vez fica um pouco tocada com as palavras de Lola. No clube Inglês, Carlos serve de cobaia a Dora e com isso, consegue dançar com Amanda que aceita timidamente. Na casa de Lola, Tia Emília prepara-se para sair e pede desculpa por se ter demorado. Lola, muito simpática, diz que não há problema e agradece à Tia por terem tido uma conversa sincera. Tia Emília concorda e pede que ela e Clotilde a visitem qualquer dia. Lola acaba de se despedir de Tia Emília que antes de entrar no carro, diz a Lola que assim que Júlio estiver melhor, a visite, pois quem sabe não conseguem fazer negócio juntos. Lola fica atónita com o pedido da Tia que responde dizendo que ainda há tempo de mudar o passado. Lola volta para a casa para dar a notícia ao marido. Zeca prepara-se para ir à cidade, quando Olga lhe pede que a leve, pois precisa comprar coisas para o bebé. Zeca responde que não pode, pois está muito ocupado com as coisas da Tia Emília. Olga insiste e Zeca responde que só poderá no dia seguinte. Olga fica irritada com o ar decidido do marido. Zeca percebe e acha graça. No Clube Inglês, Carlos acaba de dançar com Amanda após se ter voluntariado. Ao terminarem, Carlos conversa mais um pouco com Amanda que parece gostar dele. Em seguida, uma amiga chama-a e Amanda despede-se de Carlos. Carlos fica muito contente por ter vencido a timidez, mas ao ser questionado por Marcus se pelo menos tinha ficado com o contacto de Amanda, fica desapontado e nervoso, pois esqueceu-se. Ambos correm para ver se conseguem alcançá-la, mas já é tarde demais. Olga está muito desconfiada pelo facto de Zeca não ter aceitado levá-la à cidade. Em seguida fica ainda mais irritada quando D. Maria diz que Zeca lhe disse que ia ao alfaiate para comprar um fato novo. Olga estranha, pois para ela o marido não precisa de um. Na loja de Assad, Marta, a mulher de Almeida, passa para lhe fazer uma pequena visita e é avisada pelo marido de que ele chegará mais tarde a casa, pois irá visitar Júlio. A mulher não desconfia que Clotilde lá está. Em Itapetininga, Olga veste-se como se fosse um detetive e diz à mãe que vai sair. D. Maria estranha a atitude da filha e pede que tenha cuidado, pois está grávida. Olga já nas ruas começa a seguir Zeca. Nas ruas próximas a casa de Lola, Carlos comenta com o amigo que está com problemas de consciência, pois nunca pensou em alguém que não fosse Carmencita. Marcus aconselha-o dizendo que isso é passado e pede para que se concentre em Amanda. De volta a Itapetininga, Zeca, enquanto é seguido, é reconhecido por uma antiga conhecida com que chegou a sair uma vez. De início não reconhece Antonia, mas em seguida começa a conversar com ela. Olga vê-os e fica apavorada. Olga vai ter com Zeca, furiosa, começa a pedir explicações. Zeca e Antonia tentam explicar que não se viam há dez anos, mas Olga não ouve e ordena a Zeca que vá para casa com ela. Na casa de Assad, Karine começa a mostrar que realmente é uma mulher manipuladora e interesseira, pois reclama com o marido que nunca recebeu um convite para jantar dos seus amigos e que está na altura de entrarem na alta sociedade. Assad não esperava esta mudança de personalidade da mulher.

Capítulo 54 Olga entra em casa e fecha a porta na cara de Zeca. Zeca explica que não tem nada com aquela mulher, que nem se lembrava dela. Com ciúmes Olga diz que hoje ele dorme no sofá. Zeca abana a cabeça, já conhece a mulher e sabe que nessas situações é melhor não insistir. A família de Assad está a jantar, Maria Laura mal tocou no prato. Karime pergunta se ela não gosta da comida que mandou preparar, Maria Laura diz que não está com fome. Assad insiste para que a filha coma, mas Karime diz a Assad para não insistir. Karime informa Maria Laura de que haverá mudanças lá em casa. Maria Laura pergunta se a vão mandar para um colégio interno e Karime responde que não seria má ideia, mas resolveram contratar uma professora particular para ensinar Assad a falar português corretamente. Laura irónica diz que pensava que o pai sabia falar. Karime diz que está na hora de Assad perder o sotaque terrível, que agora é um novo homem, e deve esquecer a terra de onde veio, já que resolveu ser brasileiro e viver no Brasil, então deve falar bem português. Maria Laura espera que o pai diga alguma coisa e vê que o pai acatou as vontades de Karime como um cordeirinho. Júlio diz a Lola que quer conversar com Assad e oferecer-se para algum tipo de sociedade, talvez uma loja, que seria um bom começo. Lola está com um certo temor, mas não o demonstra. Diz que se Assad concordar ele poderia visitar a Tia Emília, já que a própria disse que queria ter uma conversa com ele. Júlio acha que as coisas estão a mudar. Clotilde está a ajudar Durvalina na cozinha, Isabel aparece e pede para à tia para ir à sala, pois tem visitas. Clotilde age mecanicamente, vai à sala e apanha um susto quando vê Almeida. Ele levanta-se e cumprimenta-a dizendo que estava a dever uma visita a Júlio. Os dois olham-se muito, mas dizem pouco. Almeida e Júlio conversam na sala, Júlio pergunta ao amigo se acha que Assad vai aceitar a proposta de sociedade. Almeida acha que basta ter capital que Assad saberá como aplicá-lo. Júlio diz que seria só para ter uma pequena participação. Almeida diz que se tivesse dinheiro faria a mesma coisa. Júlio diz que seria ótimo se Almeida fosse seu sócio. Para Almeida seria formidável, mas é apenas um sonho, pois agora que se casou, tem mulher e filhos para sustentar e ainda tem que pagar pensão de alimentos à sua ex-mulher. Assad conversa com Karime sobre as aulas de português, mas ela insiste para que as faça, pois as pessoas julgam as outras pela maneira como falam. Karime diz que deseja que o marido suba na vida para poder levá-la aos melhores lugares, falar com gente importante que não gosta de pessoas com sotaque carregado. Carlos está no quarto estudando só que na verdade está pensando em Amanda. Lili apresenta Amanda a Julinho. Zeca não consegue dormir no sofá, só pensa em Olga. Olga também está na mesma situação. Zeca vai até à porta do quarto e Olga resolve abrir a porta do quarto sem saber que seu marido está por trás. Acabam por fazer as pazes. Júlio diz a Almeida que ainda sente umas pontadas na região do abdómen e pede ao amigo para não contar a Lola. Júlio diz que ignora a dor, que já conviveu com isso por tantos anos que já se acostumou. Almeida pergunta se Júlio tem tido cuidado. Júlio responde que às vezes fuma às escondidas. Almeida pede ao amigo para não voltar a beber. Júlio diz a Almeida para sossegar, pois sente-se tão bem que no dia seguinte irá falar com Assad. Marion conta a Alfredo que encontrou Lola no hospital, ficou muito preocupada com a situação de Júlio e resolveu procurá-lo, mas ao encontrar Lola não teve coragem de lutar pelo seu amor. No Clube Inglês Lili pergunta a Amanda se não tem namorado e ela diz que não gosta muito de falar da sua vida particular. Lili pede desculpas dizendo que não teve a intenção de se intrometer. Carlos sonha com Amanda, de repente no sonho surge Carmencita numa imagem mais forte e Amanda vai ficando desfocada. Acorda confuso.

Capítulo 55 No clube inglês, Julinho comenta com Lili que a sua amiga, Amanda, é muito bonita. Lili diz que a conhece desde pequena, mas não sabe nada da sua vida. Julinho responde que ela pode ser uma pessoa discreta. Lili diz que ela é esquisita e que esconde alguma coisa. Olga e Zeca estão abraçados na cama, mas Olga insiste em fazer Zeca prometer que nunca olhará para outra mulher. Zeca diz que só tem olhos para ela, a sua maior alegria. Na casa de Lola, Clotilde arranja-se e é questionada por Isabel se é tudo por causa de Almeida. Clotilde diz que precisa melhorar um pouco a cara de lavadeira, pois o tempo e o espelho são muito cruéis com as mulheres. Na sala, Almeida despede-se de Júlio dizendo que está muito contente pelo amigo e que o espera na loja amanhã. Júlio agradece e pede a Clotilde que o acompanhe até ao portão, pois Lola precisa de tratar dos seus remédios. Lola pergunta ao marido que história é essa de ir para a loja no dia seguinte. Júlio diz à mulher para não se preocupar, pois sente-se melhor do que nunca. No portão, Clotilde comenta com Almeida que não fica bem estarem os dois a conversar sozinhos porque as pessoas podem comentar. Almeida responde que pensava que ela tinha mudado e triste, despede-se e vai-se embora. Clotilde só então, percebe que perdeu mais uma chance. No dia seguinte, estão todos a tomar o pequeno-almoço e Júlio aparece na escada, já pronto, para ir conversar com o Sr. Assad. Lola pergunta se ele se sente realmente bem. Júlio responde que sim e que não pode esperar mais. Ao sair de casa, Júlio sente uma pontada no estômago, vê se ninguém percebeu, recupera o fôlego e continua o seu caminho. Lola vê a irmã ainda deitada e pergunta se ela está doente. Clotilde tenta disfarçar, mas Lola percebe que a irmã ficou assim depois da conversa com Almeida. Clotilde, diz então à irmã o quanto se arrepende de não ter casado com Almeida. Lola ainda não aprova o relacionamento dos dois, mas comove-se com a irmã. Na fachada de sua casa, Júlio é surpreendido por Genú que lhe pergunta se está bem. Júlio responde que está só ajeitar-se para ir conversar com o patrão. Genú fica desconfiada. Na loja de Assad. Almeida atende um freguês que diz que o tecido está muito caro em relação a outras lojas e que isso deve ser coisa de turco. Assad ouve e vai tirar satisfações com o freguês dizendo para ele ir comprar noutra loja. Almeida tenta acalmá-lo, mas Assad responde que a mulher, Karime, realmente tem razão, ele precisa mudar. Almeida fica sem entender. De volta a casa de Lola, Genú diz-lhe que precisa de lhe contar algo e pergunta se Júlio realmente está bem. Lola fica preocupada. Júlio chega à loja e é recebido pelo amigo que diz que ele chegou em má hora, pois Assad acabou de ter uma discussão com um cliente. Júlio fica na dúvida se realmente é o melhor momento para a conversa, passa a mão na cicatriz da operação e ganha coragem. Ao entrar na sala do Sr. Assad, Júlio é bem recebido e falam sobre a operação e as famílias, em seguida diz a Assad que precisa de lhe dizer algo importante. Em sua casa, Tia Emília é questionada por Justina sobre a irmã. De volta à loja, Júlio pergunta a Assad se ainda poderia entrar com dinheiro nas suas lojas apesar de terem crescido. Assad diz que sim e que como ele é um funcionário de confiança, seu sócio Audax, não veria problemas. Júlio fica contente e diz que se tudo corre bem lhe trará o dinheiro no dia seguinte. Assad diz que não há pressa. Júlio responde que já está atrasado dez anos. Lola fala sobre a sua desconfiança de Júlio ainda não estar totalmente recuperado a Clotilde. Lola fica preocupada porque a Tia Emília ainda não tinha confirmado que emprestaria o dinheiro e então, decidida, diz a Clotilde que irá ter uma conversa séria com a tia. Júlio volta muito contente para dar a notícia à mulher, quando recebe a notícia de Clotilde de que a irmã saiu e não disse onde ia.

Capítulo 56 Lola chega a casa de Tia Emília e é recebida pelo criado Higino. Lola não está à vontade. Júlio já impaciente, resolve perguntar a Durvalina, se não sabe de Lola. Durvalina diz que acha que ela foi a casa da tia rica. Clotilde crítica-a com o olhar. Júlio interroga-se sobre o que a mulher foi lá fazer. Em casa da tia, Lola conversa e brinca com Justina antes dela aparecer. Quando a tia aparece, Lola e ela conversam um pouco sobre Justina e em seguida Lola vai direta ao assunto, perguntando à tia se no dia em que ela prometeu ajudar Júlio, realmente o faria, pois está preocupada caso ele peça dinheiro, tenha outra decepção como da outra vez. A Tia Emília está agora mais humana e envolve-se com a história. Lola argumenta um pouco mais com a tia sobre o passado e tendo todo o cuidado para não ser petulante, pergunta à tia o porquê dela não ter emprestado o dinheiro a Júlio, se houve algum motivo. Tia Emília fica na dúvida se lhe conta tudo. Na rua, Carlos conversa com Marcus e diz ao amigo que acha que está acontecer uma coisa impensável. Está apaixonado por Amanda. Tia Emília explica a Lola o quanto foi difícil para ela na vida ter que falar de coisas pessoais e que na maioria das vezes as pessoas só respeitavam o seu dinheiro. Diz também que naquela altura estava cansada de parentes aproveitadores e de pessoas que não honravam as suas dívidas, mas que não foi só isso. Então, conta a Lola que há muito tempo, ela e Júlio foram a uma festa em sua casa e que o ouviu comentando coisas muito desagradáveis com os amigos, mesmo sabendo que ele já tinha bebido um pouco, ficou muito aborrecida. Lola desculpa-se pelo marido e diz que ele é um homem bom. Tia Emília diz que o que vale não são as desculpas e sim as ações. De seguida, carinhosa com a sobrinha, pede-lhe para não contar nada a Júlio sobre o passado, que está disposta a ajudá-lo e agradece à sobrinha a oportunidade de tirar esse peso do coração. Lola sorri comovida. De volta à rua, Marcus diz ao amigo Carlos que a única maneira de encontrar Amanda novamente é fazer plantão no clube Inglês. Olga vê-se ao espelho e lembra-se do tempo em que cabia num espartilho e diz para si mesma que a fábrica fechou, pois não terá mais filhos. No Clube Inglês, Marcus e Carlos procuram Amanda por toda a parte até que Marcus a vê na piscina e chama o amigo. Carlos observa Amanda nadando, muito linda, quando de repente ela se percebe e encara-o também. De volta a casa de Lola, Júlio está muito ansioso para saber sobre a conversa da mulher com a tia. Lola diz ao marido que a tia está muito humana. Júlio goza, como se isso não pudesse acontecer. Lola pede ao marido para não ser maldoso e confirma que a tia irá ajudá-los. Júlio pergunta o que a fez mudar de ideias. Lola disfarça e diz que às vezes as pessoas vão ficando mais velhas e vão mudando. Diz que finalmente acha que se tornaram amigas. Júlio fica animado e diz que irá conversar com a tia Emília à tarde. Lola questiona se ele não está a ser muito precipitado. Júlio diz que não, pois precisa de aproveitar a sorte para resolver tudo rapidamente. Em sua casa, Assad almoça com a família e comenta com Karime sobre a conversa que teve com Júlio. Só Maria Laura lhe dá atenção, mas quando Assad diz que parte da família da mulher de Júlio possui dinheiro, Karime interessa-se logo. Novamente no Clube Inglês, Marcus e Carlos já estão mais próximos da piscina. Marcus incentiva o amigo, ao mesmo tempo que brinca com ele. Carlos ganha coragem e fica perdido quando o amigo o deixa. Júlio veste a sua melhor roupa para visitar a tia Emília. Lola pede a Júlio que tenha cuidado e pergunta se ele realmente se sente bem, pois não se pode enervar. Júlio, mentindo, diz que está muito firme e que ficaria nervoso se ficasse em casa, sem agir. Júlio despede-se da mulher que se conforma, mas fica com um aperto no coração.

Capítulo 57 Júlio está à espera do elétrico quando sente uma pontada no estômago. Começa a ter suores frios e olha à volta para ver se ninguém vê, principalmente Lola. Alonso que vai a passar vê que Júlio não está bem e pergunta se pode ajudá-lo. Júlio diz que não está bem, que precisa de um copo de água para tomar o remédio. Alonso leva-o para o armazém. Júlio mente dizendo que a dor não é assim tão forte. Alonso diz a Júlio para descansar um pouco, e se não seria melhor ele cancelar o compromisso que tem. Júlio diz que já não pode perder tempo na vida. Júlio parte e Alonso fica preocupado. Na piscina do clube Carlos e Amanda encontram-se, ela pergunta-lhe o que veio fazer. Carlos responde que passou para ver se a encontrava. Amanda diz que ele é o primeiro rapaz que diz a verdade. Carlos pergunta se fez mal. Amanda responde que não, que só é novidade. Júlio chega à casa de Emília, Higino recebe-o e diz que ela já estava à espera dele. Júlio fica surpreendido por ela ter adivinhado que ele apareceria. Júlio está sozinho na sala. Emília quer testá-lo, ver se ele realmente mudou, será um teste com Justina. Júlio está um pouco mais aliviado. Quando abre a porta, ajeita-se, mas quem entra é Justina. Cumprimentam-se e sorriem. Ela pergunta se ele é casado com Lola, Júlio responde que sim. Se também é seu primo, Júlio responde dizendo que acha que sim. Justina pergunta se ele gosta de música. Júlio afirma que sim. Justina diz que dança bem, pega na mão dele e leva-o para onde costuma dançar. Júlio está constrangido, mas não agressivo, como se fosse uma brincadeira em que tem que participar. Justina pede a Júlio para se sentar, pois ela irá dançar para ele. Júlio obedece como se fosse o público mais selecionado do mundo. Quando ela tropeça e cai, Júlio corre para ajudá-la. Júlio elogia a dança de Justina, diz que tem muito jeito e quando ela vai dançar de novo, sente uma dor na perna. Júlio chama Higino para ajudar. Higino aparece e cuida de Justina, ela agradece a Júlio e diz que noutra altura irá dançar para ele. Higino diz que Emília está à espera dele na sala. Durvalina entra em casa a correr, dizendo que Júlio se sentiu mal e Alonso acudiu-o. Lola fica desesperada, sentia que Júlio escondia alguma coisa. Clotilde tenta acalmá-la, mas Lola tem consciência da gravidade da doença de Júlio, que uma recaída pode ser fatal. Emília recebe Júlio com um sorriso, que nem percebe que passou por um teste. Júlio conta a Emília que Justina se magoou. Emília diz-lhe para não se preocupar, sabe tudo o que se passa na sua casa e ficou muito contente com a maneira como Júlio tratou Justina. Carlos pede o telefone de Amanda e ela diz que não tem, que a sua família não gosta de modernices. Pede-lhe a morada, ela não dá, diz que ele pode sempre encontrá-la no clube. Carlos não insiste, mas diz que assim só irá dificultar as coisas. Amanda acha bem, porque as coisas muito fáceis não têm graça. Lúcio está a ensinar latim a Alfredo em casa de Genú. Genú estranha e fica a ouvir de longe. Alfredo diz que está cansado de ser repetente, que não aguenta mais ser o veterano da turma. Júlio e Emília começam a falar sobre negócios. Emília está atenta a tudo o que Júlio diz. Lola pergunta porque sente um aperto no coração, porque sente que Júlio não está bem. Genú e Clotilde não têm resposta. Emília acha boa a proposta de Júlio e ficou impressionada com a sua exposição. Acha que podem fazer negócios, mas que além disso ela precisa de pessoas de confiança para realizar serviços, precisa de alguém em São Paulo e pensou em Júlio. Júlio fica surpreso e diz que seria uma honra. Emília diz -lhe para voltar dali a dois dias que já terá o dinheiro. Dão as mãos. Júlio está muito feliz, Higino acompanha-o à porta. Assim que sai da casa de Tia Emília sente uma dor mais forte do que nunca, curvando-se para frente, não suporta a dor e cai no chão, respirando ofegante quer pedir socorro, mas não consegue.

Capítulo 58 Justina vê o que aconteceu a Júlio e muito aflita tenta avisar Higino, mas não consegue falar, é uma emoção forte demais para ela. Finalmente Higino apercebe-se do que houve e vai ajudar Júlio. Júlio mal consegue falar e pede a Higino para avisar Lola. Júlio desmaia. Justina quer ficar perto de Júlio, mas Emília não deixa dizendo que ele já está melhor. Lola pede a Clotilde para ir ao armazém de Alonso e ligar à Tia Emília. Clotilde faz o que a irmã lhe pede. Lola está aflita em casa com Genú e Durvalina. Higino chama uma ambulância, mas a pessoa do outro lado da linha diz vai demorar 30 minutos. Higino acha um absurdo, reclama e fica pendurado na linha. Como a ambulância vai demorar Tia Emília resolve levar Júlio no seu carro ao Hospital Santa Catarina. Diz-lhe que o vai levar ao hospital e pede-lhe para ser forte. Júlio pensa em Lola, Emília diz que vai avisá-la. Júlio diz que não tem dinheiro para pagar o hospital. Emília diz para ele não se preocupar, que será por conta dela e que é preciso que ele tenha do bom e do melhor. Júlio sorri e diz que a Tia é muito boa. Alonso está em casa de Lola e diz que em casa de Emília o telefone só chama. Lola acha estranho porque Tia Emília não é de sair de casa. Júlio chega ao hospital, Emília dá todo o apoio que ele precisa, enquanto isso Higino sai apressado para avisar Lola. Alfredo chega ao cabaré e procura Marion, quer que ela chame Júlio. Marion diz que Júlio não aparece lá desde que ficou doente. Alfredo pede desculpas e vai-se embora. Marion fica sem perceber. Higino chega a casa de Lola, quando esta sabe da notícia fica desesperada e grita o nome de Júlio. Higino leva Lola, Carlos e Alfredo ao hospital. O médico pergunta a Carlos se sabe o tipo de sangue de Júlio, Carlos diz que sim, que ele e Alfredo têm o mesmo tipo de sangue do pai. O médico diz que vão tentar uma transfusão, quanto mais rápido melhor. Alfredo fica feliz em poder ser útil para ajudar seu pai. No dia seguinte Alfredo e Julinho com os olhos molhados aproximam-se de Lola que está abraçada a Isabel. Os cinco assim unidos, chorando em silêncio. Olham para o pai. Júlio pára de respirar e a mão que estava sobre o peito, cai sobre as cobertas quando Júlio fecha os olhos. Os cinco abraçam-se desesperadamente e assim ficam chorando em silêncio e com muita dignidade. O médico entra com toda a dignidade e desliga o oxigênio. O velório acontece em casa de Lola. Assad dá apoio a Lola e à sua família, diz que a sua loja faz questão de arcar com todas as despesas do enterro de Júlio, que ele era o empregado mais antigo e mais considerado. Lola agradece. Marion pede a Almeida para se despedir de Júlio em seu nome. Lúcio vai ao quarto de Alfredo. Depois de um certo tempo Alfredo abre-se, não acha justo que o pai tenha morrido no momento em que começou a ver nele coisas que não tinha visto a vida toda. Lúcio olha o amigo, não tem nada para dizer. Para Alfredo é engraçado como se pode conviver com uma pessoa tantos anos sob o mesmo teto sem a conhecer, ele sente muita raiva disso. Alfredo cai num choro convulsivo e absoluto, atira-se para cima da cama sem que Lúcio possa fazer nada. É a primeira explosão, de revolta que Alfredo tem desde a morte do pai e a primeira vez que ele chora. É uma explosão total e incontrolável, Lúcio olha o amigo com pena e compreensão.

Capítulo 59 Julinho chora pela morte do pai e é consolado por Lili. Tia Emília chega à casa de Lola e olha com reprovação uns homens que estão a contar piadas. Em seguida é recebida por Lola que agradece por ter comparecido ao velório do marido. Tia Emília lamenta o acontecido logo agora que as coisas pareciam entrar nos eixos e por Júlio estar tão contente. Em seguida, Carlos junta-se a elas dizendo à mãe que a tia pagou todas as despesas do hospital. Lola não sabe como agradecer e começa a chorar. Clotilde, noutro canto da sala, pergunta a Carlos se todos em Itapetininga já sabem do acontecido e se virão. Carlos responde que Tia Emília ligou para Zeca a avisar, mas que duvida que venham por Olga estar grávida. Zeca chega a casa e não sabe como dar a notícia. Ao entrar, encontra Olga de bom humor e ao ser questionado sobre novidades, tenta falar sobre o assunto, mas é interrompido por D. Maria que entra na sala, perguntando se ele não gostaria de comer algo. Olga percebe a cara do marido. Já na cozinha, D. Maria acaba de aquecer um prato para Zeca, quando ele lhe segura na, dizendo que precisa lhe contar algo muito triste. D. Maria fica apreensiva e Zeca, tentando ser o mais suave possível, diz à sogra que Júlio faleceu. D. Maria dá um grito sufocado. Zeca diz que não sabe como contar a Olga, pois a mulher está com a gravidez adiantada. D. Maria diz que terão que passar por isso. Então, Zeca diz que apanhará o primeiro comboio para São Paulo e D. Maria lamenta-se por não poder ir, pois tem de ficar com as crianças. De volta ao velório, Assad e a família despedem-se de Lola. Em seguida, Assad despede-se de Almeida e descobre quem é Tia Emília, fica interessado, mas vai-se embora. Novamente em Itapetininga, Olga chora muito após receber a notícia sobre a morte de Júlio e pensa na irmã. Zeca tenta consolar a mulher, mas acaba chorando também. De volta ao velório, Lola mais calma, conversa novamente com Tia Emília e lamenta-se pelo facto de Júlio ter morrido logo agora que as coisas estavam a correr bem. Tia Emília diz que ele foi um homem de sorte, pois tinha uma família muito bonita e que o tinha chamado para trabalhar com ela. Lola lamenta e Tia Emília conforta-a com um tom humano bem diferente do início da novela. O dia vai amanhecendo e Carlos preocupa-se com a mãe, pois ainda não comeu nada. Almeida senta-se ao lado de Clotilde e lembra o quanto gostava de Júlio, inclusive de suas broncas. Clotilde-se comove com a lembrança. Julinho e Lili estão abraçados, ele está muito perturbado com a morte do pai. Lili procura dar apoio à Julinho. Está perto da hora do funeral de Júlio. Carlos vai até o quarto de Alfredo avisar que Júlio já vai embora. Isabel está deitada na cama, soluça agora bem mais discreta. A porta do quarto de Isabel abre-se, Clotilde está com Lola apoiando-a. Lola olha Isabel na cama e fica com pena dela. Isabel pergunta a Lola o que farão sem Júlio. Lola diz que tudo se vai arranjar, que Deus é grande e não vai abandoná-los. Lola aproxima-se do caixão de Júlio para se despedir. Lola diz a Júlio que sentirá muito sua falta, pede para ele não se preocupar com a família, porque de alguma maneira irão continuar, que agora Júlio deve descansar, pois já trabalhou e sofreu muito. Com a ponta dos dedos, pega um beijo dela e coloca nos lábios de Júlio. Após o funeral, no seu quarto, Isabel desespera-se, Clotilde não sabe o que dizer e tenta dar apoio à sobrinha. Lola chora baixinho. Clotilde também a ampara.

Capítulo 60 No alpendre da casa de Lola, Julinho olha o jardim e lembra-se do pai com muitas saudades, dizendo a Lili que um dos passatempos prediletos do pai era cuidar das plantas. Lili tenta confortá-lo. Julinho lembra-se da trepadeira que o pai gostava tanto e não aguenta o choro e pede a Lili que o deixe sozinho. Lola agradece a Zeca por ter chegado a tempo e pergunta como a mãe recebeu a notícia. Zeca responde que as mulheres da família são muito fortes e entrega um bilhete de D. Maria a Lola. No bilhete, D. Maria diz o quanto gostaria de estar com a filha, que gostava muito de Júlio, pois era como um filho para ela e termina dizendo que ama muito a filha. Lola fica muito comovida novamente. No quarto, Carlos comenta com o irmão que nunca tinha conseguido conversar como deve ser com o pai porque tinha medo dele, mas apesar disso interessava-se por ele e queria que fosse feliz. Alfredo muito sério, responde ao irmão que não era possível o pai ser feliz, por tudo o que passou na vida, pelo trabalho duro com o turco e que se for para ter uma família e viver dessa forma, ele não quer. No Cabaré, Marion inventa uma desculpa, diz a Alaor que precisa de resolver um assunto no Rio de Janeiro, mas na verdade está a afastar-se porque ficou muito sentida com a morte de Júlio. Em seguida, dá uma carta a Alaor e pede para ele a entregar a Alfredo. Mais tarde, Carlos leva a cama de armar para o quarto da mãe, pois Clotilde não quer deixá-la dormir sozinha. Num bar, Marion encontra Almeida e diz -lhe que se vai embora para recomeçar a sua vida. Almeida fica surpreso com a notícia e pergunta o motivo. Marion diz que já está velha para a noite e que quer sair do palco enquanto há tempo e que por enquanto não sabe para onde ir. Almeida fica peocupado e pergunta-lhe se vai embora por causa de Júlio. Marion confirma e agradece a Almeida, pois ele e Júlio sempre a trataram bem. Em seguida, despede-se dando-lhe um beijo na testa. Almeida deixa-a na paragem do elétrico e despedem-se com um longo adeus. Zeca está de volta a casa. D. Maria ainda abalada pergunta com está Lola e as crianças. Zeca responde que foi tudo muito triste e que Lola gostou muito do bilhete da mãe. Genú comenta com Virgulino que está preocupada com Lola, pensando como ela se vai arranjar agora. Logo depois, fica triste por um velório bonito ter sido para Júlio e começa a chorar. Virgulino desconfia de início, mas depois acredita no choro sincero da mulher. No quarto de Lola, Clotilde e Isabel dormem com ela. Lola tem pesadelos com homens que se vestem como Júlio, mas na verdade são pessoas que cobravam as contas da casa, do colégio e do hospital. Lola acorda desesperada chamando por Júlio, perguntando como vai viver sem ele, como pagariam as contas e por que ele se foi. Isabel tenta acalmar a mãe, mas Clotilde diz que nessas horas é bom deixar desabafar. As duas choram em silêncio abraçadas. No dia seguinte, a mesa está posta para o café com o lugar de Júlio vago. Lola toca na cadeira e lembra-se do marido. No armazém de Alonso, Carlos acaba de falar ao telefone e comenta com Alonso que a mãe está a sofrer muito. Alonso diz que é difícil quando se perde um ente querido. Carlos aproveita para conversar sobre Carmencita e diz a Alonso que não entende o facto de ela nunca ter dado notícias. Alonso diz que ela deve estar ocupada com viagens e tudo mais e aconselha Carlos a tentar ser feliz com outra pessoa. Carlos fica triste, mas entende. No clube, Lili encontra Amanda e conta-lhe sobre a morte do pai de Carlos. Amanda fica sentida e pede a Lili que lhe dê os seus pêsames. Amanda passa a impressão de que sempre esconde algo. De volta ao Armazém, Alonso pergunta se não apareceu ninguém na vida de Carlos. Carlos responde que sim comentando sobre Amanda e pergunta a Alonso se realmente acha deve tentar conhecer outra pessoa. Alonso diz-lhe para ir em frente e não estragar a sua juventude como ele fez com um sonho perdido.

Capítulo 61 Lili convida Amanda para ir a sua casa, para conversarem melhor e diz que Carlos é seu vizinho. Amanda percebe que Lili está a fazer de cupido. Lili ri da situação e não acha nada demais, sendo que Carlos precisa de alguém, porque não facilitar as coisas. Amanda gosta da sinceridade de Lili, diz que detesta quando as pessoas são falsas com ela. Lili diz que a amiga pode ficar sossegada, que Carlos é como se fosse um irmão mais velho para ela e que são iguais, nenhum dos dois sabe mentir. Julinho diz a Lili que o clima em sua casa está muito pesado, que devem enfrentar os problemas. Lili sugere que ele reúna os irmãos para pensarem em algo. Julinho diz que ele é o mais novo e que são o seus irmãos mais velhos que devem pensar numa solução. Para Lili não adianta esse jogo de empurra-empurra. Julinho diz que realmente não adianta conversar com uma criança como ela. Lilia quase chora, Julinho vê que ela não falou por mal, tenta abraçá-la, mas ela confunde as suas intenções. Lili pede para ele parar e sai a correr deixando Julinho desconcertado. Durvalina diz que precisa de dinheiro para as compras. Lola cai em si quando se fala de dinheiro, diz que é preciso reunir a família para discutirem o assunto, mas não sabe como, pois todos perderam o rumo dentro de casa. Carlos chega a casa e finge animação, diz que passou na igreja e marcou a missa de sétimo dia de Júlio. Carlos diz à mãe para não se preocupar com as despesas da missa, pois passou no armazém de Alonso e falou por telefone com Almeida, e ele faz questão de arcar com todas as despesas da missa. Emília pergunta a Higino se Justina já está pronta, pede-lhe para chamar o motorista, pois tem uma encomenda para ele levar a casa da sua sobrinha Lola. Olga está nervosa com a vinda de Justina e pede a Zeca para que insista com a tia Candoca para ficar com Justina. Zeca tem dúvidas se Candoca irá cuidar bem de Justina. Ao jantar Lola aproveita que todos estão reunidos para discutir sobre as dívidas que têm. Clotilde diz que pode ajudá-los fazendo doces e vendendo. Carlos diz que suspende o curso para trabalhar. Lola não quer que Carlos páre de estudar, diz que seria melhor venderem a casa. Todos protestam, pois a casa é o único bem que lhe resta. Lola fica preocupada, pois mesmo com os filhos empregados terão que esperar um mês até receberem o salário. Lola diz que devem cortar nos gastos, só ficarem com as coisas que são realmente necessárias, cortar o clube de Isabel seria uma delas. Alfredo também percebe que será necessário mandar Durvalina embora. Lola olha triste para Alfredo, o seu olhar confirma tudo. Alguém bate à porta da casa de Olga, Tavinho vai atender, é Tia Candoca. Maria assusta-se ao ver Candoca cheia de malas e com uma gaiola de passarinho na mão. Candoca resolveu vender a casa e passar uns tempos com eles. Olga entra no mesmo momento e assusta-se ao ver a cena. Lola pensa em fazer tricô, aceitar encomendas de doces e salgados, o que for preciso para conseguir dinheiro. Justina chega a casa de Olga, trazida pela mão de Zeca e seguida de Justino. Carlos conversa com Marcus sobre emprego, diz que não tem como estudar, sendo que o curso de medicina é a tempo inteiro e em seguida vem o estágio e a especialização. Marcus sugere uma vaga de emprego como entregador de amostras, diz que não se ganha muito, mas é um começo. Marcus pergunta a Carlos se tem certeza de que Júlio não deixou nenhum seguro de vida. Carlos nega. Zeca está a dormir, Olga começa a sentir que o bebé vai nascer. Zeca dá um pulo da cama. Olga pede para chamar o Dr. Roberto, não vai dar tempo de ela ir para o hospital. Zeca vai atrás do médico. Alaor entrega a carta que Marion deixou para Alfredo.

Capítulo 62 Zeca está muito ansioso por notícias de Olga. Candoca sai do quarto e brinca um pouco com Zeca antes de lhe dar a notícia que o filho já nasceu. Zeca corre para o quarto. No cabaré, após muita indecisão, Alfredo resolve abrir a carta de Marion, mas pára a meio quando Alaor se começa a interessar pelo conteúdo da mesma. Alfredo não querendo admitir interesse, larga a carta na mesa. Lola tricota quando Carlos chega. Carlos diz à mãe que conseguiu um emprego para entregar amostras de um laboratório, que não ganhará muito no início, mas que tem comissões. Lola pergunta a Carlos o que vão fazer com Durvalina, pois ela está com eles há tanto tempo e precisa do dinheiro para a sua família. Carlos propõe à mãe resolverem isso de imediato. Lola fica sem resposta. Novamente no Cabaré, Alfredo e Lúcio começam a beber com duas garotas, quando uma delas pede para ler a carta que Alfredo guarda no bolso. A carta de Marion dizia que Júlio era o único homem que tinha amado e que não teve coragem de ir ao enterro mostrar a sua dor. Quando Alfredo percebe o conteúdo da carta, guarda-a no bolso. Em seguida chama todos para dançar para disfarçar a sua emoção. No dia seguinte, Tia Emília faz uma visita a Lola e entrega-lhe mais uma quantia em dinheiro. Lola agradece à tia, envergonhada, pois ela já tinha pago as contas do hospital. Em seguida, Tia Emília diz que precisa falar com Lola sobre Justina e Adelaide. Zeca mostra o filho a Justina. Olga fica toda preocupada, pois não quer que Justina o segure. Zeca segura o bebé com Justina enquanto Candoca canta uma música de embalar. Tia Emília diz a Lola para não ficar ofendida com a ajuda, pois é de coração. Lola disfarça, mas sente-se um pouco humilhada. Em casa de Genú, Lili leva a amiga Amanda a sua casa para conversar, mas quando chega, encontra a casa toda desarrumada, pois a mãe está a fazer limpezas. Genú aproveita a visita de Amanda e conta histórias de quando era jovem. Amanda diverte-se com as duas. De volta a casa de Lola, Clotilde encontra a irmã pensativa e pergunta o que houve. Lola mostra o dinheiro a Clotilde que fica muito contente, pois irá resolver os problemas imediatos da casa. Lola então, diz à irmã que por um momento pensou em devolver o dinheiro, mas não o fez pela casa. Clotilde diz que nestas alturas não se pode ter orgulho. Lili confidencia à mãe sobre um plano arquitetado por Amanda por estar interessada em Carlos. Genú fica sem entender por achar que Amanda é um peixe grande demais para Carlos. Genú resolve colaborar com o plano das meninas e acede ao pedido de Lili para que assim que Carlos estiver voltando para casa, Genú arranjar maneira de o fazer entrar. Amanda, um pouco constrangida, pede desculpas a Lili pela situação. Lili diz que não há problema e em seguida, vai ter com a mãe que conseguiu fazer com que Carlos entrasse em casa. Carlos, ao perceber que tudo aquilo foi feito de propósito, ao ver Amanda apanha um susto e abre um sorriso. Logo depois, sozinhos na sala, Amanda diz a Carlos que sente muito o que aconteceu com Júlio, tentando apoiá-lo. Carlos diz que só o facto de ela estar com ele, já ajuda muito. Depois da conversa, ambos agradecem a Lili pela hospitalidade. Genú fica toda feliz por tudo ter dado certo. Lola mostra o cheque que a Tia Emília deu aos filhos, diz que o dinheiro ajudará com a casa e Durvalina, mas que depois não poderão viver só com as suas encomendas. Em seguida, Lola diz que pedirá ao Sr. Assad um emprego para Julinho. Alfredo reclama que será outro que sofrerá nas mãos do turco, no mesmo instante, Carlos chega e diz que pelo menos será um trabalho e não passar a noite com desordeiros. Alfredo ofende-se e os dois encaram-se. Lola chorando, tenta separar os filhos dizendo que precisam de ficar unidos. Os ânimos acalmam.

Capítulo 63 Em casa de Assad, Karime percebe que Maria Laura não foi à escola e pergunta-lhe o motivo. Maria Laura, muito irritada, responde à madrasta que não lhe deve satisfações, mas resolve responder para a irritar. Diz que não foi à escola por causa da folga para os exames e que a madrasta terá de arranjar outro motivo para colocá-la contra o pai. Na casa de Genú, Julinho conta as novidades a Lili enquanto tenta agarrá-la. Julinho diz que a mãe pedirá emprego para ele ao Sr. Assad e que agora eles poderão ir mais ao cinema. Lili diz que não o entende, pois umas vezes diz que gosta dela e outras diz que ela é muito criança, até que Julinho a agarra, mas Lili espanta-o com um grito. Lili acaba de se despedir de Julinho, quando Lúcio acorda dizendo que ouviu um grito. Lili tenta disfarçar, mas Lúcio sabe que Julinho esteve lá. Lili diz-lhe que não pode dizer nada, pois sabe que ele gosta de Isabel. Lúcio acaba admitindo, mas diz à irmã que ela só o vê como amigo. Lili então, diz que ajudará o irmão e que conversará com Isabel para saber o motivo. Lúcio fica agradecido. Lola prepara-se para falar com Assad, mas antes de sair nota que Alfredo ainda dorme e vê as calças no chão. Quando Lola pega nas calças para guardar vê a carta de Marion num dos bolsos e fica curiosa. Alfredo apercebe-se e acorda a tempo de impedi-la. Clotilde diz que pretende acompanhá-la, pois não fica bem uma viúva recente sair desacompanhada. Na verdade, Clotilde que aproveitar a situação para rever Almeida. Lola e Clotilde chegam à loja de Assad, enquanto Maria Laura pedia permissão ao pai para estudar na casa de Isabel. Assad cumprimenta Lola e novamente dá as suas condolências pela morte de Júlio, pois era um ótimo funcionário. Lola diz que justamente por isso que precisa de ajuda. Assad convida-a para conversarem em sua casa por cima da loja. Lola concorda e chama Clotilde. Clotilde vê que Almeida ficará cuidando da loja e diz à irmã que prefere ficar. Lola olha-a com reprovação. Alfredo está na cozinha ainda de pijama e com a carta na mão, começa a lembrar o pai dançando com Marion no Cabaré e sorri. Em seguida decide queimar a carta. Depois de ouvir o pedido de Lola, Assad e Karime concordam em contratar Julinho, pois deixou uma boa impressão na festa de casamento deles e conseguirá manter a tradição do pai. Na loja, Almeida começa a mostrar os tecidos da loja a Clotilde como se fosse uma freguesa, mas após algumas conversas, quebra o gelo e diz que Clotilde continua linda. Tia Emília finalmente recebe a filha Adelaide. Muito bonita e moderna, pergunta, brincando, se é assim que a mãe irá recebê-la. Lola chega a casa acompanhada de Maria Laura e Clotilde e chama Isabel. Julinho aparece e surpreende-se com a visita de Maria Laura. Os dois trocam olhares e Julinho começa a interessar-se pela filha do futuro patrão. Na rua, Marcus pergunta a Carlos como está a ser o primeiro dia de trabalho. Carlos mostra-se preocupado, pois já andou muito e não rendeu nada. Adelaide começa a contar à mãe algumas coisas que aprendeu na Europa. Sobre como está politizada, sobre seus conhecimentos da última moda até que acende um cigarro. Tia Emília fica um pouco horrorizada com a nova personalidade da filha. Lola lembra o facto de Clotilde ter ficado na loja com Almeida e repreende-a um pouco com a desculpa de querer o seu bem. Clotilde a diz-lhe para pelo menos uma vez deixá-la agir sozinha. Lola fica sem palavras. Na sala, Julinho e Maria Laura ainda conversam, quando Isabel entra e pergunta à amiga se veio estudar ou namorar Julinho. Ambos ficam atrapalhados. Adelaide prepara-se para descansar quando se lembra da irmã Justina, pergunta se ela está bem no hospício. Diz que verá um dia para visitar a irmã. Tia Emília engole seco e fica em silêncio. Zeca e Olga voltam do quarto para a sala e apanham um enorme susto quando vêem Justina sozinha com o bebé ao colo.

Capítulo 64 Carlos volta do trabalho, Lola pergunta como foi o serviço. Carlos diz que é um trabalho muito ingrato, não está com fé no emprego. Lola acha que foi precipitada a decisão de Carlos abandonar a faculdade. Lola diz que conversou com Assad e que este garantiu o emprego a Julinho. Lola e Clotilde farão doces para vender e sendo assim, Carlos poderia voltar para a faculdade e nas horas vagas vender as amostras. Carlos diz que não adianta a mãe enganar-se. Lola diz que se houvesse alguma dificuldade sempre sobra o dinheiro de Tia Emília, é uma reserva para qualquer emergência. Carlos está preocupado com o momento de pagar a casa no final do ano. Olga está muito nervosa, diz que Zeca é o responsável por Justina, que ele não deveria ter deixado Justina mexer no bebé. Maria Laura janta com a família de Lola. Lili aparece, Lola oferece jantar, mas Lili diz que voltará mais tarde. Fica marcada a rivalidade entre ela e Maria Laura. Em Itapetininga, os convidados estão a chegar. Leontina é antipática e calculista. Olga não gosta nada dela, mas a tolera-a por causa do marido. Dona Maria pergunta se Neves e Leontina têm filhos. Leontina responde que por enquanto não, não tem coragem de passar nove meses com o corpo deformado, sabe que é egoísmo da sua parte, mas que Neves não liga muito. Olga vai ficando cada vez mais irritada, Zeca muda de assunto perguntando como vãos os negócios. Neves diz que muito bem, a confeitaria e a padaria estão progredindo, já têm um total de seis padarias. Neves diz que ele e Zeca poderiam ser sócios, Itapetininga é uma cidade tão progressiva, merece ter uma padaria. Maria Laura diz que, já é tarde e tem que ir para casa, Julinho resolve acompanhá-la. Assim que saem Lili começa a chorar, chora muito é consolada por Isabel. Carlos vai até o clube encontrar-se com Amanda, pede desculpas pela demora, mas teve visitas em casa. Amanda não sabe se acredita nele, ele parece sincero. Carlos dá a certeza disso e promete sempre dizer a verdade, mas em troca quer a mesma coisa de Amanda. Amanda incomoda-se com o pedido. Carlos não entende Amanda, acha que às vezes ela é estranha. Amanda pergunta como foi o trabalho de Carlos, ele diz que não foi bem. Amanda incentiva Carlos a voltar para a faculdade. Em casa de Olga estão a jogar, sem se aperceberem Justina entra na sala, aproxima-se de Leontina por trás, querendo brincar com alguma flor ou passarinho que está no seu chapéu. Leontina, quando vê aquela mulher estranha, dá um grito e pula assustada, Justina também se assusta Zeca corre para a acudir. Leontina corre com medo de Justina. Olga fica envergonhada. Carlos conversa com a mãe, diz que pensou no que Lola disse e vai tentar não largar a faculdade, vai continuar. Aparece em casa de Lola um credor, que diz que foi colega de Júlio e trabalha numa das lojas de Assad. Conta que há uns meses Júlio lhe pediu uma quantia, mostra a promissória que tem, diz que lamenta, mas como precisa do dinheiro achou melhor cobrar, são trezentos mil réis. Lola age com coragem, diz que ele fez muito bem, mas pede um pouco de paciência, pois ela recebeu um golpe inesperado e precisa de um tempo para ver o que irão fazer. O credor sai, Lola fica com a promissória na mão, chocada. Mostra a promissória a Julinho, que a lê espantado. Julinho quer averiguar melhor os factos, diz que vai ver se Assad pode ajudar. Zeca conta a Olga que está preocupado com o futuro dos filhos, teme que algum dia aconteça alguma coisa e deixe a família desamparada, assim como Júlio e acha uma boa oportunidade entrar na sociedade de Neves. Lola e Clotilde pensam em como cortar mais os gastos. Na loja Assad diz a Almeida para ensinar os truques da loja a Julinho. Quando Assad sai, Almeida aconselha a Julinho não ligar muito ao que ele diz, que se quiser sobreviver neste negócio precisa fazer ouvidos de mercador. Julinho está confiante.

Capítulo 65 Carlos regressa à faculdade, Marcus está feliz. Carlos diz que gosta de tudo certinho, que não gosta das coisas pela metade. Marcus brincando diz que Lola tem um problema nas mãos, pois tem um filho que gosta do mundo de antigamente e tem outro que quer fazer a revolução. Julinho mostra a promissória a Almeida, este vê que a letra é realmente de Júlio. Almeida diz que Júlio pediu dinheiro emprestado há uns meses atrás, que deve ter sido alguma despesa extra com a escola dos filhos. Julinho fica desanimado. Almeida propõe-se a falar com Castro, diz a Julinho que ele não é má pessoa, poderia tentar convencê-lo a receber a dívida em prestações de 50 réis por mês do salário de Julinho. Para Julinho seria uma solução, mesmo não gostando de pagar uma dívida que nem sabe do que se trata. Almeida diz a Julinho que Júlio foi um grande amigo, uma alma boa. Julinho pergunta se o pai também lhe devia dinheiro. Almeida confirma, mas diz a Julinho para não se preocupar, porque ele nunca irá cobrar, há coisas que um amigo não faz e enterrou as dívidas com Júlio. Julinho reage comovido e contente. Almeida acha que as dívidas não irão ficar por aqui, se bem conhece Júlio ainda terão outros problemas com dívidas. Julinho fica preocupado perante o aviso de Almeida. Isabel vai sair e resolve tirar o luto e pede para Clotilde ajudá-la a vestir-se. Clotilde diz que não acha bem ela tirar a roupa de luto, que deve usá-la pelo menos seis meses. Isabel diz que a dor da perda carrega-se no peito, não é preciso desfilar com ela na rua e que Júlio seria o primeiro a ser contra esse tipo de preconceitos tolos. Clotilde diz que depois de mortos todos viram santos. Isabel explode, diz que o pai não era santo, que não precisa de o colocar num altar, mas pelo menos não estragou a vida com medo do que os outros iam dizer, não ficou uma solteirona amargurada que tem raiva da vida e descarrega em cima dos outros.Clotilde fica muito chocada chorando. Isabel encontra-se com Lúcio no clube. Diz que sente remorsos por se divertir tendo o pai morrido há tão pouco tempo e que teve uma briga com a tia por causa do luto. Lúcio diz que Clotilde é de outra geração, não entendem nada do que é novo, moderno, revolucionário. Isabel explica que resolveu sair com Julinho, porque não gostou da forma como Julinho tratou Lili no dia anterior. Foi então que percebeu que estava a ser injusta com ele, que sempre esteve ao lado dela, sempre fiel, apoiando-a e ela sempre a rejeitá-lo. Viu que nunca lhe deu hipótese, meteu na cabeça que Lúcio não passava de um amigo. Diz que se Lúcio ainda gostar dela e achar que ainda tem paciência eles poderiam tentar. Lúcio diz que ainda gosta dela e muito, e pega nas mãos de Isabel amorosamente. Isabel pede para ele a ensinar a gostar dele, a amá-lo. Julinho conversa com Lili à porta de casa. Ela dá-lhe um sermão sobre a noite anterior, diz ser uma tola por ainda estar a falar com ele. Julinho diz que ela é sua namorada. Ela fica espantada, pois se ele quiser namorar tem que cumprir as formalidade, pedi-la em namoro e dar-lhe um tempo para pensar. Lili pede-lhe para não flertar mais com Maria Laura, ele promete e Lili fica satisfeita. Carlos está cansado de trabalhar e estudar ao mesmo tempo, está exausto. Carlos diz que a melhor coisa do dia é encontrar-se com Amanda, que gostaria de se aproximar um pouco mais dela, e pergunta se ela não gosta nem um pouco dele. Amanda acha que sim, mas acha uma coisa estranha em Carlos, como se ele estivesse sempre ausente, acha que Carlos só está com ela porque não apareceu nada melhor, que no fundo preferia estar com outra pessoa. Carlos fica atrapalhado, não tem coragem de negar nem de explicar. Carlos recorda-se de quando ele e Carmencita trocaram juras de amor. Isabel e Lúcio beijam-se, assim que a porta da casa se fecha, ela dá um pulo e atira o chapéu ao ar, o seu sonho realizou-se e ele está muito feliz.

Capítulo 66 Isabel vai-se deitar e Clotilde mexe-se na cama. Clotilde não está a dormir, mas ainda está visivelmente sentida com a sobrinha. Pelo movimento de Clotilde, Isabel percebe que ela está acordada e tenta puxar conversa. Pede desculpa pela maneira como falou com ela, e diz que todos gostam dela. Clotilde agradece, mas acha melhor conversarem de manhã. Isabel abraça a tia, entende que Clotilde se deva sentir muito sozinha. Clotilde diz que não está sozinha, que os tem a eles, se eles estão felizes ela também está. Isabel diz que quando a tia está triste ninguém se importa com isso. Clotilde finge coragem ao dizer que não está triste, que nunca fica triste. Adelaide e Alfredo continuam a conversar e ela conta como a Europa lhe fez bem, foi para lá aprender boas maneiras e formou-se em política internacional. Alfredo diz que o seu sonho é de viajar. Adelaide diz que ele deve realizar o seu sonho, pois é a coisa mais estonteante do mundo. Adelaide retira-se para ir aos lavabos, Alfredo espera. Alfredo já está um pouco irrequieto com a demora de Adelaide, quando um garçon se aproxima e lhe entrega um bilhete, onde se lê: “Alfredo. Uma das coisas que a Europa me ensinou é que prevenir acidentes é dever de todos. Assim faço uma diplomática saída à francesa. Gostei muito de te conhecer. Nos vemos por aí… Beijos Adelaide” P.S.: “Não se preocupe com a conta. Já acertei tudo com o garçon.” Alfredo sorri estranhando ter encontrado finalmente uma mulher capaz de surpreendê-lo. Julinho vai para o seu primeiro dia de trabalho, Lola lamenta que ele tenha largado os estudos e tenha que trabalhar para pagar a dívida do pai. Isabel conta a Maria Laura que namora com Lúcio e que deram o primeiro beijo. Isabel também conta que Julinho namora com Lili e diz que se apercebeu de Maria Laura e Julinho namoriscando. Maria Laura faz-se de desentendida, mas diz que Lili não é mulher para Julinho, que ela é muito criança, desenxabida. Isabel repreende-a. Maria Laura diz que Julinho precisa de uma mulher mais interessante, que saiba impor a sua presença na sociedade. Isabel percebe que Maria Laura está a falar de si. Maria confirma e diz que o namoro entre eles não vai dar certo. Maria Laura está com o olhar decidido. Clotilde vai até à venda de Alonso, pede para usar o telefone e liga para Almeida. Clotilde pede perdão pela ousadia, mas tem um assunto urgente para conversar com ele. Marcam um local para se encontrarem. Julinho repara na conversa de Almeida ao telefone e brinca com ele dizendo que é um homem casado e não fica bem marcar encontros. Almeida diz que era só um amigo. Lola tenta falar com Durvalina, comentam sobre a dificuldade de manter a comida em casa. Durvalina está triste e começa a desconfiar de que será mandada embora, mas a conversa é adiada pela chegada de Lili. Lili leva uma peça de roupa para Lola fazer um pequeno ajuste. Lili pergunta se Lola lhe pode ensinar uns truques de casa, como cozinhar. Emília repreende Adelaide por andar sozinha na rua, não acha correto ainda que o motorista a venha trazer a casa. Adelaide diz à mãe que tem toda a razão, não sabe porque é que não há nenhuma mulher a conduzir, e que ela mesma irá conduzir o carro. Emília fica horrorizada, não sabe de onde a filha tira estas ideias e acha que Adelaide quer chocá-la, que está a ficar louca. Cínica, Adelaide responde à mãe que está enganada, que maluca é a Justina. Adelaide é a filha mais velha, que ficou afastada a vida inteira exilada na Europa e finaliza dizendo que ela é a normal da família. Na praça Buenos Aires, Clotilde está sentada num banco, muito nervosa, aflita, tensa, temendo que Almeida não venha, mas ele surge galantemente ao seu lado.

Capítulo 67 Na loja de Assad, Maria Laura vai ter com Julinho e felicita-o pela namorada. Julinho um pouco surpreendido, fica a saber por Maria Laura que foi Isabel quem lhe contou. Em seguida diz que não é bem assim, pois foram criados desde pequenos. Maria Laura diz que isso não tem nada a ver e fica um pouco esperançosa. Clotilde encontra-se com Almeida e está totalmente decidida a ficar com ele. Almeida diz que teve a impressão de que Clotilde não o queria ver mais daquela vez no casamento de Olga. Clotilde, chorando, diz que naquela altura chegou a ir ter com ele à estação, mas já era tarde. Almeida comove-se. Lúcio vai a casa de Lola para conversar com Isabel. Fala sobre política, mas ela não se interessa e cortando o assunto, convida Lúcio para ir ao cinema. Olga preparou a comida e todos se sentam à mesa. Candoca tenta dar o almoço a Justina e para fazê-la comer, imita aviõezinhos. D. Maria acha a situação cómica e triste ao mesmo tempo. Lola, vai até ao quarto de Carlos pedir ajuda para mandar Durvalina embora. Carlos, triste, diz que está com a mãe e vai ajudá-la. Clotilde enxuga as lágrimas e ao ser chamada de senhorita por Almeida, pergunta-lhe se não pode ser como antigamente, apenas Clotilde e Argemiro. Almeida é apanhado de surpresa, mas concorda com a retirada das formalidades. Carlos e a mãe vão à cozinha para dar a notícia a Durvalina. Durvalina acaba de preparar o almoço quando Carlos lhe diz que precisa de conversar com ela. Lola começa a chorar antes mesmo de Carlos dar a notícia. Durvalina diz que no fundo sabia que isso iria acontecer, mas que não queria acreditar. Em seguida, chorando, abraça Carlos e Lola e pede para não a mandarem embora. Lola continua chorando lamentando-se pela partida de Durvalina, pois para ela, Durvalina já fazia parte da família. Carlos tenta acalmar a mãe e lembra-se que ela podia pedir à Tia Emília para Durvalina trabalhar com ela. Carlos aproveita a situação e pede à mãe que também peça ajuda para ele, pois o emprego não está a dar certo. Lola reluta um pouco, mas acaba por concordar. Tavinho brinca com Justina, e põe-na a fazer de mula. Tavinho pede a Justina que fique agachada para que ele possa saltar por trás. Olga vê a cena e apanha um susto, perguntando a Tavinho o que está a fazer. Lola prepara-se para sair e falar com a Tia Emília e diz a Durvalina que vão tentar arranjar outro emprego para que ela fique pelo menos perto deles. Olga conta a cena que viu a Zeca e diz que Justina está a perverter Tavinho, perguntando quando a levará de volta. Zeca diz que a maldade está na cabeça de Olga e que duvida que a Tia Emília concorde que Justina volte. Lola chega a casa da Tia Emília e encontra-a mais humana do que nunca. Agradece novamente o cheque e ao saber do regresso de Adelaide, diz à tia que ela deve estar uma mulher e que a filha deve dar-lhe muito orgulho. Tia Emília concorda triste. No Clube, Alfredo pergunta a Lúcio como vão as coisas com Isabel. Lúcio diz que fica muito nervoso com as mulheres. Alfredo responde que as mulheres só sabem pensar em futilidades e que a única que tinha alguma coisa na cabeça era Adelaide, mas que tinha desaparecido. Nesse momento, Adelaide passa por trás de Alfredo e reconhece-o sem que ele perceba. Na rua pela cidade, Almeida acompanha Clotilde e na hora da despedida, Clotilde pergunta a Almeida se poderão encontrar-se novamente. Almeida um pouco atrapalhado acaba concordando. No Clube, Adelaide aproxima-se de Alfredo sem que ele perceba e faz-lhe uma surpresa tapando-lhe os olhos. Alfredo tenta adivinhar num primeiro instante, depois vira-se e vê Adelaide. Alfredo fica muito feliz e não acredita no que vê, comentando que ele e o amigo Lúcio falavam justamente dela. Tia Emília desabafa com Lola e diz que não sabe como a filha Adelaide reagirá ao saber que Justina não está internada, pois a filha pensa de maneira muito diferente da dela.

Capítulo 68 Almeida chega atrasado à loja de Assad e conversa com Julinho enquanto se troca. Durante a conversa, Julinho diz a Almeida que a sua esposa é bonita e a brincar diz que quase foi seu tio. Almeida pergunta a Julinho se Clotilde chegou a comentar algo sobre seu casamento. Julinho diz que não e fica desconfiado. Na casa de Tia Emília, Lola finalmente consegue fazer os pedidos de Carlos e Durvalina. Tia Emília responde já mais séria, que precisará conversar com algumas pessoas para tentar arranjar um emprego a Carlos e quanto a Durvalina, diz que não gosta de negros em sua casa, pois prefere manter uma boa impressão. Lola fica com muita raiva. Adelaide, ao notar que o clube está vazio, desafia Alfredo a dançar. Alfredo aceita o desafio e quando Adelaide lhe começa a mostrar os passos junto ao seu corpo, Alfredo não aguenta e dá-lhe um beijo. Lola chega a casa e ainda muito irritada, conta a Clotilde o que a Tia Emília disse sobre negros e que Durvalina teve muita sorte em não ir para lá. Clotilde mostra-se inconformada e chama a Tia Emília de velha rabugenta. No dia seguinte, no clube, Adelaide pergunta a Alfredo se tem planos para a noite e em seguida convida-o a ir até Santos, pois tem a chave da casa de um amigo e o carro. Alfredo diz que ela caiu do céu e aceita logo. Lola, começa a preocupar-se pois Alfredo ainda não apareceu, então, pergunta a Lúcio se não o viu. Lúcio diz-lhe para não se preocupar, pois Alfredo disse-lhe que ia ter com uns amigos. Na cozinha, Clotilde é surpreendida por Julinho quando ele lhe pergunta se ela foi apaixonada por Almeida. Clotilde fica atrapalhada e também triste. Julinho lamenta pela tia e pergunta-lhe como fez para esquecer Almeida. Clotilde não esqueceu, mas não tem coragem de dizer ao sobrinho. Carlos conta a Marcos a sua preocupação sobre Amanda não o querer por ele ser pobre. No clube, Amanda despede-se de todos e depois de ficar sozinha, vai para um lugar estranho do clube. Na verdade ela é filha do Zelador e só finge ser rica, porém, ninguém desconfia. Lola diz a Clotilde que está preocupada com a situação de Durvalina. Clotilde tenta acalmá-la dizendo que quando menos ela esperar a solução aparecerá. No dia seguinte, Lola vai acordar os filhos e percebe que Alfredo ainda não chegou. Julinho e Carlos acalmam a mãe dizendo que não é a primeira vez que Alfredo faz isso. Lola tenta não se preocupar. Na casa de praia, Alfredo acaba de acordar e olha o mar admirando-o. Enquanto isso, Lola e Durvalina conversam na cozinha e ao falarem sobre Alfredo, relembram o quanto ele gosta de mar. Ainda na cozinha, Lola começa a preocupar-se com as coisas que estão a começar a faltar em casa e lembra-se de vender o rádio que era de Júlio. Em seguida diz à irmã que ela tinha razão, pois teve uma ideia para o caso de Durvalina e que sairá para o resolver. Lola vai ao armazém de Alonso, explica as dificuldades que está tendo em casa depois da morte de Júlio e que por isso não terá mais condições de ficar com Durvalina. Em seguida, pede a Alonso que a ajude, dando emprego a Durvalina, pois ela é muito competente e também muito querida. Alonso fica um pouco comovido, indeciso no início, mas acaba por ceder. Depois, pede a Lola que diga a Durvalina para ir ao seu armazém no dia seguinte para acertarem tudo. Lola fica muito contente e agradece muito. D. Maria e Candoca separam uns doces para serem entregues a Lola e aproveitar a viagem de Zeca a São Paulo para tratar de negócios com a Tia Emília. Na praia, Alfredo conta a Adelaide a promessa do pai quando o trouxe à praia, de um dia voltar por ter gostado tanto do mar. Depois, reclama com o facto de fazer sempre as coisas certas e não as que gostaria de fazer, como ir à praia com ela. Diz que é isso que o faz gostar dela e em seguida dá-lhe um beijo.

Capítulo 69 Em casa de Lola, Durvalina lembra-se de fazer algo especial, já que este é o seu último dia. Lola diz que não tem dinheiro para comprar algo especial. Durvalina responde que tinha umas economias e que já comprou carne para a sua receita especial. Em sua casa Tia Emília está muito nervosa pelo desaparecimento de Adelaide com o carro. Enquanto isso, Adelaide conversa com Alfredo na praia e comenta que eles só sabem conversar sobre política e outras coisas do mundo, mal se conhecem, mas nem por isso não se dão bem. Genú faz uma visita a Lola e fica a saber que Durvalina vai trabalhar com Alonso. Durvalina preparou a sua carne especial para o jantar. Momentos depois lembra-se quando as crianças eram pequenas. Julinho, em sinal de carinho, entrega um ramo de flores a Durvalina que se emociona e começa a chorar. No dia seguinte, a casa já está sem Durvalina e no seu quarto com a tia, Isabel faz a sua cama e ao mesmo temo pede à tia para lhe fazer um vestido igual ao que viu numa revista. Clotilde pergunta com que dinheiro comprará o tecido e após a sobrinha garantir que conseguirá o dinheiro, acaba aceitando. Ao pequeno-almoço, após a saída de Julinho. Alfredo chega como se nada tivesse acontecido, queimado do sol. Lola diz-lhe que ficou muito preocupada e pede-lhe para não voltar a fazer isso. Alfredo pede à mãe que fique tranquila, pois ele volta sempre depois de desaparecer. Carlos que estava calado à mesa não se aguenta e dá um raspanete no irmão por ele não se preocupar com a situação da casa. Alfredo nem discute com o irmão porque está muito feliz. Durvalina já está em casa de Alonso e diz ao novo patrão que encontrou uns vestidos e brinquedos velhos perguntando o que pode fazer com eles. Alonso triste, diz que pode dar aos pobres ou queimar tudo se quiser. Na loja, Assad questiona Almeida sobre o trabalho de Julinho. Almeida diz que ele está a ir muito bem e que saiu ao pai, Júlio. De volta à casa de Lola, Clotilde prepara-se para sair dando a desculpa à irmã de ter que ir ao correio entregar umas cartas e ver mais umas coisas. Lola pede-lhe para não se atrasar para o almoço. Clotilde diz-lhe para não esperar por ela, deixando-a desconfiada. Julinho está sozinho na loja, quando é surpreendido por Maria Laura com a desculpa de que lhe fez alguns doces. Ambos começam a conversar e fica um clima de romance. Karime tenta aproximar-se de Maria Laura dizendo que ela e Assad gostariam que ela viajasse com eles para alguma estância, já que os exames terminaram. Maria Laura rejeita o convite e diz que prefere ficar em casa, mas na verdade parece estar planeando algo. De volta à loja, Almeida diz a Julinho que precisará novamente da sua colaboração. Julinho pergunta se será mais um encontro misterioso. Almeida malicioso responde que sim. Quando se prepara para sair, Almeida é surpreendido pela mulher que resolveu passar por lá, pois precisava fazer algumas compras. Almeida não sabe o que fazer, pois Clotilde espera-o. Em sua casa, Tia Emília pede explicações a Adelaide por ter desaparecido sem avisar. Adelaide diz à mãe que já é maior de idade, vacinada e que a mãe não teve esta preocupação quando a enviou doze anos para a Europa. Depois de conversarem mais um pouco, Tia Emília fica arrasada. Isabel, em casa de Lúcio, pergunta-lhe se não quer levá-la ao baile do clube. Lúcio hesita perguntando se Lola não achará mal por estar tão próximo do falecimento de Júlio. Isabel pede-lhe para não se preocupar e acaba por convencê-lo. Na Praça Buenos Aires, Clotilde começa a chorar ao perceber que Almeida não aparecerá. Isabel tenta convencer a mãe a deixá-la ir ao baile. Lola diz à filha que este baile é coisa de meninas ricas e ela nem sequer tem um vestido. Isabel argumenta com a mãe que a tia Clotilde pode fazer um vestido em dois tempos e que Lúcio poderá levá-la com as suas amigas. Lola fica indecisa, pois não fica bem uma garota que agora não tem pai ir

Capítulo 70 Clotilde vem por uma rua quando encontra Almeida e a sua esposa Marta. Almeida embora atrapalhado conserva um certo sangue frio cumprimentando-a educadamente, mas sem parar. Clotilde fica chocada olhando, enquanto Marta intrigada pergunta quem é ela. Almeida só diz que é uma conhecida, ninguém importante. Zeca está de visita a casa de Tia Emília para que ela confira alguns papéis. Como está tudo em conformidade Emília pergunta se ele tem mais algum assunto para tratar com ela. Zeca diz que sim, é sobre Justina. Ele diz que ela sente muita a falta da mãe. Emília fica surpreendida e quer saber mais. Zeca diz que ao dormir Justina chama pela mãe e que no outro dia estava a chorar pedindo pela mãe. Emília comove-se e pergunta se estão a alimentar a filha como deve ser. Zeca garante que sim, com muita fruta, leite, tudo do que há de mais saudável, mas que nada substitui um lar. Emília diz que Zeca tem razão, e pede-lhe para aguardar uma semana, pois vai enviar Higino para buscar Justina. Zeca mal consegue esconder a sua satisfação, o plano deu certo. Em casa de Olga, Justina está a brincar com as crianças menores, está feliz, menos perturbada do que em casa da mãe. Justina fica melhor sem pressões, sem fantasmas da família. Maria e Candoca observam. Maria diz que Justina parece uma criança normal. Maria acha impressionante como todos reclamam de Justina, quando ela quase não dá trabalho, está mais tranquila e nunca mais teve pesadelos. Candoca diz a Maria para não dizer isso, senão Emília deixa Justina com eles para sempre. Maria diz que Candoca não tem nenhuma humanidade. Clotilde chega a casa de Lola muito perturbada, a irmã pergunta o que aconteceu. Clotilde pergunta o que poderia acontecer a uma solteirona, mas procura conter o choro. Lola fica preocupada. Na loja de Assad, sem citar nomes Almeida conta a Julinho que se cruzou com Clotilde na rua e que estava acompanhado da sua esposa. Almeida não sabe o que faria se Clotilde lhe viesse pedir satisfações. Julinho diz não entender Almeida. Almeida não quer mais falar no assunto e diz que chega de encontros à hora do almoço, senão vai acabar por ter uma úlcera como a de Júlio. Lola diz a Carlos que Isabel quer ir à festa do clube na companhia de Lúcio. Lola não acha bem uma moça andar a sós com um rapaz. Carlos diz que a mãe não se deve preocupar, pois Lúcio é como um irmão. Lola acha que mesmo com essa intimidade Lúcio pode aproveitar-se de Isabel. Carlos diz que Isabel está na idade das festas, e que eles têm muita sorte por ela sair com um rapaz como Lúcio. Karime diz a a Assad que Maria Laura não quer viajar com eles. Karime está desconfiada de que Maria Laura não quer ir por causa do baile do clube. Assad vai conversar com a filha. Maria Laura diz que lhes iria estragar as férias, como não tiveram uma lua-de-mel, têm o direito de aproveitar. Assad acha estranha essa sua boa vontade da filha com Karime e pergunta sobre o baile que Karime comentou com ele. Maria Laura tenta controlar-se e diz que realmente haverá um baile e que já mandou fazer o vestido. Assad sugere fazer a viagem após o baile. Maria Laura diz que ele é quem sabe, já que a lua-de-mel é dele. Amanda e Carlos beijam-se. Amanda não acha correto e Carlos diz que ficou muito feliz, mas Amanda espera não ter feito uma asneira. Zeca está no cabaré a divertir-se, quando surge Alfredo. Zeca fica assustado e envergonhado e diz que entrou ali por acaso. Alfredo diz que o pai também tinha esse costume. Zeca teme que Olga descubra sua presença no cabaré. Alfredo diz que Zeca pode ficar despreocupado, que Olga não irá saber das habilidades do marido como dançarino. No cabaré surge Raio Negro que vem pedir satisfações a Elouise por ela não ter esperado por ele. Raio Negro trata a moça com brutalidade, mas Alfredo intervém, os dois ainda não se reconheceram. Preparam-se para uma briga. Elouise chama Raio Negro pelo nome e pede-lhe para não brigar. Alfredo reconhece o nome.

Capítulo 71 No Cabaré, Alfredo descobre que a pessoa com quem estava prestes a brigar era o seu amigo de infância, Raio Negro. Em seguida, confraternizam, quando Alfredo é interrompido por Greta dizendo que Zeca está mal, porque bebeu muito. Olga recebe a visita de Leontina que diz que Neves está muito animado com a sociedade com Zeca. Olga responde que Zeca também está empolgado, mas reclama por o marido ainda não ter chegado. Clotilde liga para Almeida e diz-lhe que ficou muito atrapalhada pelo que aconteceu no outro dia. Almeida responde que na hora foi o melhor a fazer. Clotilde, após confirmar que Almeida realmente estava com a mulher, reconhece que está a fazer papel de tola. Almeida insiste para que ela reconsidere e depois de muitas tentativas, Clotilde acaba cedendo e diz que será a última vez. No clube, Maria Laura conversa com Isabel dizendo que não quis ir com o pai e Karine e pergunta a amiga sobre o baile. Isabel diz que ainda não teve o sim definitivo da mãe, mas que será uma questão de tempo. Raio Negro leva Alfredo à oficina onde trabalha. Depois de conversarem um pouco sobre carros, Raio Negro percebe o interesse do amigo e diz a Alfredo que se ele quiser, pode conversar com o patrão para lhe arranjar um emprego. Alfredo reluta de início, mas imagina a cara da mãe ao saber que o filho arranjou um emprego. Carlos termina um trabalho da Faculdade com Marcus, e resolve contar ao amigo que as coisas entre ele e Amanda se resolveram. Marcus diz que já estava na hora de esquecer a tal de Carmencita. Carlos interrompe-o dizendo que gosta cada vez mais de Amanda, mas que ainda não esqueceu Carmencita. Alfredo muito irritado aguarda por Adelaide, que depois de muito tempo, chega finalmente. Alfredo cumprimenta-a e diz que está farto de vê-la sempre à noite, que se ela tiver vergonha dele é só falar. Adelaide diz que na rua não é lugar para discutir isto e acalmando-o, o convence a entrar no carro. Um homem bate à porta, Carlos vai atender e recebe notícias nada boas. O homem diz que traz uma nota promissória assinada por Júlio no valor de quinhentos mil réis e que não consegue mais segurá-la. Carlo fica preocupadíssimo e pede dois dias ao homem. Olga continua irritada com Zeca por ainda não ter chegado, quando Leontina ao ver o bebé chorando muito, lhe diz que ele está com febre. Olga pede para que Leontina chame D. Maria. Carlos comenta com Marcus que não sabe como dizer à mãe que o dinheiro que ela está guardando para pagar a casa talvez precise ser usado para uma nova dívida. Marcus oferece ajuda dizendo que pode pedir o dinheiro à avó. Carlos rejeita num primeiro momento, mas diz que talvez possa precisar. Num bar, Adelaide conversa com Alfredo tentando acalmá-lo e após algumas tentativas acaba conseguindo. Lola chega a casa toda contente por ter conseguido uma encomenda grande para um noivado e comenta que precisará de muitos mantimentos. Como estão sem dinheiro, Carlos oferece-se para falar com Alonso para conseguir os mantimentos. Assim que Lola sai da sala, Marcus pergunta a Carlos quando lhe falará sobre a dívida. Carlos responde que agora não era a hora porque a mãe estava muito feliz. D. Maria já chegou e ajuda a baixar a febre do bebé com banhos e compressas, dizendo que o médico está a caminho. Olga está possessa com Zeca por ainda não ter chegado. Zeca acorda num quarto de hotel assustado por ver que dormiu ao lado de uma mulher e por não se lembrar de nada. Em seguida, sai assustado para casa com medo de ter sido reconhecido. Olga fica mais tranquila quando o médico diz que não é nada grave com o bebé. Carlos vai ao armazém de Alonso e diz-lhe que a família Lemos precisa dele para sair do buraco. Alonso diz que tem uma dívida de gratidão com Lola e que faz questão de pagá-la, disponibilizando os mantimentos. Assad elogia Julinho, mas Karime diz que é melhor fazer uns testes primeiro, antes de confiar nele. Assad fica pensativo.

Capítulo 72 Em casa de Genú, Lili abre a porta a Julinho, não esperava que ele fosse aparecer e esconde as mãos. Julinho conta-lhe a ideia que deu ao Sr. Assad para modernizar a loja, que foi muito elogiado e que Assad vai usar estas ideias nas outras filiais. Julinho percebe que Lili está a agir de forma estranha, pois ela esconde as mãos, e diz que não adianta falar com ela, que é uma criança e age como boba. Lili reclama que nem ao menos teve coragem de lhe dar um beijo de boa noite. Julinho pede desculpas, sai de má vontade, Lili bate a porta com força e chora com muita raiva. Lili conta a Isabel sobre Carlos e Amanda. Isabel achava muito bonita a história de Carlos e Carmencita e sente-se um pouco decepcionada por Carlos ter encontrado um novo amor. Lili diz que há muito tempo que Carmencita partiu, não se sabe se ela ainda está viva, portanto não tem cabimento Carlos continuar apaixonado por ela. Zeca abre cuidadosamente a porta da casa, com medo da reação de Olga. Tavinho chama-o e diz que Olga está muito zangada, empacotou as coisas dele e mandou-o dormir na sala, que não quer mais saber dele. Tavinho dá o recado e vai para o seu quanto, mas vira-se para o pai e diz que se quiser pode dormir na cama dele. Zeca comovido abraça o filho, ainda chocado com tudo. Carlos quer levar Amanda para conhecer a sua família. Isabel conta à mãe sobre a namorada de Carlos. Carlos volta para casa, com a cabeça confusa, entre dois amores, um do passado e outro do presente. Tem um momento de dúvida, mas resolve dirigir-se para o armazém de Alonso. Carlos conversa com Afonso e diz que lamenta muito por não se ter conseguido despedir de Carmencita, que se tivesse chegado mais cedo poderia ter impedido a partida dela. Lola conversa com Clotilde e sente-se muito culpada por não ter conseguido dar o recado de Carmencita para Carlos há dez anos, assim Carlos não teria passado todos esses anos na incerteza, teria sofrido muito menos. Alonso aconselha Carlos a esquecer do passado. O dia amanhece e D. Maria chama por Zeca, que acorda assustado. D. Maria conta que o bebé deles ficou com muita febre, mas que já está melhor e que a filha está furiosa com ele. Raio Negro arranjou um emprego a Alfredo. Diz que o patrão não gostou muito da ideia de contratar alguém sem experiência, mas como Alfredo é seu amigo vai-lhe ensinar o serviço. Tavinho pergunta a Olga porque brigou com Zeca. Olga conta que o pai foi para São Paulo enquanto ela ficou sozinha com o bebé doente. Tavinho diz que não gosta de ver os pais zangados e pede à mãe para perdoar Zeca, pois ele não agiu por mal. Olga faz cara de dúvida. Zeca faz uma careta e dá dinheiro ao filho. Tavinho guarda o dinheiro no bolso e pisca o olho a Dona Maria que observa toda a cena. Carlos chega a casa com Amanda, chama por Lola, enquanto isso Carlos apresenta a namorada a Alonso. Olga perdoa Zeca, e ele conta as boas novas sobre Justina. Olga elogia a esperteza do marido. Do lado de fora do armazém de Alonso, Carmencita desce de um carro muito sofisticado e entra no armazém. Durvalina recebe-a e não a reconhece. Durvalina diz que Alonso vai ficar muito feliz por revê-la e que já tinha perdido as esperanças por ela não ter dado nenhuma notícia. Carmencita diz que a mãe nunca deixou que ela enviasse as cartas. Amanda fica tímida com os elogios que recebe de Alonso e Lola. Durvalina pergunta se Carmencita veio de visita e pergunta e ela diz que a sua permanência dependerá de Alonso, por ela ficaria para sempre. Durvalina conta que desde que Carmencita e Pepa partiram Alonso fechou-se em casa. Carmencita pergunta sobre a família de Lola. Durvalina conta que Júlio faleceu há um mês e meio e que a família tem passado por muitas dificuldades. Carmencita hesita um pouco, mas pergunta por Carlos.

Capítulo 73 Na oficina, Raio Negro diz a Alfredo o quanto a vida foi cruel com ele, pois o pai fugiu com outra mulher, a mãe morreu e a irmã ficou em casa de parentes. Carmencita chega a casa de Alonso e ao ver que o pai adotivo não está, pede segredo a Durvalina, pois sairá para rever o bairro. Clotilde diz a Isabel que gostou de Amanda, mas a sobrinha torce o nariz por achar que ela esconde algo. Lola acompanha Carlos, Amanda e Alonso até a porta. Enquanto isso, Carmencita vê Carlos com Amanda e fica chocada ao reconhecê-lo. O médico acaba de examinar Tavinho e diz a Olga e D. Maria que Tavinho está com papeira. Carlos volta para casa e pergunta à mãe se gostou de Amanda. Lola responde que sim, que ele teve muito bom gosto. Em seguida, Carlos lembra a nova dívida herdada do pai e Lola diz que é melhor pagarem-na de uma vez. Carlos fica com medo, pois ficarão sem reservas. Lola mantém a resposta, mostrando muita força. Carmencita volta ao armazém do pai e finge ser uma freguesa para lhe fazer uma surpresa. Quando Alonso descobre que é a filha, fica muito surpreso e atrapalha-se com os afazeres. Carmencita pergunta a Lola por que motivo Júlio fez mais uma dívida. Lola diz que nunca se quis meter nos assuntos do marido, mas que ele deve ter tido os seus motivos e afirma que enquanto sua família estiver junta passarão pelas dificuldades. Carmencita pergunta a Alonso se ainda pode continuar a chamá-lo de pai. Alonso muito feliz responde que sim e pergunta à filha se está de passagem. Ela responde que veio para ficar, se não houver problema. Alonso responde que a casa é tão dele quanto dela. Carlos vai ao escritório do homem para pagar a dívida do pai e ao questioná-lo sobre o motivo da dívida, descobre que o pai a fez para poder matriculá-lo na faculdade e fica constrangido. Assad e Karime colocam o seu plano em ação. Quando Julinho fica sozinho na loja, deixam um pouco de dinheiro no chão para comprovar a sua honestidade. Julinho tropeça num pequeno maço de dinheiro, fica tentado e num primeiro momento guarda-o no bolso. Olga e D. Maria cuidam das crianças, pois todas apanharam a papeira de Tavinho. Julinho conversa com o irmão Carlos e reclama por ter que lidar com fregueses chatos. Pergunta se não seria bom se um dia encontrassem uma grande quantidade de dinheiro, logo quando mais precisam. Carlos diz ao irmão que seria muito bom, mas que o dinheiro não cai do céu. Julinho fica em conflito com a sua consciência. Na cozinha, Clotilde está preocupada porque não sabe se terminarão todos os salgados a tempo. Aparece Isabel perguntando novamente à mãe sobre o baile. Lola já sem paciência diz que não é hora de falar sobre isso e lamenta com a irmã o facto de Isabel ultimamente só pensar em futilidades. Almeida prepara-se para se encontrar com Clotilde à hora de almoço, mas tem os planos atrapalhados por Carlos, que estava na loja e propõe que saiam juntos. Tia Emília pede a que Higino leve uma carta a Lola e ao perceber que Adelaide viu tudo, conta o que está fazendo. Adelaide não se lembra de Lola, mas fica indignada por o governo não ajudar mais as pessoas no país. Almeida está preocupado para que Carlos não o veja com Clotilde. Ao mesmo tempo, Clotilde tenta arranjar uma desculpa para sair mas Lola percebe a inquietação da irmã e pede para que ela não inventar nada, pois só pode contar com ela nas horas difíceis. Clotilde fica triste e preocupada, pois não conseguirá ver Almeida. Carmencita comenta com Durvalina que nunca pensou que ela pudesse sair da casa de Lola. Durvalina explica que depois da morte de Júlio a família não tinha dinheiro para ter uma criada. Carmencita após relutar um pouco pergunta sobre Carlos. Durvalina diz que ele está bem, forte e bonito e sugere que o procure. Carmencita responde que por enquanto não, pois mesmo sem saber se é coisa de criança, ainda não conseguiu perdoá-lo por algo que ele fez.

Capítulo 74 Higino chega a casa de Lola para entregar a carta. Na carta, Tia Emília diz para Carlos procurar o Dr. Mário Esteves para tratar do emprego. Lola fica muito feliz e agradecida a Tia Emília. Na rua, Almeida juntamente com Carlos, chega ao ponto de encontro com Clotilde. Carlos percebendo que Almeida está um pouco nervoso, despede-se. Almeida olha para os lados, ansioso pela chegada de Clotilde. No armazém de Alonso, Carmencita diz ao pai que vai dar umas voltas pela cidade para relembrar alguns lugares. Assad acaba de voltar para a loja com Karime e pergunta a Julinho se correu tudo bem. Julinho responde que sim e vai buscar as suas coisas. Karime olha para o marido como se a sua desconfiança estivesse certa. Assad fica aborrecido. Alonso pergunta a Durvalina se Carmencita não perguntou por Carlos. Durvalina responde que ela parece estar magoada com ele. Alonso diz que pode ter feito asneira ao incentivar Carlos a conhecer outra rapariga quando lhe foi pedir conselhos, mas que não tinha como adivinhar que Carmencita iria voltar. Assad ainda está aborrecido com Julinho enquanto Karime se vangloria de que a sua teoria estava certa e pede a Assad para o despedir. Assad olha para a mulher pensando no que ela diz e fica tenso. Carmencita visita novamente a árvore em que ela e Carlos se encontravam quando eram crianças. Isabel comenta com a mãe que agora que Carlos vai trabalhar sobra dinheiro para ela ir ao baile. Lola de início fica irritada com a filha, mas ao vê-la triste autoriza-a a ir ao baile. Isabel fica muito contente. Almeida, espera em vão por Clotilde e, muito triste, desiste e resolve ir-se embora. Carlos também chega para visitar a árvore. Carmencita surpresa esconde-se no início, mas comovida chama-o. Carlos vira-se, mas ainda não a reconhece. Julinho pensa bem e resolve devolver o dinheiro a Assad que fica contente, mas tentando disfarçar diz que o deve ter deixado cair. Julinho despede-se e olha Karime com ar de triunfo. Carlos muito nervoso pergunta se ela é Carmencita. Carmencita emocionada responde que sim. Carlos tímido tenta disfarçar a sua paixão fazendo conversa e pergunta quando chegou. Carmencita responde que chegou naquele dia e que vai morar com o pai, Alonso. Carlos pede para acompanhá-la se não houver problema. Ela aceita. Assad mostra a Karime que Julinho devolveu o dinheiro passando no seu teste. Karime não dá o braço a torcer dizendo que Julinho não devolveu o dinheiro logo e que se Assad fizer outro teste ele cairá. Assad fica em dúvidas. Carmencita conta a Carlos um pouco da sua vida em Espanha dizendo que se sentia presa por não ter nada no país que a interessasse e que convenceu a mãe de que seu lugar era aqui. Carlos solidariza-se com o que ela passou e comovido tenta pegar-lhe na mão, mas ela tira-a. Carlos pergunta por-lhe porque fez isso. Carmencita não revela, mas está magoada por ele não se ter ido despedir dela quando eram crianças. Em seguida vai para casa. Carlos fica sem perceber. Zeca chega a casa e é surpreendido com a notícia de que todos os filhos estão com papeira. Carlos vai a casa de Alonso falar com Carmencita que lhe diz que ficou magoada todo este tempo por ele não ter ido vê-la quando se foi embora. Carlos agora entende a situação e diz-lhe que foi procurá-la, mas quando chegou, ela já tinha partido. Carmencita fica aliviada e abraçam-se. Lola espera pelo freguês que já está um pouco atrasado e ao mesmo tempo recebe a notícia de Alfredo, que já ia sair novamente, dizendo que arranjou um emprego numa oficina de um amigo. Lola fica muito contente dizendo que ajudará bastante. Alfredo, no entanto, não está com intenção de ajudar. Assad continua a elogiar Julinho, dizendo que o garoto tem jeito para o comércio. Karime não consegue admitir e diz que tem a sensação de que vão ter muito trabalho com Julinho.

Capítulo 75 O cliente de Lola está a carregar as últimas encomendas no carro. A mesa da sala já está quase vazia. Lola comenta com Clotilde que trabalharam tanto para fazerem os doces que sente vergonha de cobrar ao cliente. Clotilde diz à irmã para se deixar disparates, pois ela ainda cobrou barato, se fosse outra doceira não teria feito o mesmo preço. O freguês vem buscar mais um pacote de doces e vai-se embora sem prestar atenção a Lola, diz que depois a esposa vem acertar o dinheiro com ela. Lola tem uma grande decepção. Clotilde intervém, dizendo que não têm o costume de vender fiado. O freguês irrita-se e diz que se está desconfiada ele descarrega a encomenda, que não que comer os doces de graça. Lola apreensiva diz que não é bem assim, que conhece a esposa dele e que confia. Clotilde diz que Lola não o deveria ter deixado partir sem pagar a encomenda e que se ele não quiser pagar não paga. Lola diz que eles têm muito dinheiro, moram num palacete e que não iam ficar a dever. Clotilde irrita-se e diz que quanto mais dinheiro tem essa gente mais explora quem trabalha. Carlos vai a casa de Lili, conta que Carmencita voltou e que está divido entre dois amores. Carmencita diz a Alonso que o viu com Carlos e uma moça de manhã. Pergunta quem é a moça, se é a nova namorada de Carlos. Alonso fica confuso. Zeca começa a sentir dores no pescoço, chama por Olga. Carlos sabe que tem que tomar uma decisão, tem que escolher entre Amanda e Carmencita. Genú escondida ouve toda a conversa. Alonso diz a Carmencita que conversou muitas vezes com Carlos, dizendo-lhe que ele era jovem, tinha toda uma vida pela frente e que não adiantava ficar preso ao passado. Alonso perde perdão a Carmencita, tem certeza que não deve ser nada importante, que deve dar um espaço a Carlos e ele deve tomar uma decisão. Carmencita diz que não quer dar espaço nenhum a Carlos, quer vigiar o que é dela e que vai até a casa de Carlos. Alonso tenta acalmar Carmencita, mas ela está decidida, quer lutar pelo que é seu e que não vai deixar Carlos escapar facilmente. O médico aparece para ver Zeca, diz que ele deve ficar de repouso, que a doença é simples quando se é criança, mas com os adultos tem que se tomar mais cuidado. Carmen aparece em casa de Carlos, é Clotilde quem abre a porta, mas não a reconhece. Carmen diz que precisa falar com Lola. Lola demora a reconhecer Carmencita. Carmen sorri, sem esquecer nunca que está ali disposta a recuperar Carlos de qualquer maneira até agradando à sogra. Olga pergunta à mãe quais são as consequências da papeira para um homem adulto. Maria explica que a doença pode ir para “baixo”. Carlos conta a Julinho a enrascada em que se meteu. Carlos diz que Amanda está à espera dele no clube, mas não tem coragem para ir. Julinho diz que se fosse Carlos ficaria com as duas. Carlos diz que não é capaz de fazer uma coisa dessas. Carlos desce as escadas e tem uma surpresa, Carmen. Amanda está à espera de Carlos, começa a desconfiar que algo está errado, desiste de esperar, dá um suspiro e resolve ir para casa. Carmen percebe que Carlos está surpreso com a vinda dela mas achou importante vir e cumprimentar Lola, confessa que muitas vezes chegou a imaginar que ela não tivesse dado o recado. Carlos diz que a mãe lhe deu o recado mas quando chegou já era tarde demais, foi uma falta de sorte, coisas que acontecem, que na vida se magoa as pessoas sem querer, sem pensar. Neste momento pensa em Amanda. Carlos acompanha Carmen até o armazém, combinam encontrar-se no dia seguinte. Carmen dá um beijo a Carlos. Carlos fica ainda mais confuso. Adelaide troça do emprego de Alfredo. Alfredo diz que pode parecer incrível, mas gosta, acha-se mais responsável, e que é bom ter o próprio dinheiro. Alfredo faz uma aposta com Adelaide, se aguentar mais um mês no trabalho irão novamente para Santos, tudo por conta dele. Ela aceita.

Capítulo 76 Isabel experimenta os sapatos de Lili para usar no baile. Os sapatos não servem e Isabel fica nervosa. Na loja de Assad, Julinho escreve um cartaz discreto que diz: RETALHOS ABAIXO DO CUSTO, APROVEITEM! Maria Laura entra na loja e acha que o cartaz ficou muito bom. Maria Laura pergunta se ele não se incomoda por ter deixado os estudos. A pergunta perturba um pouco Julinho, mas ele mente e diz que gosta de trabalhar. Maria Laura pergunta a Julinho se vai ao baile de aniversário do clube. Julinho diz que não e pergunta porquê. Maria estava pensando se ele a poderia levar e pergunta se a vizinha dele ficaria muito furiosa. Julinho não sabe o que responder. Assad entra, olha seco para a filha e diz que não gosta que ela fique na loja. Maria Laura sobe, Assad olha de lado para Julinho. Almeida percebe o clima. Julinho fica atrapalhado. Amanda diz a Lili que esperou a noite inteira por Carlos feita tonta, que ele não apareceu e até o momento não deu sinal de vida. Lili embaraçada diz que Carlos não pode vir, pois parece que teve um problema. Amanda pensa no pior. Adelaide está intrigada com a vontade que Alfredo tem de trabalhar, e pergunta se o motivo seria ela. Alfredo diz que tem a ver com outra mulher, D. Lola. Adelaide pergunta quem é. Alfredo responde dizendo que é sua mãe. Adelaide diz que é muita coincidência, mas acha que são parentes, mais especificamente primos. Adelaide conta que é filha de Emília. Adelaide está deprimida, Emília quer ajudar. Adelaide incisiva pergunta quantos loucos há na família além de Justina. Emília fica aborrecida e diz que se vai deitar, mas Adelaide levanta-se e põe-se à frente da mãe. Pergunta se o pai era primo de Emília, a mãe diz que sim e que não há problemas no casamento entre primos, que é muito comum na sociedade, principalmente no seu tempo. Adelaide retruca até ao momento em que descobriram que estes casamentos poderiam resultar em filhos anormais. Emília sai, não quer ouvir mais nenhuma palavra de Adelaide. Julinho diz que tem uns retalhos na loja, que Isabel pode ir lá e escolher e pergunta se Clotilde também poderia ir. Clotilde diz que sim. Julinho acha bom, pois assim Almeida veria Clotilde, ele não fala de outra coisa. Clotilde deixa cair o talher, Lola olha para ela. Lola acompanha Carlos até o portão, será o primeiro dia nele no emprego novo, num banco. Carlos encontra-se com Amanda, está decidido a terminar o namoro. Conta sobre Carmencita, que foi seu namoro de infância. Amanda mantém-se firme e mente dizendo que o namoro não daria certo, pois são de mundos diferentes, que ela está acostumada a viajar, aos amigos ricos, a ter tudo do bom e do melhor e que Carlos nunca lhe poderia oferecer isso. Amanda levanta-se e sai com dignidade. Em casa de Assad há uma tensão entre Maria Laura e Karime, mas a mulher de Assad finge não se importar com os comentários de Maria Laura e controla-se para não a mandar para o inferno. Assad pede à filha para ser mais educada. Karime tenta acalmar o marido. Julinho diz a Almeida que Clotilde virá à loja escolher os tecidos. Julinho falou de propósito para ver a reação de Almeida e descobrir se é Clotilde quem se encontra com Almeida. Clotilde não vai à loja de Assad, diz à sobrinha para ir sozinha e escolher o tecido. Lili está a procura de Amanda e pergunta se Marcus a viu, pois não sabe onde ela mora, o telefone. Marcus diz que todos foram enganados por Amanda. Lili fica curiosa. Marcus diz que Amanda nunca disse onde morava, pois vive no clube, numas casinhas no fim do terreno, a casa dos empregados e que Amanda é filha do zelador Duda. Marcus diz que Amanda, fingiu que era menina rica, por isso fez todo aquele jogo com Carlos.

Capítulo 77 No clube, Marcus conta a Lili que descobriram que o pai de Amanda andou a roubar dinheiro da caixa e que agora o mandarão embora. Lili fica chocada com a notícia, mas também se coloca no lugar de Amanda, pois deve estar sofrendo muito. Em seguida Lili vai à procura de Amanda. Em casa de Alonso, Carmencita pergunta a Carlos se realmente terá que largar a faculdade. Carlos lamentando responde que sim, visto que não há outra forma. Lili chega a casa de Amanda que lhe diz que muitas pessoas lhe viraram a cara. Lili responde que são umas tolas e que não está lá para isso. Amanda conta a Lili que não mentiu, pois nunca disse que tinha dinheiro. Ao mesmo tempo conta que perdeu a mãe há uns anos e que o pai acabou metendo os pés pelas mãos querendo que ela arranjasse um bom partido para não passar necessidades. Amanda diz que se vai embora com o pai, pois ele conseguiu fazer um acordo com os diretores por saber demasiado sobre as irregularidades deles, que sentirá muitas saudades do lugar, mas que agora poderá ser ela mesma. Na oficina, Raio Negro dá uns conselhos a Alfredo dizendo-lhe que mais tarde lhe dirá uma maneira de ganhar mais dinheiro. Alfredo anima-se. Em frente de casa, Isabel é procurada por Lúcio e por estar aborrecida com as questões do baile trata-o mal. Lúcio farta-se e diz a Isabel que não tem sangue de barata e que ela não pode tratá-lo como quiser só porque ele gosta dela. Lúcio vai para casa deixando Isabel com cara de que não entendeu, mas porque só consegue pensar no baile. Lola consola a irmã que chora muito dizendo que devia ter ficado com Almeida há dez anos. Lola responde dizendo-lhe que fez a coisa certa. Clotilde continua dizendo que não, pois só ela sabe o que passou sozinha este tempo todo e sobe a correr para o quarto. Ao mesmo tempo, Isabel entra em casa e vê a cena. Lola tentando disfarçar chama a filha para irem ver o retalho do vestido para o baile na loja de Assad. Na loja de Assad, Julinho percebe que Almeida está triste e pergunta se está tudo bem. Almeida responde que não sabe o porquê de tudo isto estar a acontecer novamente referindo-se à tal mulher. Julinho começa a ligar uma coisa à outra e desconfia de que seja Clotilde, mas ao perguntar a Almeida, ele nega. Neves procura Zeca para saber da sociedade, mas quando vai à casa dele, vê o amigo também com papeira. Após Neves ter ido embora, Zeca pede a opinião de Olga sobre a sociedade. Olga pergunta se ele realmente confia em Neves e pede para que o marido abra bem os olhos. Zeca fica irritado, dizendo que não aguenta mais trabalhar para a Tia Emília. Lili está em casa de Carlos e conta-lhe tudo o que aconteceu com Amanda dizendo que ela ficou arrasada. Carlos diz que pode imaginar, ainda mais depois de ele também lhe ter contado sobre Carmencita. Depois, Lili ao saber que Carlos não contou a Amanda que já estava com Carmencita critica todos os homens, pois adoram fugir às suas responsabilidades. Carlos tenta acalmar Lili, mas percebe que ela herdou o feitio da mãe, Genú. Em casa, Tia Emília toma café e assim que Adelaide chega à mesa Tia Emília retoma a conversa da noite anterior dizendo que não gostou da maneira como ela falou sobre Justina. Adelaide não dá muita atenção à mãe de início, então, Tia Emília decidida, diz a Adelaide que Justina não está num hospício e sim na casa de parentes em Itapetininga e que pretende trazê-la para casa. Adelaide discorda totalmente da mãe dizendo que Justina é louca. O clima fica tenso. Carlos vai a casa de Carmencita e conta-lhe a verdade sobre Amanda, mas é surpreendido quando Carmencita lhe diz que já sabia de tudo. Tia Emília dá um raspanete a Adelaide dizendo que a filha que é toda moderna, mas não consegue morar com a irmã porque é doente. Em seguida termina a conversa dizendo a Adelaide que Justina voltará para casa quer ela queira, quer não. Adelaide fica muito irritada.

Capítulo 78 Lili conta à mãe a história de Amanda e Carlos, dizendo que ele decidiu falar com Carmencita e depois levá-la com ele para se despedir de Amanda, em sinal de sinceridade. Lili comenta com a mãe que o seu sermão fez efeito em Carlos. Carlos vai-se despedir de Amanda enquanto Carmencita observa de longe. Amanda está muito triste e pergunta se Carlos realmente será feliz, Carlos diz que sim. Amanda agradece por Carlos ter ido vê-la, pois estava a precisar de amigos. Despedem-se e Amanda discretamente manda-lhe um beijo. Lúcio pede um favor a Lili que fica sem perceber, pois é algo que lhe mostrará que Lúcio já não está apaixonado. Lúcio reforça que ainda é louco por Isabel, mas insiste que a irmã faça o que ele pediu, pois faz parte do seu plano. Lili fica confusa, mas acaba por concordar. Marcus pergunta a Carlos como foi a conversa com Amanda e Carmencita. Carlos responde que Carmencita foi muito compreensiva e que Amanda ficou contente por vê-lo, pois estava a precisar de amigos. Lola e Isabel vão à loja de Assad comprar alguns retalhos para o vestido de Isabel. Julinho pergunta propositalmente porque a tia não veio. Lola diz que Clotilde estava com dores de cabeça. Julinho ironicamente diz a Lola que a dor de cabeça dela está atrás do balcão, olhando para Almeida. Lola não percebe a indireta, mas continua a não gostar de Almeida. Durvalina relembra e conta a Carmencita o que aconteceu no dia em que ela se foi embora e como Carlos sofreu na época por não se ter conseguido despedir dela. Depois de ouvir a história de Durvalina, Carmencita fica com a impressão de que Lola, na época, demorou a dar o seu recado a Carlos. Clotilde aparece no Armazém de Alonso um pouco nervosa, pois tomou uma decisão e precisa falar com Almeida de qualquer maneira, mas ao pedir para usar o telefone, Alonso diz que está avariado. Clotilde fica sem saber o que fazer e acaba por voltar para casa. Candoca aconselha a sobrinha a rezar à Nossa Senhora de Bom Parto e Justina ouve a conversa e pergunta o que é rezar. D. Maria diz a Justina que é quando se conversa com o pai do céu. Justina diz que não tem pai e Candoca fica um pouco incomodada quando D. Maria diz que Justina tem um, mas não o conhece. De volta à loja de Assad, Almeida entrega o embrulho com os retalhos para o vestido de Isabel quando o telefone toca. Almeida fica atrapalhado por achar que Julinho descobriu tudo sobre Clotilde, mas ao atender vê que a chamada é para Assad. Ao chegar a casa, Clotilde arranja-se e sai novamente para apanhar o elétrico, continua nervosa. Candoca leva Justina para a cama e surpreende-se ao ver que a sobrinha se lembrou de rezar, comprovando mais uma vez que parece estar melhorando. Candoca emociona-se e rezam juntas. Adelaide tenta mais uma vez convencer a mãe de que Justina não pode ficar em casa, pois o lugar adequado para ela é o sanatório. Tia Emília responde dizendo que já está decidida e que Justina nunca deu trabalho. Depois de ouvir a mãe, Adelaide descobre que Justina nunca foi internada e diz que a mãe a mandou para um colégio interno para poder ficar com Justina. Tia Emília diz que Justina precisava mais dela do que Adelaide. Adelaide responde dizendo que a mãe não tinha maneira de saber isso e que foi egoísta, pois internou Justina com medo que as pessoas dissessem que ela tinha uma filha louca. Tia Emília fica fora de si e dá um tabefe a Adelaide. O clima fica muito tenso. Carmencita diz que em Espanha, a mãe escondia as cartas que ela escrevia a Carlos e que um dia as descobriu dentro de uma gaveta e que os problemas foram aumentando. Na loja, ao ver que Isabel escolheu alguns retalhos Assad tenta ser simpático e pede a Isabel que escolha alguns melhores. Lola, com pressa de ir embora, diz que não pode aceitar, mas Isabel aproveita e acaba tomando a dianteira. Lola fica danada, pois quer ir-se embora.

Capítulo 79 Justina consegue dormir de mão dada com Candoca e com um sorriso nos lábios. Maria acha que Candoca está mais humana, e que a irmã se está a afeiçoar a Justina. Candoca diz que faltava uma família para Justina se sentir melhor. Emília escreve uma carta para Itapetininga a dizer que Higino irá buscar Justina. Adelaide vai à oficina falar com Alfredo, mas ele diz que não pode. Adelaide diz que é o único com quem ela pode falar, está disposta a pagar as horas de mecânico só para ter a sua atenção. Alfredo olha para ela com grande desprezo e volta para a oficina dizendo que nem à hora de almoço terá tempo. Adelaide pede desculpas. Alfredo vai almoçar e Adelaide está na rua à espera dele. Alfredo passa por ela sem parar, Adelaide agarra-o e pede desculpas. Alfredo diz não ter culpa de ser primo dela e que não vê mal nenhum em haver um romance entre eles. Adelaide diz que a sua cabeça não anda muito bem e pede a Alfredo que a acompanhe. Lili dá o recado de Lúcio a Isabel, ele já não quer ir ao baile com ela, está farto deste namoro que não ata nem desata. Isabel fica com ódio e pergunta a Lili porque Lúcio não lhe diz isso pessoalmente. Lili responde que Lúcio foi para a faculdade e se falasse no dia seguinte Isabel talvez não tivesse tempo de arranjar outro par. Isabel fica muito nervosa e diz a Lili para lhe dar outro recado, mas Lili diz que não é um correio sem selo. Isabel diz então que assim que Lúcio chegar vai falar com ele. Isabel está muito irritada. Lili esconde o riso ao ver que o plano do irmão deu certo. Julinho pergunta a Almeida antes de ele almoçar se não terá mais encontros com a mulher misteriosa. Almeida seco responde que nunca mais haverá encontros com a mulher misteriosa. Clotilde está na rua à espera que Almeida apareça. Está nervosa e diz que precisa falar com ele. Almeida fica atrapalhado e diz que não podem continuar assim. Carmen conta a Durvalina sobre a morte de Pepa. Durvalina pergunta-lhe quando irá contar isso a Alonso. Carmen não sabe dizer, acha que nunca irá dizer a verdade. Clotilde e Almeida estão sentados no banco da praça. Clotilde passou dez anos pensando muito e está arrependida da decisão que tomou no passado. Almeida não quer ouvir e coloca a mão nos lábios de Clotilde. Clotilde diz que é difícil falar tudo isso para ele, mas não quer perde-lo de novo, ela faria qualquer coisa, mas não quer mais viver sozinha. Almeida, pede para ela se acalmar, se quiser chorar e desabafar, ele ficará com ela enquanto puder. Clotilde chorando não percebe o sentido da última. Durvalina viu as cartas que Carmen escreveu a Carlos há tempos atrás e acha que Carlos gostaria de ver. Adelaide diz a Alfredo que está muito preocupada com Justina, que Emília não quer a interná-la. Precisa de conversar com alguém que entenda do assunto e pergunta se Alfredo conhece alguém. Alfredo lembra-se de Marcus amigo de Carlos, que anda sempre com os livros de Freud, acha que ele pode ajudar Adelaide. Adelaide pergunta se pode agendar um encontro o mais rápido possível. Alfredo vai providenciar o encontro. Zeca já não aguenta mais ficar na cama de repouso, ele pensa na sociedade com Neves. Zeca convida D. Maria para trabalhar com eles no futuro negócio. Maria aceita. Alonso pergunta a Carmen, se não tem nenhuma foto da mãe. Carmen diz que a mãe não se deixava fotografar, mas que ainda continua bonita. Carmen pergunta se ele deixou de gostar de Pepa. Alonso diz que nunca deixou de amar Pepa. Clotilde está mais calma e envergonhada com a atitude que tomou. Diz que caiu em si e viu a asneira que fez há dez anos. Almeida não sabe o que dizer, está atónito. Respira fundo, olha para Clotilde e diz com todo respeito que ela sabe que ele se casou. Clotilde segura a cabeça dele e dá-lhe um suave e apaixonado beijo na boca. Almeida permanece frio. Clotilde percebe e afasta-se.

Capítulo 80 Na Praça Buenos Aires, Clotilde despede-se de Almeida que fica sem saber o que dizer e vai-se embora. Adelaide leva Alfredo até sua casa e ao pararem, Alfredo goza com Adelaide por ela ter descoberto que são primos. Adelaide pede a Alfredo para não brincar com isso, pois se um dia tiverem filhos eles podem nascer com problemas, visto o caso de Justina. Alfredo acalma-a dizendo que filhos e casamento não estão no seu dicionário. Em seguida, Carlos chega a casa e estranha a atitude do irmão junto ao carro de Adelaide. Alfredo diz a Lola que Carlos conseguiu o emprego no banco, e que o gerente lhe disse que é um emprego de futuro. Lola lamenta que o filho tenha que deixar de estudar. Carlos diz que é preciso para saírem do buraco, mas em seguida com convicção diz à mãe que vencerá na vida. Lola institivamente lembra-se de Júlio e começa a chorar. Alfredo para animar a mãe, brinca perguntando sobre o almoço. Em casa de Alonso, Carmencita diz que não sabe como contar a verdade ao pai por ele ainda estar apaixonado por Pepa, mesmo depois de tudo. Durvalina diz a Carmencita que já que vão começar vida nova que seja em cima da verdade. Isabel está a provar o vestido novo e elogia muito Clotilde por tê-lo feito. Enquanto isso, Clotilde olha pela janela da sala muito pensativa. Na oficina, Raio Negro diz a Alfredo que está a articular outra forma de Alfredo ganhar mais dinheiro, mas prefere dizer depois do trabalho. Numa confeitaria, Adelaide encontra-se com Marcos a pedido de Alfredo e comenta com ele sobre o problema de Justina. Marcos pergunta se na opinião dela é melhor interná-la. Adelaide amargurada diz que o lugar dos loucos é no sanatório, dizendo isso mais por ter o sentimento de que foi mal-amada pela mãe. Isabel vai a casa de Genú procurar Lúcio, mas é Lili que a atende. Isabel impaciente pergunta se Lúcio está ou não. Zeca recebe uma carta de Tia Emília avisando que vai buscar Justina no dia seguinte. Olga lamenta, logo agora que se estava a acostumar a Justina. Em seguida Tavinho aparece brincando com Justina e ao ouvir o pai dizer que Justina se vai embora fica triste dizendo que gosta muito dela. Zeca fica preocupado. Lúcio está muito calmo a ouvir Isabel dizer que ele não lhe pode enviar um recado malcriado por Lili e se ele não a levará ao baile. Lúcio diz que não e que de tanto ela dizer que ele não serve, acabou por aprender a lição de não andar todo apaixonado atrás dela. Isabel fica muito irritada. Marcos explica a Adelaide que os estudos de Freud ainda estão pouco difundidos no país e pergunta se ela gosta da sua irmã, Justina. Adelaide não sabe responder, pois nem a conhece. Olga comove-se com Justina quando ela diz que foi a vez que mais se divertiu e que também já não tem os pesadelos. Justina diz que sentirá falta de todos, mas principalmente de Olga, pois vê o quanto Zeca gosta dela. Depois lamenta por não ter ninguém para brincar em sua casa. Olga, sempre comovida, faz um gesto humano como se tivesse expulsando os sonhos maus de Justina em seguida abraça-a. Novamente na confeitaria, Marcos começa a explicar como são os sanatórios no Brasil que os métodos vão de choques à camisa-de-forças e que se realmente gosta da irmã, deve pensar melhor. Adelaide fica impressionada com a explicação de Marcos. Olga diz a Zeca que está com remorsos por não ter acreditado no marido, de que Justina não daria trabalho algum e fica com um aperto no peito por ela ter que voltar para casa. Adelaide está cada vez mais convencida e comenta com Marcos que se ela internar Justina estará dando à irmã um futuro pior que a morte. Marcos responde que sim. Raio Negro começa a contar o seu plano de ganhar mais dinheiro a Alfredo. Diz que tem um amigo que contrabandeia peças de carro importadas e com isso poderão vender as do patrão que estão na oficina por um preço menor e depois repô-las sem que ele aperceba. Alfredo percebe que é praticamente um roubo, mas aceita.

Capítulo 81 Lili diz a Lúcio que quando Júlio morreu precisava muito de apoio. Lúcio diz que foi exatamente isso que fez e fica sem entender. Isabel diz-lhe que não pode controlar o coração, pois não consegue gostar dele sem ser como amigo. Lúcio fica abatido e diz que não precisava de se desculpar por não gostar dele e que também não quer mais a amizade dela. Isabel diz que não podem deixar de ser amigos porque ela gosta muito dele e da sua família e termina dizendo que depois desta conversa é melhor mesmo que Lúcio não a leve mais ao baile e dá-lhe um beijo carinhoso no rosto antes de ir embora. Alonso começa a remexer nas coisas antigas, vendo algumas fotos de Pepa. Carmencita aparece e vê que o pai começa a ter esperanças de que Pepa possa voltar. Carmencita percebe e alerta o pai de que não é bom mexer nas coisas do passado, mas Alonso não a ouve e começa a fazer planos para a volta de Pepa. Carmencita começa a ficar nervosa e acaba por não aguentar e chorando diz ao pai que ela não voltará, pois morreu. Alonso abraça-a, mas fica em choque com a notícia. Justina está triste por ter que se ir embora, diz a Candoca que gosta mais da casa no interior do que da dela e pergunta-lhe se pode pedir à Tia Emília, para continuar a morar no interior. Candoca responde que duvida muito e Justina fica triste novamente. Carmencita conta ao pai que só não veio antes por causa da doença da mãe, que infelizmente morreu dessa doença. Carmencita tenta animar o pai dizendo que voltou para fazê-lo feliz e pede-lhe que enxugue as lágrimas deixando o passado para trás. Alonso esforça-se e esboça um sorriso à filha. Tia Emília aparece de surpresa para ir buscar Justina pessoalmente. Todos ainda estão de pijama, menos Olga. Em casa de Tia Emília, Adelaide procura a mãe, mas acaba por encontrar Higino que lhe dá a notícia de que a Tia Emília foi buscar Justina. Adelaide fica irritada. Tia Emília brinca com o facto de Zeca ainda estar de pijama e ao ver Justina, estranha o facto de a filha ter demorado a beijá-la. Olga, Zeca e Maria olham-se constrangidos. Adelaide pergunta a Higino como é Justina por não conhecê-la. Higino responde que Justina é como se fosse uma criança grande, doce, gentil. Adelaide pergunta se ela tem ataques. Higino diz que não, mas que ela se queixa de pesadelos, porém, nunca foi violenta. Adelaide também pergunta se a mãe cuida bem de Justina. Higino diz que sim, apesar de às vezes achar que Justina precisaria de mais assistência médica. Zeca diz a Tia Emília que Justina se comportou muito bem. Enquanto isso, D. Maria observa a irmã com olhar crítico, pois não gosta dela e ao vê-la comentar que há muito tempo que não se viam responde-lhe que é porque ela nunca gostou de frequentar casa de pobre. Tia Emília reconhece a falha e diz que agora pretende corrigi-la. Depois, Tia Emília começa a estranhar o facto de Justina estar muito quieta, Olga e Zeca dizem que Justina passou muito bem e que pode estar assim pela emoção de rever a mãe. Já D. Maria, propositalmente, diz que Justina está assim por se ir embora, pois foi muito feliz ali, apesar de comer da comida deles e viver as suas vidas. Tia Emília espanta-se e não sabe o que dizer. Candoca vai ao quarto consolar Justina quando aparece Tavinho e pergunta por que Justina está chorando. Justina diz que tem que se ir embora, pois a mãe veio buscá-la. Tavinho pede-lhe para não se preocupar porque vai pedir ao pai para que ela fique mais um tempo. Enquanto isso, Olga oferece a casa à Tia Emília caso ela queira passar a noite. Tavinho aparece na sala, e pede a Tia Emília para que deixe Justina ficar mais um tempo com eles. Olga pede ao filho que não se exceda, mas Tia Emília interrompe-a dizendo que está a gostar de conversar com ele. Zeca pergunta à mulher que ideia foi aquela de ter convidado a Tia Emília para ficar lá. Olga responde que era o mínimo e que ela ficará no quarto deles por ser o melhor da casa. Zeca começa a reclamar.

Capítulo 82 O gelo entre D. Maria e Tia Emília começa a acabar quando conversam a sós. D. Maria diz que Justina não deu trabalho algum e que todos gostam muito dela. Tia Emília estranha dizendo que em casa dela Justina parece perturbada. D. Maria diz que com eles é o contrário. Adelaide telefona para a oficina de Alfredo e pede-lhe para se encontrarem mais tarde. Em seguida, pede para que Higino que prepare um jantar para dois, com tudo do bom e do melhor. Isabel diz à mãe que azucrinou a vida de toda agente para ir ao baile e no final acabará não indo, pois discutiu com Lúcio logo naquele dia. Lola lembra-se de Maria Laura e pede a Isabel que ligue para a amiga. Isabel gosta da ideia e sai para ir ao armazém de Alonso telefonar. Em casa de Genú, Lili consola o irmão por ter discutido com Isabel e brinca dizendo que também já está farta de Julinho. Lúcio sorri. Na loja de Assad, o telefone toca. É Isabel querendo falar com Maria Laura. Julinho atende e sobe para chamar Maria Laura. Maria Laura volta para casa e é questionada pelo pai sobre o telefonema. Responde que era Isabel perguntando se poderia ir ao baile com ela e que respondeu que sim. Em seguida Karime comenta que é uma boa oportunidade para Assad treinar o português. Mais tarde, Isabel chega ao baile de carro acompanhada por Maria Laura juntamente com Assad e Karime. Isabel agradece à amiga e diz que está com um pressentimento de que algo importante acontecerá neste baile. As duas estão muito felizes. Em casa de Lola, Carlos diz à mãe que não devia ter deixado Isabel ir sozinha ao baile. Lola responde que ela está com Maria Laura e que deixou por ter ficado com dó da filha. Carlos não aceita e diz que se ela não voltar antes das dez e meia vai buscá-la no meio da festa. Clotilde abana a cabeça em sinal de reprovação. Carmencita espera por Carlos, mas já está a ficar preocupada. Alonso percebe e diz à filha que Carlos pode ter tido um problema em casa, pois as dificuldades aumentaram depois da morte de Júlio. Carmencita concorda, mas desiste e vai para o quarto dizendo que uma vez esperou por ele e não apareceu. Em casa de Tia Emília, Alfredo chega para o jantar e é recebido por Adelaide dizendo que ele é seu convidado de honra. Alfredo olha satisfeito. Depois de mostrar a Tia Emília onde Justina está dormindo, D. Maria mostra onde ela dormirá. Tia Emília percebe que é o quarto de Olga e Zeca e pergunta onde eles irão dormir; D. Maria pede para que ela não se preocupar, pois eles dormirão no quarto das crianças. Zeca comenta com Olga que ficou orgulhoso de Tavinho pela forma como conversou com a Tia Emília. Carlos-se lembra-se que ficou de visitar Carmencita ao ouvir Julinho dizer à mãe que estava saindo para ver Lili. Alonso diz a Carlos que Carmencita talvez já esteja a dormir, mas na verdade ela está a escutar atrás da porta quando de repente aparece na sala surpreendendo Alonso. Carmencita diz que tinha ido dormir e que pensou que ele a tinha esquecido novamente. Carlos fica atrapalhado. Novamente em casa de Genú, Julinho conversa com Lili e diz-lhe que não gostou de ter sido corrido para fora de casa no outro dia. Lili diz que o fez porque ele está sempre a chamá-la de criança irritando-a muito, mas ao mesmo tempo confessa que às vezes acaba por rebentar. Lúcio faz o mesmo e diz que às vezes também age como criança. Em seguida, ambos riem e acabam por se entender. De volta ao baile, Isabel sai um pouco para apanhar ar. Maria Laura vai atrás dela pedindo-lhe que volte, pois os rapazes querem dançar com ela. Isabel fica desanimada alegando que no baile só há garotos. Em seguida, Isabel anda sozinha pelo clube, após Maria Laura ser convidada para dançar, e percebe que está sendo observada. Quando olha, Felício está a admirá-la com ternura, num clima amoroso.

Capítulo 83 No jardim, Felício aproxima-se de Isabel depois de se terem olhado e inicia a conversa perguntando se ela não estava a gostar do baile. Isabel responde que sim, mas que estava muito abafado lá dentro. Em seguida Isabel muito tímida começa a falar-lhe do clube e se o frequentava. Felício diz que não que nunca teve aulas de dança. Depois de se apresentarem, Felício trata Isabel com muito respeito e pede-lhe para lhe ensinar alguns passos de dança. Isabel aceita e ambos dirigem-se para o baile novamente. Após dançarem, Felício diz que até não foi assim tão mau, pois os amigos chamavam-lhe pé de chumbo. Isabel sorrindo diz que ele foi muito bem. Felício, aproveita a deixa e diz que às vezes só é preciso encontrar o par certo. Isabel percebe, mas não demonstra. No final da conversa Isabel brinca que caso Felício precise de aulas é só avisar. Ambos riem. Higino serve Alfredo e Adelaide ao jantar, quando Alfredo diz a Adelaide que conhece Higino desde criança. Higino confirma e conta que se conheceram numa vez que Alfredo fugiu de casa e se escondeu no jardim. Alfredo sorri lembrando o ocorrido. Em seguida, Adelaide pede a Higino que os deixe e insinua a Alfredo que a casa por aquela noite é só deles. Alfredo hesita um pouco, mas acaba entrando no jogo de Adelaide recebendo um beijo. Tia Emília não consegue dormir por estranhar a cama e levanta-se para beber um copo de água. Ao chegar à cozinha é surpreendida por D. Maria que lhe serve a água e lhe pergunta se está a estranhar a cama. Tia Emília brincando diz que sim, que deve estar a ficar velha. Começam a conversar sobre o facto de ambas não conseguirem dormir à noite por ficarem a pensar nos seus problemas. Tia Emília achava que ela não tinha tantos problemas ao ver a sua família tão bem. D. Maria responde que Tia Emília não pode pensar que só ela é que tem problemas. Na rua, durante o passeio, Carlos diz a Carmencita que não precisava tê-lo tratado daquela maneira na presença de Alonso, pois sabe muito bem que a família dele está com problemas depois da morte do pai. Carmencita sem entender diz que talvez eles estejam a cometer um erro, mas volta atrás quando Carlos diz que estava à espera dela e que namorou só uma vez, com Amanda. Em seguida abraçam-se. Julinho continua a conversar com Lili, agora já fizeram as pazes. Julinho diz a Lili que quer realmente um namoro sério, mas que não podem discutir a toda hora, reconhecendo também a sua culpa. Lili depois de argumentar um pouco acaba por concordar, mas diz que se o vê com a turca, arranca os olhos dela. De volta ao baile, Maria Laura na presença de Marcus faz questão de apesentar Felício a Isabel. Felício cumprimenta-a e ao ver Marcus diz a Isabel que já o conhece. Felício fica inseguro, pois apesar de Marcus ser seu amigo íntimo, é o único que sabe que ele é divorciado. Lola adormece na cadeira que era de Júlio à espera dos filhos, mas sente que é observada por Carlos que acabou de chegar e acorda. Carlos pede à mãe para se deitar na cama, mas Lola responde que só vai dormir quando todos os filhos estiverem em casa. Carlos então percebe que Isabel ainda não chegou e que já são dez e meia e diz à mãe que vai buscá-la. No baile, todos estão sentados à mesa quando Maria Laura chama Isabel para ir aos lavabos. Ao ficarem a sós, Felício repreende Marcus por ter soltado uma indireta enquanto conversavam. Marcus diz que não resiste a uma brincadeira mesmo com um amigo e parente como Felício, mas adverte-o de forma séria para que ele tenha muito cuidado com Isabel, pois é uma rapariga de família e irmã do seu amigo Carlos. Maria Laura comenta com Isabel que Felício é um pouco velho. Isabel responde que não, que esses homens sabem como agradar a uma mulher, além de achá-lo bonito. Quando voltam à mesa, Felício comenta com Marcus que Isabel é uma ótima professora, ao mesmo tempo, Carlos aparece dizendo que veio buscar Isabel.

Capítulo 84 No baile, Carlos surpreende-se ao ver que Marcus estava na mesa e pede ao amigo que beba pelo menos uma cerveja. Carlos diz que não, pois só foi buscar Isabel. Maria Laura diz que o motorista da família estava à disposição e após Marcus insistir, Carlos acaba por se sentar um pouco e após ser apresentado a Felício, instintivamente detesta-o. Carlos pergunta a Felício o que faz. Felício responde que é advogado. Marcus percebendo o clima, diz a Carlos que Felício é muito seu amigo. Carlos responde que Marcus nunca tinha falado nele e levanta-se chamando Isabel. Felício despede-se de Isabel e beija-lhe a mão, Carlos olha de longe com cara feia. Felício diz a Isabel que gostaria de revê-la quando Carlos interrompe e leva a irmã. Ao irem pela rua, Isabel está muito irritada enquanto o irmão diz que não era hora dela ainda estar na rua citando que o pai não ia gostar. No baile, os primeiros sinais de insatisfação de Karime com o casamento aparecem quando quer dançar um pouco mais e Assad não concorda por já estar cansado. Ao chegarem em casa, Carlos dá um sermão a Isabel por ter percebido que Felício estava olhar para. Isabel diz a Carlos para não se meter na sua vida. Em seguida Lola aparece dizendo que ela precisa ouvir o irmão por ser o mais velho. Isabel responde que Carlos nunca tomará o lugar do pai e sobe as escadas deixando Lola e Carlos estupefactos. De volta ao baile, Marcus dá um raspanete a Felício por ter pedido ao amigo para ter cuidado com Isabel e não para dizer que gostaria de vê-la novamente. Felício pede a que Marcus que confie nele. Marcus acaba por desistir de convencê-lo. Enquanto isso no quarto, Isabel chorando muito diz a Clotilde que Carlos estragou a sua festa, mas que ele vai pagar. Lola pergunta a Carlos o que aconteceu para ele estar tão irritado. Carlos responde que não é para ela se preocupar, pois Isabel precisa de aprender as normas da casa e ter responsabilidade. No sai seguinte, no interior, Tia Emília tenta se levantar, mas não consegue, está com dores de cabeça sem saber o motivo. Felício é advogado, tem um escritório bonito, discreto, com muitos livros jurídicos, muita madeira, códigos. Marcus fazz-lhe uma visita. São parentes, amigos e têm um relacionamento completamente informal, embora com os outros, Felício seja mais cerimonioso. Marcus diz que não contou aos outros que é sobrinho de Felício, para seu próprio bem. Preocupa-se com o que vão achar ao descobrirem que Felício tem um sobrinho velho como ele. Marcus está preocupado com o interesse de Felício por Isabel, e pede ao tio para não aparecer no clube por uns tempos e não procurar Isabel. Felício acha que é disparate e que Marcus tem que confiar nele. Neves e Leontina chegam a casa de Zeca, querem conhecer o bebê de Zeca e Olga. Maria vai até o quarto ver como está Emília. Emília não está bem, pede-lhe que chame um médico. Maria chama Zeca de canto e conta, acha que a papeira é a causa da doença de Emília. Marcus e Carlos conversam sobre Isabel e Felício. Marcus diz que o tio tem as melhores intenções com Isabel, mas Carlos não acredita. Marcus diz que Felício prometeu nunca mais vê-la. Carlos reage ingenuamente, ficando aliviado. Adelaide pergunta a Higino quando Emília regressa da viagem. Higino diz que não sabe, mas conhecendo-a supõe que regresse hoje mesmo. Adelaide diz que só por Justina é que Emília faz esse sacrifício, quando ela estava na Europa inventava mil desculpas para não ir visitá-la. Adelaide pergunta em casa de quem a mãe está hospedada. Higino responde que é em casa de José Carlos que trabalha para ela. Adelaide lembra-se de Zeca, acha-o um coitado por ser explorado por Emília.

Capítulo 85 Maria dá a notícia da doença de Emília a Olga, ao saber ela senta-se na cama e acha que não vai aguentar mais essa. O médico diz que Emília necessita de repouso no mínimo uma semana. Zeca chama Neves de parte e pergunta se a proposta da sociedade ainda está de pé. Neves diz que sim, mas que Zeca precisará no mínimo de uns setenta a cem contos de réis de capital. Neves sugere que ele peça o dinheiro a Emília. Zeca quer ver outra maneira de conseguir o dinheiro. Leontina e Neves despedem-se da família de Zeca. Depois o casal passeia pela pracinha da cidade. Leontina quer saber se o marido falou sobre a confeitaria com Zeca. Neves atrapalhado diz que Zeca voltou a tocar no assunto. Leontina percebe que o marido não teve coragem de dizer nada. Neves diz que Zeca entra com o dinheiro e ele com a experiência. Leontina pede ao marido que pense no que vai fazer, acha melhor ele desistir do negócio, pois é feio enganar o próprio amigo. Neves diz que não o está a enganar, mas sim a esconder a verdade por enquanto. Leontina olha com reprovação para o marido. Olga acha que o marido deve esperar mais um pouco em relação à sociedade ainda mais que chegou o bebé. Zeca não quer esperar, não vê a hora de se livrar dos favores que deve a Emília, que em dez anos Emília nunca lhe agradeceu. Olga cuida muito bem de Emília, leva uma sopa à tia e insiste para que ela se alimente. Olga avisou o pessoal de São Paulo que Emília vai demorar a voltar. Higino dá as notícias de Emília a Adelaide. Adelaide acha graça à mãe ter uma doença de criança. Justina vai ao quarto ver como está a mãe. Emília diz à filha que viu como ela gosta de Candoca. Justina diz que Candoca é muito boa para ela. Emília fica com um pouco de ciúmes. Justina diz que brincou muito. Emília fica um pouco assustada com o progresso, a melhora de Justina. Quando Justina sai do quarto, Emília fica muito pensativa e com dúvidas. Alfredo apresenta Adelaide a Lúcio. Alfredo diz que ela veio da Europa para derrubar os últimos tabus de preconceitos. Lúcio diz que qualquer revolução tem o apoio dele. Isabel da janela vê Alfredo e chama Lola para ver. Lola reprova Adelaide por conduzir o carro, acha que como mulher ela deveria valorizar-se mais. Isabel acha essa atitude moderna. Julinho também vê pela janela e fica admirado com Adelaide. Adelaide convida Lúcio para os três tomarem alguma coisa no clube. Lúcio concorda e entra no carro. Lola diz que gostaria que Carlos trouxesse Carmencita para visitar a casa deles. Carlos concorda, diz que vai ver se ela quer vir.

Capítulo 86 Carlos está no armazém de Alonso. Alonso diz que apareceu uma nova encomenda de doces para Lola, e entrega o pedido a Carlos. Genú pergunta a Lola como vão as encomendas. Lola responde que nunca mais apareceram novos pedidos e que ainda não recebeu o dinheiro da última encomenda. Lola diz que não teria como atender outro pedido, pois não tem dinheiro para comprar os mantimentos e ainda deve na venda de Alonso. Isabel diz a Lili que Lúcio está muito estranho, que eles combinaram ser amigos, mas ele continua amuado com ela. Carlos convida Carmen para ir a sua casa. Carmen está com receio de como será a recepção na casa. Lúcio e Maria Laura dançam no clube, ele não gosta muito da conversa dela, devido a insegurança ela começa a falar da sua riqueza. Adelaide diz a Alfredo que sente raiva da mãe, pois Emília só vê Justina. Olga e Zeca conversam na sala, sobre a doença de Emília. Justina ouve e intromete-se na conversa, ela lamenta por a mãe estar doente, mas também gosta da ideia de ficar mais um tempo em Itapetininga. Olga percebe que Justina fala como um adulto, nunca pensou que isso fosse acontecer. Para Candoca é óbvio, pois Justina está sendo tratada como gente, só podia melhorar. À noite no Clube Maria Laura passa por uma mesa e reconhece Felício. Dá uma meia volta e percebe que é ele mesmo, conversando com uma mulher. Fica intrigada e pensando o que fazer. Isabel tem algo para dizer a Clotilde, mas tem receio de ela conte tudo a Lola. Clotilde diz que o segredo ficará com ela. Clotilde percebeu o comportamento de Isabel ultimamente, suspirando pelos cantos e concluiu que ela está apaixonada. Isabel, não imaginava que se notasse tanto. Felício não reconhece Maria Laura, ela apresenta-se e diz que se conheceram na noite anterior com Isabel. Maria Laura pergunta se a moça que está acompanhada dele é sua filha. Felício acha divertido, mas diz não ter idade para ter uma filha daquele tamanho. Maria Laura acha uma pena, pois pensava que teria alguma novidade interessante para dar à sua amiga Isabel. Felício pede a Maria Laura que envie cumprimentos a Isabel. Carlos com Carmencita segurando-lhe a porta. Está com a melhor roupa que tem, envergonhada. Lola recebe Carmencita com muita simpatia. Genú diz que foi bom Carmencita ter voltado. Genú pergunta sobre Pepa. Tentando disfarçar a irritação Carmen diz não ter tido notícias da mãe. Lili percebe o desconforto de Carmen e pede a Julinho para pegar o violão. Genú insiste na pergunta. Carmen responde com agressividade, diz que há muito tempo que não vê a mãe, desde que foi enterrada. Surge um mal estar. Adelaide e Alfredo dançam no clube, ela queria fazer algo diferente como ir ao cabaré, na Europa é comum mulheres frequentarem esse tipo de casa. Alfredo não acha boa ideia. Carlos e Lola conversam à sós, ele fica feliz por ter aparecido mais uma encomenda. Lola não quer contar a verdade ao filho. De repente surge Isabel, dizendo que Carmencita se foi embora. Lola pede a Carlos para ir atrás dela. Carlos alcança Carmencita, que está muito nervosa. Carmen diz que não é nenhum traste velho para ele largar num canto quando bem entende. Carlos tenta acalmar Carmen, diz que só a convidou para ir a sua casa para se sentirem mais à vontade. Carmen diz que não há como ficar à vontade numa casa onde lhe perguntam sobre a sua mãe. Carlos não acha nada demais, sendo que Pepa era amiga delas e não vê maldade nisso. Carmen acha que Carlos não vê coisa alguma. Vai para casa e não quer mais falar com ele de momento. Genú diz a Lola e Clotilde que Carmencita é muito estranha. Lola também estranha o facto de Carmen não ter contado sobre a morte de Pepa e tem receio que Carmen esteja sendo falsa com Carlos. Olga está stressada, não consegue descansar por causa das crianças e ainda tem Tia Emília.

Capítulo 87 De manhã, Lola comenta com Carlos, que está preocupada por Alfredo ter passado outra noite fora. Carlos acalma a mãe. Lola pergunta-lhe se já se entendeu com Carmencita. Carlos, triste, responde que sim, mas não entra em muitos detalhes. Na casa de Tia Emília, Alfredo acaba de tomar café e recusa o pedido de Adelaide para faltar ao serviço para viajar com ela. Adelaide diz que precisa de resolver algumas coisas fora da cidade e para Alfredo não se preocupar caso ela se ausente por alguns dias. Após a conversa, Alfredo vai trabalhar e Adelaide pede ajuda a Higino para arrumar suas malas. D. Maria insiste para que Tia Emília coma para ajudar na recuperação. Raio Negro diz a Alfredo que o amigo da Mooca o procurou para acertarem o tal golpe das peças. Alfredo pergunta se não seria melhor esperarem que cheguem as peças do navio antes de venderem as do patrão. Raio Negro responde que quem não arrisca não petisca. Alfredo não gosta da forma como Raio Negro fala, mas não prolonga a discussão. Virgulino trabalha quando é convidado pelo Sr. Hilton, um funcionário hierárquicamente superior, para almoçar, pois precisa de falar com ele. Ao sair, Sr. Hilton pede a Virgulino que não comente nada com ninguém. Virgulino fica intrigado. Zeca dá a notícia de que registou o nome do novo filho. Olga fica irritada quando vê que o nome do filho é Carlito Jeremias Marcondes. Maria Laura vai a casa de Lola para conversar com Isabel, que fica surpresa com a visita, mas não muito satisfeita. Maria Laura diz-lhe que na noite anterior esteve no clube e que fez companhia a Lúcio. Como Isabel é sua amiga queria-lhe contar pessoalmente e saber se ela não se importava se voltasse a vê-lo. Isabel fica irritada com a história, mas finge que não liga dizendo a Maria Laura que não há problema. Na cozinha, Lola preocupa-se com a irmã por estar triste, mas Clotilde diz que está um pouco cansada. Em seguida Lola comenta que não teve coragem de contar a Carlos que ainda não recebeu o dinheiro da encomenda. Clotilde preocupa-se, pois se não receberem, não terão dinheiro para comprar os mantimentos da nova encomenda. Pouco depois, Lola sai de casa e vai cobrar ao cliente. Maria Laura também comenta que viu Felício no clube acompanhado de uma mulher bem nova. Isabel pergunta se Felício perguntou por ela. Maria Laura responde que ele apenas mandou lembranças. Isabel fica um pouco desapontada. Carlos conversa com Marcus e ao ser questionado pelo amigo de como estava com Carmencita diz que as coisas não vão bem. Carlos comenta que Carmencita diz que ele dá mais importância a família do que a ela. Lola chega a casa apressada chamando por Clotilde. Lola diz que não está ninguém em casa, que os fregueses não pagaram o que lhe devem. Clotilde pergunta se Lola não vai falar com Alonso. Lola não tem coragem. Clotilde sugere a Lola que peça ajuda a Tia Emília. Lola diz que não se pode recorrer à Tia Emília a cada crise que acontece, que a tia já ajudou muito arranjando emprego a Carlos. Lola pensa nas coisas que tem de valor na casa o relógio de Julinho e o rádio. Não quer vender, mas sim dar como garantia. Na confeitaria Virgulino e Mr. Hilton conversam. Hilton diz que Virgulino é muito considerado pela gerência. Virgulino surpreende-se e ao mesmo tempo fica envaidecido. Hilton elogia muito o trabalho de Virgulino e que por isso se sentiu encorajado em lhe fazer uma proposta irrecusável, que naturalmente não é oficial, por isso quis falar fora do escritório. Se aceitar a proposta, vai ficar rico sem precisar de muito, nem burlar a lei, apenas um pequeno desvio. Virgulino fica vermelho e atrapalhado sem saber como reagir. Lola vai a outro armazém para falar com o proprietário e mostrar as garantias que tem, mas o dono da loja não aceita. Sai humilhada.

Capítulo 88 Julinho e Lili caminham pelo orquidário e ele insiste com Lili outra vez para ir ao cinema com ele. Lili diz que a mãe não a deixará ir. Julinho diz que é muito mau namorar com uma miúda. Lili diz a Julinho que eles têm a mesma idade, então Julinho diz que já é um homem e que daqui a um tempo será um dos engenheiros mais importantes da cidade falando sobre seus sonhos a Lili, eles ficam muito animados, mas Lili diz que ainda não poderá ir ao cinema. No quarto de Alfredo, Lola tenta convencê-lo de que Júlio é um homem bom e que Alfredo está errado em dizer que o pai não gosta dele. Alfredo começa a lembrar Lola que apanhou a infância inteira do pai. Lola diz que Júlio também foi criado desta forma e por isso errou muito. Lola começa a chorar deixando Alfredo comovido e fá-lo prometer que tentará ser amigo do pai. Alfredo, por gostar muito da mãe, diz que tentará. Na sala, Carlos e Marcus acabam de chegar para estudar e encontram Isabel na sala que sai logo para deixar os dois mais a vontade. Antes de começar, Carlos lembra que precisa dar um recado do Sr. Alonso à mãe. Carlos entra no quarto da mãe e percebe que ela está a tentar disfarçar o choro e ao questioná-la, Lola pergunta-lhe se ele não gostava do pai. Carlos diz que dantes pensava que o pai realmente não gostava dele e dos irmãos, mas que agora entende o que o pai passou e que agora pode afirmar que gosta dele. Lola abraça o filho aliviada. No interior, Clotilde olha a lua e recorda o seu passado com Zeca e comenta com a mãe que realmente Olga teve sorte com o Zeca. D. Maria percebe a tristeza da filha e pergunta se ela tem saudades de Almeida. Clotilde diz que as coisas nem sempre acontecem como deveriam e volta a olhar a lua. No jantar em casa de Lola, toda a família está reunida, menos Júlio, Marcus que estudava com Carlos também está. Carlos começa a recordar uma história de Isabel quando era criança deixando-a muito envergonhada à frente de Marcus e sai da mesa sem jantar, todos riem. Em seguida, Alfredo diz à mãe que precisa de sair. Lola pede ao filho para ter cuidado. Carlos percebe a preocupação da mãe com Alfredo. Júlio está no cabaré e reencontra Marion depois de muito tempo. Júlio está bêbado e vai dançar com Marion muito alegre. Alaor, funcionário do Cabaré, olha Júlio com pena. No quarto de Isabel, Lola consola a filha depois das brincadeiras do irmão ao jantar. Isabel diz que só o pai a protege e que contará tudo a Júlio. Lola pede à filha para não fazer isso, pois Júlio está cheio de problemas. Ainda de noite, Lola explica a Isabel que Júlio anda nervoso porque acha que os filhos não gostam dele. Isabel preocupa-se com o pai e diz à mãe que precisam de fazer alguma coisa. Novamente no Cabaré, Alfredo vê Júlio a dançar com Marion e depois de alguns instantes, Júlio vê o filho olhando-o cinicamente e fica arrasado quando diz a Marion que o rapaz que o estava olhando era o seu filho. Marion preocupa-se por ver Alfredo ir para os fundos do Cabaré. Júlio também se preocupa com o que Alfredo dirá em casa. Logo depois, Marion pergunta a Alaor, o funcionário da casa, onde foi Alfredo. Alaor diz-lhe que ele entrou para a reunião do partido. Marion pede a Alaor que a avise quando Alfredo sair. De volta ao Cabaré, Marion tenta animar Júlio e pela primeira vez, beija-o. De volta ao Cabaré, Marion continua a tentar animar Júlio e demonstra estar apaixonada por ele. Júlio, num gesto mais fraternal, diz a Marion que ela sempre foi sua amiga ajudando-o a esquecer todos os problemas. Marion fica desanimada depois do que ouve.

Capítulo 89 Lola acaba de receber a encomenda do armazém do português e Clotilde ajuda-a com os pacotes. Na confeitaria, Almeida está muito apreensivo com a notícia, até que Julinho finalmente conta. Diz a Almeida que o advogado dele ligou dando a notícia de que finalmente conseguiu a guarda dos filhos em tribunal. Almeida fica numa alegria só acompanhado por Julinho. Já Marta reage friamente com a notícia de que agora os filhos de Almeida poderão morar com ele. Virgulino chega a casa, pensando na proposta do Sr. Hilton. Ao entrar cumprimenta Lili e Isabel, que vendo que está a mais despede-se. Virgulino pergunta a Lili, se algum dia ele lhe deixou faltar alguma coisa e se era bom pai. Lili responde que não e que ele era o melhor pai do mundo. Virgulino brincando acha um exagero e diz que se fosse o da casa já seria o suficiente e sorri abraçando a filha. No bilhar, Lúcio diz a Alfredo que desde que começou a sair com Adelaide não teve mais reuniões com o partido. Alfredo diz que não é verdade, tanto que levará Adelaide quando anoitecer para a reunião; Lúcio fica surpreso e pergunta como o amigo levará Adelaide para o cabaré. Alfredo responde que não há problema, pois ela é uma mulher de personalidade. Almeida continua muito feliz, mas ao mesmo tempo Julinho percebe a cara fechada de Marta e pergunta a ela se gosta de crianças. Almeida muito entusiasmado responde por ela dizendo que sim. Julinho fica desconfiado, mas despede-se de Almeida dizendo que ficou feliz por ter dado boas notícias. Alonso e Carmencita fazem um lanche, até que Alonso percebe que a filha não come e pergunta-lhe se ainda não se entendeu com Carlos. Carmencita diz que não e comenta que acha que Carlos já não gosta dela porque ela não faz parte do seu mundo e que ele não está disposto a conhecer o dela. Alonso fica triste com o que ouve. Assim que Julinho sai Marta finalmente resolve falar. Marta fica furiosa com Almeida, por ele dizer que os filhos iriam morar com eles sem antes a consultar alegando que ela não é sua empregada e sim sua mulher e que se for assim pode ficar com os filhos que ela vai-se embora, levantando-se da mesa. Lúcio chega a casa e Lili diz-lhe que tem boas notícias. Lili conta a Lúcio que Isabel esteve lá a perguntar por ele e que o plano deu certo porque Isabel disse que estava com saudades dele. Almeida vai atrás de Marta e pede desculpas, pois no entusiasmo acabou por não lhe dar os parabéns e complementa que se ela não quiser ficar com os seus filhos eles dão um jeito. Marta arrependida pega o presente de Almeida e também lhe pede desculpas, beijando-o no final. Genú fala com Virgulino sobre os problemas da casa. Virgulino fica com ar preocupado, pois a mulher diz que precisam de dinheiro. Carlos conversa com Carmencita pedindo-lhe desculpas e alegando que não sabia que a estava a magoar e sugere que comecem do zero. Carmencita também pede desculpas dizendo que foi agressiva. Em seguida beijam-se. Tia Emília levanta-se fraca, mas muito incomodada pelos mosquitos e vai até a sala. Adelaide a vê-a e comenta com os outros que a mãe fez com que ela desaparecesse para que Justina ficasse bem, dizendo que as duas se merecem. Adelaide irritada levanta-se e sai agradecendo a hospitalidade. D. Maria diz a Tia Emília que precisa de se explicar pelo que fez e então, Tia Emília percebe que fez algo errado. Adelaide vai para a rua e fica a chorar num canto até que Zeca aparece tentando confortá-la e pede-lhe que entre e passe a noite com eles. Adelaide responde que não pode impor a sua presença ainda mais a uma irmã que nem sabe que ela existe e a uma mãe que não a quer ver nem pintada. D. Maria instala um mosquiteiro no quarto de Tia Emília, que se lamenta dizendo que não imaginava que a filha voltasse assim da Europa e que não conseguem sequer conversar. D. Maria entende, mas prefere não se meter dizendo que já tem os seus problemas. Aos poucos as duas se afeiçoam cada vez mais.

Capítulo 90 Lili não entende Lúcio, ele sempre foi apaixonado por Isabel e agora não quer saber dela. Lúcio diz que teve que agir com a razão e não com o coração. Lili não sabe bem o que dizer embora tenha entendido o que o irmão quis dizer. O casal Almeida e Marta já está mais calmo e reconciliado. Marta está contente com o presente que recebeu do marido, uma pulseirinha. Marta tem medo de não ser uma boa mãe para os filhos de Almeida, ela nunca lidou com adolescentes, pior ainda por eles já virem cheios de problemas. Marta acha-se muito tola para esses assuntos, diz não servir para essas coisas. Marta começa a ameaçar chorar e Almeida puxa-a para a consolar e diz que tudo vai dar certo. Isabel pergunta se Lili deu o recado a Lúcio e pergunta o que ele disse. Lili diz que Lúcio não disse nada, resmungou e foi para o quarto. Julinho com maldade diz que Lúcio deve ter ido ao clube. Isabel faz uma cara de raiva e sai da sala. Julinho vê que a irmã está furiosa. Lili, Isabel e Julinho decidem ir ao clube, quando ela abre a porta de casa aparece Lúcio. Lúcio pergunta como vai Isabel e diz que recebeu o recado de que ela queria falar com ele. Isabel reage com vitória e Lili com deceção. Carlos conversa com Carmen, ela não quer ir a casa dele se Genú estiver por lá, ela não quer ficar sozinha, quer que Carlos fique com ela a tempo inteiro. Carlos diz que ficará com ela de mãos dadas, até na hora de ir à casa de banho, ela acha graça. Lola vê Lúcio e pede-lhe que fique à vontade, que já estavam a sentir a falta dele, que Isabel gosta muito quando ele vem conversar com ela. Diante dessa típica observação de mãe, Isabel e Lúcio reagem. Adelaide vai até o cabaré encontrar-se com Alfredo. Isabel e Lúcio vão sozinhos ao clube. Adelaide e Alfredo saem da reunião e voltam para o cabaré no caminho encontram Raio Negro. Alfredo e Raio Negro conversam em particular. Raio Negro diz que fechou o negócio e que está com o dinheiro no bolso, tudo resolvido, o sujeito da Moóca ficou com todo o material e pagou na hora. Alfredo não está muito interessado, mas pergunta quanto rendeu. Raio Negro reponde que rendeu muito dinheiro e entrega a parte de Alfredo. Alfredo pega no maço de notas que Raio Negro lhe oferece misteriosamente e põe no bolso. Olga consegue adormecer os seus filhos, diz que é culpa de Zeca por dar nome de cantor ao filho, pois a criança berra o dia inteiro. Zeca diz que o nome do filho é bonito. Olga diz a Zeca para não ser cínico, pois fez isso para agradar à esposa de Neves e aposta que eles darão uma porcaria de presente no batismo da criança. Zeca diz que Neves e a esposa estão muito bem de vida. Olga diz ao marido para ter cuidado ao tentar arranjar dinheiro para ser sócio, para ver o exemplo de Júlio que estragou a vida com essa história de querer entrar como sócio numa firma. Zeca lembra-se da Tia Emília que negou o dinheiro a Júlio, para ela não faria a menor diferença emprestar cinquenta contos a Júlio. Zeca diz que na vida não se ganha sendo honesto. Olga pergunta que ideia estranha é essa que passa na cabeça de Zeca. Zeca diz que não é nada. Olga olha desconfiada para Zeca. No clube Maria Laura e Marcus conversam, ela está desinteressada com a conversa de Marcus que fala sobre medicina. No cabaré um bêbado tenta tirar Adelaide para dançar, ela recusa, mas o homem insiste que não aceita o não de uma mulher. Alfredo pede para o homem deixar Adelaide em paz. O bêbado diz a Alfredo para não se meter e insulta-o. Alfredo dá-lhe um soco e o homem cai. Forma-se uma ligeira confusão, já que Raio Negro e Alaor estão por perto e seguram tudo. Alfredo diz que tem coisas que as mulheres ainda precisam dos homens, menos as feministas. Adelaide diz saber disso muito bem, chama-o de herói e de agora em diante irá chamá-lo de Alfredo o indispensável. Alfredo também tem sentido de humor, e ri, puxa Adelaide para dançar e sai apertando-a exatamente como não podia fazer no clube. Alfredo dorme em casa da Tia Emília com Adelaide.

Capítulo 91 Tia Emília está a dormir no mosquiteiro, um pouco mais tranquila. A porta abre-se e entra Justina, que se aproxima da cama de Emília e fica a olhar para ela sem dizer nada. Candoca aparece e pede a Justina para ir dormir. Justina diz que tinha muita coisa para perguntar a Emília. Justina sai do quarto. No clube Maria Laura tenta puxar conversa com Felício. Maria Laura diz que parece que Felício se impressionou com Isabel. Felício pergunta por que Maria Laura teve essa impressão. Maria Laura pergunta se se enganou. Felício diz que não se enganou, mas também não acertou. Felício pede para que Maria Laura diga a Isabel para aparecer mais no clube, que está com saudades da sua parceira de dança. Felício pede licença e aproxima-se de Marcus. Felício comenta com Marcus que Maria Laura não lhe passa cartão. Assad e Karime chegaram de Santos e estão à procura de Maria Laura. Karime comunica ao marido que Maria Laura não está em casa. Karime diz que Maria Laura está a pôr as manguinhas de fora. Assad diz que Karime a provoca, que isso só piora a situação e deixa a rapariga revoltada, que é preciso conversar com Karime, fazer com que ela a aceite como mãe. Assad pensou que as coisas com Karime tivessem melhorado. Para Karime Maria Laura não mudou, apenas mudou de tática, agora evita brigas, mas faz o que bem entende pelas costas. Maria Laura diz a Marcus que acha o tio dele muito estranho. Marcus já está precavido com Maria Laura e quer saber o motivo de ela dizer isso sobre Felício. Maria Laura diz que Felício foge das perguntas, que não parece ser de confiança. Marcus diz que não vai deixar Maria Laura falar mal do seu tio. Maria Laura diz não está a falar mal, só quis dizer que não se sente à vontade com ele, é como se Felício estivesse com medo de alguma coisa. Marcus diz respeitar muito Maria Laura, mas que nesse assunto ela está mal informada. Maria Laura acha que Felício não é par para Isabel, ela diz isso com intuição mais do que maldade. Isabel e Lúcio entram no clube e olham em redor, até perceberem a mesa onde está Marcus. Isabel não vê Felício que deve estar de costas para a porta. Animada vai puxando Lúcio até a mesa fazendo questão de se fazer mostrar muito namorada dele para irritar Maria Laura, que está ao lado de Marcus na mesa. Isabel e Lúcio vêm muito animados para a mesa. Ao chegarem à mesa, Isabel fala para irritar Maria Laura como se não esperasse encontrá-la por lá. Maria Laura olha muito irritada e ao mesmo tempo Felício vira-se, vê Isabel e pergunta como ela vai. Ao ver Felício, Isabel solta-se de Lúcio, o que o deixa muito surpreso e com a cara de tolo. Felício sorri simpático e Isabel não sabe o que fazer. Lúcio olha irritado para os dois. Marcus quebra a tensão e convida-os a juntarem-se na mesa. Assad está a dormitar na sala. Karime acorda-o. Ele vai para o quarto e Karime fica na sala um pouco. Percebe-se que está insatisfeita com o casamento com um homem mais velho. Adelaide conta a Alfredo o que aconteceu em Itapetininga, quando Justina a viu saiu a correr e que Emília pediu para que ela não procurar Justina. Adelaide diz que Emília não gosta dela, que se sente estranha na casa. Lúcio embora irritado com o comportamento de Isabel ainda não entendeu o relacionamento dela com Felício. Este até está a tentar ser agradável com ele. Maria Laura convida Lúcio para dançar, ele quer saber de Isabel. Lúcio de má vontade dança com Maria Laura. Carlos fala sobre seu pai a Carmencita, diz que ele era um homem muito seco à frente dos filhos, mas que se gabava deles para os outros. Carlos diz que como o filho mais velho é responsável pela família. Isabel volta à mesa e fica irritada ao ver Maria Laura a dançar com Lúcio, mas contém-se e senta-se, desta vez ao lado de Felício. Felício convida Isabel para dançar, ele confessa que veio ao clube por causa dela. Lúcio aproxima-se deles e sugere a troca de par. Lúcio diz a Isabel que não estava a aguentar Maria Laura e que se tem comportado de forma estranha.

Capítulo 92 Nas ruas de Itapetininga, Zeca ainda está muito inseguro com a ideia de Neves de abrir uma confeitaria. Neves pede ao amigo para não se preocupar, pois é negócio certo e pergunta-lhe se já tem o dinheiro. Zeca pede uma semana para conseguir o dinheiro e ainda indeciso, aperta-lhe a mão em sinal de negócio fechado. Karime diz ao marido que não adianta ficar zangado com Maria Laura por ela chegar a altas horas a casa. Assad responde que se não for assim as pessoas podem pensar que a filha não tem controlo nenhum. Karime, sugere que passem a sair com a filha deixando-a sob seus olhares e fazendo com que ela conheça as pessoas certas sem que aperceba. Assad reluta no início, mas acaba por aceitar. Tia Emília toma uma sopa que D. Maria fez e já está um pouco melhor. Ao saber que Adelaide foi embora muito irritada comenta com D. Maria que acabou por ser injusta com a filha pensando numa maneira de consertar o que fez. Enquanto isso, já em casa, Adelaide acaba de acordar no sofá e vê o recado que Alfredo deixou junto com uma flor dizendo que a vê à noite. Adelaide sorri. Na loja de Assad, Marta está com Almeida dizendo ao marido que não tem ciúmes dos filhos dele, que apenas tem medo que as coisas não dêem certo e que eles não gostem dela. Almeida responde que já está há dez anos sem ver os filhos e que também não sabe como eles reagirão e que por isso precisa do apoio da mulher. Em seguida abraçam-se, mas Almeida desconfia se a mulher lhe dará esse apoio. Clotilde ajuda a irmã a terminar os salgados para a encomenda e alerta-a para que desta vez não entregue a encomenda sem antes receber. Lola comenta que o o facto de ela ter vergonha de cobrar faz com que se aproveitem. Clotilde sugere que se Lola quiser ela pode cobrar, pois faz isso no interior e ao mesmo tempo lembra o que passou indo atrás de Almeida. Na Telefónica, Virgulino trabalha na sua mesa quando o Sr. Hilton aparece dizendo que teve uma conversa com o pessoal da Telefónica do Rio de Janeiro e soube que um funcionário de lá não colaborou com a administração e acabou por ser despedido, mas no fim diz que confia em Virgulino, que se preocupa com o tom da conversa. Em casa de Assad, Karime pergunta a Maria Laura como foi a noite anterior no clube, e ela responde que foi muito chata por ver sempre as mesmas pessoas. No meio da conversa acaba por falar de Isabel e de como ela está a agir com Felício. É a primeira conversa normal que as duas têm. Lili começa a incentivar Lúcio a ficar com Maria Laura com o intuito de que ela não incomode mais Julinho. Lúcio pergunta o porquê desta atitude de Lili, sendo que ela não gostava de Maria Laura. Lili faz cara de sonsa e Lúcio não descobre o motivo. Enquanto isso, na casa de Lola, Clotilde costura uma roupa lembrando-se de quando Almeida disse que a amava há dez anos e balança a cabeça negativamente recriminando-se. Almeida conta a que recebeu uma proposta para ser sócio de uma loja em Ribeirão Preto e que está a pensar em mudar-se para lá, pois ganhará mais e também poderão ficar mais à vontade com os filhos longe da mãe. Marta responde que se ele quiser assim, tudo bem, que o importante é eles estarem juntos. De volta a casa de Assad, Maria Laura continua a conversar com Karime, que estranha o facto de Maria Laura fazer tantas perguntas. Maria Laura diz que Karime sempre quis que elas conversassem a não ser que lhe esteja a esconder algo. Karime diz que não atrapalhada. Novamente na confeitaria, Marta ainda está pensativa pelo facto de sair de São Paulo lembrando-se das coisas que terá que deixar para trás. Almeida motivando-a, diz que no interior há muito dinheiro e emprego e que eles poderão começar de novo, e esquecer o que deixaram para trás. Neste momento ele pensa em Clotilde.

Capítulo 93 Lola vai levar algumas roupas para o quarto de Alfredo, quando o vê com um fato novo muito bonito e pergunta-lhe onde conseguiu dinheiro para o comprar. Alfredo está com o fato novo comprado com o dinheiro da venda das peças da oficina e para a mãe não desconfiar, diz-lhe que o comprou em prestações. Lola não desconfia. Tia Emília comenta que logo poderá voltar para casa para reparar o mal que fez à filha, Adelaide. Enquanto isso no jardim, Justina joga à bola com as crianças sendo observada por Candoca, que já se preocupa com o regresso dela. Marta vai à loja de Assad para falar com Almeida que lhe pede para aguardar, pois precisa conversar com Assad. Logo em seguida, Karime aparece na loja e convida Marta para tomar um chá em sua casa enquanto espera por Almeida. Marta aceita. Karime diz -lhe que soube que Almeida ganhou a guarda dos filhos, mas percebe que Marta não se mostre tão entusiasmada. Marta confessa que tem medo da sua relação com os filhos de Almeida, mas não quer desanimá-lo. Karime, então, conta sobre o quanto está sendo difícil a sua relação com Maria Laura, identificando-se com Marta, por se tratar da mesma situação. Clotilde chama Lola avisando-a que o cliente chegou para levar a encomenda e pede-lhe para não a entregar sem que ele pague antes. Alfredo recebe a notícia de Raio Negro que o amigo dele ainda não chegou com as peças para repor na oficina. Alfredo fica preocupado, mas Raio Negro pede-lhe para não se preocupar. De volta à casa de Lola, Clotilde ajuda a irmã a levar toda a encomenda para o carro do cliente. O cliente é muito simpático, mas após conferir a encomenda dá a impressão que se vai embora. Lola fica aflita e Clotilde impaciente. Logo em seguida, o cliente lembra-se do pagamento e pede a Lola para conferir. Lola diz que está tudo certo e após se o cliente se despedir, Lola, diz a Clotilde que vai pagar ao Português os mantimentos que levou fiado. Clotilde pede-lhe para levar um pouco de brigadeiro que sobrou. Novamente em casa de Assad, Karime identifica-se ainda mais com Marta quando ela diz que nasceu na Roménia, que veio para o Brasil ainda criança e que era Judia. Karime comenta com Marta que elas são mais parecidas do que pensava, pois Karime também nasceu noutro país. Cria-se um laço de amizade entre as duas. Na loja, Almeida finalmente revela a Assad os seus planos de se mudar para o interior e começar num emprego novo. Assad diz a Almeida que ele sempre foi um bom funcionário e que estava a pensar em dar-lhe um aumento. Almeida fica irritado e questiona Assad sobre o porquê de só agora lhe dar um aumento por mérito, sendo que ele o ajudou a aumentar muito o património durante quinze anos. Assad contém a irritação e pergunta a Almeida se está decidido. Almeida responde que sim, que falta acertar alguns detalhes, mas que ele deveria ser informado. Assad, seco, responde que já está informado. Almeida sorri e é questionado por Julinho por que está sorrindo. Almeida responde que é muito bom falar o que estava contido há quinze anos, mas que agora precisa ver o que fará da vida. No final da conversa, Karime fica a saber que Marta e Almeida se mudarão para o interior porque Almeida não quer que aconteça o mesmo que a Júlio, trabalhar muito e não ter tempo para realizar os seus sonhos. Karime, diz a Marta que conversará com Assad na tentativa de fazer algo a respeito. Olga diz a Zeca que espera que o médico diga que Tia Emília está melhor, pois está muito cansada e não aguenta mais. Carmencita anda pelas ruas e lembrando-se de sua infância, vê a cena de quando Alfredo a chamou de Espanholita. Enquanto isso, Alfredo acaba de chegar em casa e vê que o jantar está como nos velhos tempos, com comida de sobra. Carlos aproveita para avisar que convidou Carmencita para almoçar com eles no domingo. Na casa de Genú, Virgulino está muito perturbado e acaba descontando em Genú apressando-a por o jantar ainda não estar pronto.

Capítulo 94 Carmencita convida Alonso para ir com ela e Carlos ao cinema. Alonso não quer, prefere ficar em casa. Em casa de Genú estão todos à mesa jantando, Virgulino aproveita o momento para puxar o assunto e diz que é ele que agora está com um problema e precisa da ajuda deles. Karime e Assad conversam sobre Almeida. Karime pensa que seria bom se Assad conseguisse que Almeida não se fosse embora, dando-lhe um aumento ou coisa que o valha pois não deve perder um funcionário tão valioso como ele. Assad faz cara de quem vai pensar. Almeida e Marta passeiam pela praça. Marta diz ter gostado de Karime. Almeida lamenta que isso tenha acontecido agora que se vão mudar. Marta faz cara feia, mas disfarça e diz que ainda faltam muitos pontos a resolver. Almeida diz que nem tanto, já falou com Assad. Zeca conta a Olga que Tia Emília quer partir. Olga cai de joelhos no mesmo instante e dá graças a Deus. Carlos vai buscar Carmen para o cinema. Carmen diz que convidou o pai, mas que ele não aceita. Ela está preocupada com o pai que anda a beber muito. Virgulino conta o seu problema à família. Explica que o seu cargo na Telefónica dá muita margem para se receber ofertas de suborno. Desta vez a proposta é um pouco diferente, quem lhe veio propor o negócio foi o próprio gerente, o senhor Hilton. Olga está exausta, Zeca está calado e pensativo. Olga pergunta o que ele tem. Zeca pensa no dinheiro da sociedade, que é da Tia Emília, mas ele tem uma procuração dela e pode movimentar o dinheiro como achar melhor. Olga diz que se Zeca usar esse dinheiro continuará ligado à Tia Emília comprando a confeitaria em nome dela. Zeca diz que ficará no seu nome. Olga diz que assim ele estará sendo desonesto. Olga olha assustada para o marido que confirma. Olga fica apavorada com os planos de Zeca. Almeida apresenta os filhos a Marta, as crianças ficam um pouco tímidas. Roberto é mais tímido tem 13 anos e Tereza é um pouco mais dada e tem 12 anos. Almeida observou este primeiro encontro, muito comovido. Marta explica que a casa é pequena, Roberto por enquanto vai dormir no sofá, mas quando se mudarem para Ribeirão Preto, irão morar em uma casa muito maior. As crianças entreolham-se sem jeito e não gostam da mãe nova. Virgulino continua a falar com sua família, diz que não aceita a oferta, acha melhor morrer pobre e honesto do que sujar o seu nome numa negociata dessas. Os filhos reagem contentes diante da notícia. Genú não entendeu muito bem, já que o chefe de Virgulino ofereceu uma bolada e ele recusou. Virgulino explica que é um plano para lesar a companhia, todos se juntam, cada um ganha um pouco e ninguém fica a saber de nada na sede em Inglaterra. Mas para Virgulino é uma questão e princípio, é um homem honesto, nunca roubou nada. Genú diz que não é a mesma coisa que roubar, mas se fosse para tirar a alguém necessitado até ela seria contra. Assad diz a Maria Laura que pensa mudar-se para o Rio de Janeiro, pois vai abrir novas lojas por lá e é uma cidade muito bonita para se morar. Maria Laura não gosta, pois tem o seu colégio, as suas amigas e todos os seus conhecidos em São Paulo. Olga pergunta como Emília irá dar a notícia a Justina. Emília não tem ideia, pois Justina afeiçoou-se muito à família de Olga, principalmente a Candoca. Olga sugere que Emília converse com Candoca para encontrarem a melhor solução. Lúcio aparece em casa de Lola para falar com Isabel. Não percebe como ela diz ter saudades dele e depois o trata friamente. Isabel diz que é coisa da cabeça dele, são bons amigos desde criança e não quer que nada no mundo possa estragar essa amizade. Lúcio vê que para Isabel é impossível que ela possa amá-lo. Carlos e Carmencita estão no cinema, e lembram-se da primeira vez que foram ao cinema. Na época Carmencita lamentou por ele não a ter beijado. Carlos recompensa-a com um beijo que lhe devia há muitos anos.

Elenco / Personagens

Irene Ravache – Dona Lola
Othon Bastos – Júlio Abílio de Lemos
Luciana Braga – Maria Isabel
Tarcísio Filho – Alfredo
Jandir Ferrari – Carlos
Leonardo Bricio – Julinho23
Angelina Muniz – Karime
Antônio Petrin – Assad
Maria Estela – Layla
Luciene Adami – Maria Laura
Marco Ricca – Felício
Paulo Figueiredo – Almeida
Bete Coelho – Adelaide
Mayara Magri – Justina
Flávia Monteiro – Lili
João Vitti – Lúcio
Umberto Magnani – Alonso
Nina de Pádua – Pepa
Yara Lins – Dona Maria
Wilma de Aguiar – Tia Candoca
Lia de Aguiar – Dona Marlene
Chica Lopes – Durvalina
Maria Aparecida Baxter – Madre Bulhões
Clarisse Abujamra – Dora Falcão
Rosi Campos – Paulette
Cláudia Mello – Benedita
Paulo Hesse – Higino
Régis Monteiro – Doutor Azevedo
Nelson Baskerville – Marcos
Eduardo Silva – Raio Negro
Rosaly Papadopol – Marta
Homero Kossac – Mr. Hilton
Chris Couto – Zulmira
Philipe Levy – Gusmões
Eliete Cigarini – Carmencita
Ariel Moshe – Sr. Flores
Ana Paula Arósio – Amanda
Roberto Arduim – José Aranha
Otaviano Costa – Tavinho
Caio Blat – Carlos (menino)
Wagner Santisteban – Alfredo (menino)
Rafael Pardo – Julinho (menino)
Carolina Vasconcelos – Maria Isabel (menina)
Julia Ianina – Carmencita (menina)
Roberto Lima – Lúcio (menino)
Paula Ciudad – Lili (menina)
Carolina Gregório – Maria Laura (menina)
Wellington Rodrigues – Raio Negro (menino)
Ney Latorraca – Seu Sorriso
Osmar Prado – Zeca
Denise Fraga – Olga
Jussara Freire – Clotilde
Elizângela – Marion
Nathalia Timberg – Tia Emília
Jandira Martini – Dona Genu
Marcos Caruso – Virgulino Virgulino

Trilha Sonora Nacional e Internacional

01. MULHER – Zé Renato (tema de Isabel)
02. JURAS – Rosa Passos (tema de Carmencita)
03. PRÁ DIZER ADEUS – Elis Regina e Zimbo Trio (tema de Lola)
04. LAMENTOS – Zizi Possi (tema de Olga e Zeca)
05. CANTA, CANTA MAIS – Vânia Bastos (tema de Clotilde)
06. ÁGUA DOCE – Ivan Lins (tema de Lola)
07. CHORA CORAÇÃO – Tom Jobim
08. VIOLÃO – Fátima Guedes
09. VALSINHA – Chico Buarque e Vinícius de Moraes (tema de abertura)
10. VALSINHA – Quarteto em Cy (tema de Lola)
11. BRANCA – Francisco Petrônio (tema de Júlio)

0 Comentário para: “Éramos Seis Resumo | Personagens | Trilha Sonora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *